Arquidiocese do Rio de Janeiro

24º 21º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 13/05/2021

13 de Maio de 2021

Sou eu mesmo

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

13 de Maio de 2021

Sou eu mesmo

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

16/04/2021 16:17

Sou eu mesmo 0

16/04/2021 16:17

Celebramos neste final de semana o Terceiro Domingo da Páscoa vivenciando as alegrias pascais e acompanhando o Senhor que aparece ressuscitado aos seus. O tempo pascal culminará na Solenidade de Pentecostes, quando o Senhor irá entregar aos apóstolos o Espírito Santo.

Nesse dia dedicado ao Senhor, Ele vem ao nosso encontro, caminha conosco e nos instrui por meio da Eucaristia e parte o pão para nós. Como dom da sua ressurreição, toda vez que Ele aparece deseja a paz, e hoje quer oferecer a paz a cada um de nós.

Conforme vamos caminhando no tempo pascal, a nossa vida ganha um novo sentido dado a nós por Jesus, por meio da sua Páscoa. Na semana passada, recordamos a misericórdia de Jesus, por meio da celebração do Domingo da Misericórdia e semana que vem celebraremos o Domingo do Bom Pastor e, antes do Domingo de Pentecostes, celebraremos a Ascensão de Jesus ao céu.

Nesse espírito preparemo-nos alegremente para celebrarmos as alegrias pascais, pedindo ao Senhor misericordioso e Bom Pastor que nos livre de todo o mal, sobretudo o mal da Covid-19.

As leituras desse domingo nos fazem compreender que Deus cumpriu a sua Palavra por meio de Jesus, nos revelando o amor, a misericórdia e a partilha. Que o amor de Deus revelado por Jesus, possa ser pleno em nós.

A Primeira Leitura deste 3º Domingo da Páscoa (At 3,13-15.17-19) nos diz que, Pedro, o líder dos apóstolos naquele momento, se dirige a todo o povo dizendo que eles mataram Jesus, o justo e santo. Mas apesar de tudo o que aconteceu, Jesus ressuscita dos mortos, pelo poder de Deus e depois da Ressurreição apareceu aos apóstolos e os enviou em missão, que agora os apóstolos continuam pregando a conversão.

No Salmo Responsorial 4, o salmista pede que o Senhor mostre a sua face misericordiosa sobre todos nós. O Senhor escuta a prece daquele que faz uma oração sincera a Ele e escuta, também, a oração daquele que é justo, ou seja, daquela pessoa que faz a vontade de Deus.

Na segunda leitura, (1Jo 2,1-5), João diz que temos um defensor no céu. Se acaso pecarmos, temos Jesus Cristo que intercede por nós junto a Deus. Ele não só perdoa os nossos pecados, mas os do mundo inteiro. Nós só conheceremos a Deus se guardarmos os seus mandamentos, se dissermos que amamos a Deus e não guardamos os seus mandamentos, seremos mentirosos. Dessa forma, enganaremos a nós mesmos e a Deus.

No Evangelho (Lc 24,35-48) os dois discípulos (de Emaús) estavam contando aos outros discípulos como caminharam com Jesus e como o reconheceram ao partir o pão. Eles ainda estavam falando quando o próprio Jesus apareceu no meio deles desejando-lhes a Paz, como é a marca do ressuscitado. O espanto e o medo tomam conta dos discípulos, eles pensam estar vendo um fantasma. E Jesus diz a eles para que não tenham medo e nem fiquem assustados, Ele mostra-lhes as mãos e o lado e pede para tocar nele, pois um fantasma não tem carne e nem ossos. Ainda assim, eles não acreditam pois estavam muito felizes e surpresos.

Jesus pergunta se eles tinham algo para comer e eles lhe oferecem um peixe assado, e Jesus come diante deles. Depois de comer, Jesus lhes explica tudo aquilo que devia acontecer com Ele, que é de certa maneira, tudo aquilo que Ele lhe já lhes havia dito, quando esteve entre nós.

Jesus ressuscitado nos dias de hoje também se coloca em nosso meio, quando nos reunimos para oração ou para a celebração eucarística. Primeiro, nos alimentamos da sua palavra que foi a nós revelada e, depois, Ele se coloca em nosso meio e deseja a Paz, nos alimentamos do alimento que Ele nos oferece, que é a Eucaristia. Após a celebração eucarística, somos enviados por meio do Espírito Santo que Ele nos infunde, para anunciarmos o Evangelho e o perdão dos pecados que Deus oferece.

É importante lembrarmos que onde dois ou mais estiverem reunidos, o Senhor estará ali no meio. Quando o sacerdote diz na missa: “O Senhor esteja convosco”, nós respondemos “Ele está no meio de nós”. Que Ele possa estar sempre em nosso meio nos trazendo a paz que só o ressuscitado pode oferecer. Paz para as nossas famílias e para o mundo, que está tão sedento de paz e de amor fraterno.

