Arquidiocese do Rio de Janeiro

33º 19º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 12/11/2018

12 de Novembro de 2018

“A Jornada é um grande grito de confirmação”

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

12 de Novembro de 2018

“A Jornada é um grande grito de confirmação”

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

06/08/2013 17:35 - Atualizado em 06/08/2013 17:50
Por: Nice Affonso

“A Jornada é um grande grito de confirmação” 0

“A Jornada é um grande grito de confirmação” / Arqrio

Em entrevista exclusiva ao Portal da Arquidiocese do Rio de Janeiro, o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, Dom Eduardo Pinheiro da Silva, afirmou que, principalmente agora, após a Jornada Mundial da Juventude no Brasil, a “CNBB quer potencializar as instâncias que têm uma missão direta com a juventude”, fornecendo “instrumentais para que elas realizem ainda mais a partir dessa animação e boa vontade que a juventude está apresentando”. De acordo com o Bispo, a Jornada confirmou que ninguém melhor do que os jovens para a evangelização de outros jovens.  

 — A gente está insistindo para que nas dioceses, e principalmente no contexto paroquial, as lideranças adultas, junto com os jovens, façam acontecer o novo, ali. Potencializem a catequese, os grupos de jovens, provocando novos projetos para a juventude, tendo mais grupos de jovens, colocando os jovens em cargos, funções e atividades que também sejam de responsabilidade maiores e de decisões. Inclusive porque a Jornada é um grande grito de confirmação de que