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Sou eu mesmo

16/04/2021 16:17

Celebramos neste final de semana o Terceiro Domingo da Páscoa vivenciando as alegrias pascais e acompanhando o Senhor que aparece ressuscitado aos seus. O tempo pascal culminará na Solenidade de Pentecostes, quando o Senhor irá entregar aos apóstolos o Espírito Santo.

Nesse dia dedicado ao Senhor, Ele vem ao nosso encontro, caminha conosco e nos instrui por meio da Eucaristia e parte o pão para nós. Como dom da sua ressurreição, toda vez que Ele aparece deseja a paz, e hoje quer oferecer a paz a cada um de nós.

Conforme vamos caminhando no tempo pascal, a nossa vida ganha um novo sentido dado a nós por Jesus, por meio da sua Páscoa. Na semana passada, recordamos a misericórdia de Jesus, por meio da celebração do Domingo da Misericórdia e semana que vem celebraremos o Domingo do Bom Pastor e, antes do Domingo de Pentecostes, celebraremos a Ascensão de Jesus ao céu.

Nesse espírito preparemo-nos alegremente para celebrarmos as alegrias pascais, pedindo ao Senhor misericordioso e Bom Pastor que nos livre de todo o mal, sobretudo o mal da Covid-19.

As leituras desse domingo nos fazem compreender que Deus cumpriu a sua Palavra por meio de Jesus, nos revelando o amor, a misericórdia e a partilha. Que o amor de Deus revelado por Jesus, possa ser pleno em nós.

A Primeira Leitura deste 3º Domingo da Páscoa (At 3,13-15.17-19) nos diz que, Pedro, o líder dos apóstolos naquele momento, se dirige a todo o povo dizendo que eles mataram Jesus, o justo e santo. Mas apesar de tudo o que aconteceu, Jesus ressuscita dos mortos, pelo poder de Deus e depois da Ressurreição apareceu aos apóstolos e os enviou em missão, que agora os apóstolos continuam pregando a conversão.

No Salmo Responsorial 4, o salmista pede que o Senhor mostre a sua face misericordiosa sobre todos nós. O Senhor escuta a prece daquele que faz uma oração sincera a Ele e escuta, também, a oração daquele que é justo, ou seja, daquela pessoa que faz a vontade de Deus.

Na segunda leitura, (1Jo 2,1-5), João diz que temos um defensor no céu. Se acaso pecarmos, temos Jesus Cristo que intercede por nós junto a Deus. Ele não só perdoa os nossos pecados, mas os do mundo inteiro. Nós só conheceremos a Deus se guardarmos os seus mandamentos, se dissermos que amamos a Deus e não guardamos os seus mandamentos, seremos mentirosos. Dessa forma, enganaremos a nós mesmos e a Deus.

No Evangelho (Lc 24,35-48) os dois discípulos (de Emaús) estavam contando aos outros discípulos como caminharam com Jesus e como o reconheceram ao partir o pão. Eles ainda estavam falando quando o próprio Jesus apareceu no meio deles desejando-lhes a Paz, como é a marca do ressuscitado. O espanto e o medo tomam conta dos discípulos, eles pensam estar vendo um fantasma. E Jesus diz a eles para que não tenham medo e nem fiquem assustados, Ele mostra-lhes as mãos e o lado e pede para tocar nele, pois um fantasma não tem carne e nem ossos. Ainda assim, eles não acreditam pois estavam muito felizes e surpresos.

Jesus pergunta se eles tinham algo para comer e eles lhe oferecem um peixe assado, e Jesus come diante deles. Depois de comer, Jesus lhes explica tudo aquilo que devia acontecer com Ele, que é de certa maneira, tudo aquilo que Ele lhe já lhes havia dito, quando esteve entre nós.

Jesus ressuscitado nos dias de hoje também se coloca em nosso meio, quando nos reunimos para oração ou para a celebração eucarística. Primeiro, nos alimentamos da sua palavra que foi a nós revelada e, depois, Ele se coloca em nosso meio e deseja a Paz, nos alimentamos do alimento que Ele nos oferece, que é a Eucaristia. Após a celebração eucarística, somos enviados por meio do Espírito Santo que Ele nos infunde, para anunciarmos o Evangelho e o perdão dos pecados que Deus oferece.

É importante lembrarmos que onde dois ou mais estiverem reunidos, o Senhor estará ali no meio. Quando o sacerdote diz na missa: “O Senhor esteja convosco”, nós respondemos “Ele está no meio de nós”. Que Ele possa estar sempre em nosso meio nos trazendo a paz que só o ressuscitado pode oferecer. Paz para as nossas famílias e para o mundo, que está tão sedento de paz e de amor fraterno.

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ


Cardeal Orani João Tempesta
Autor

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro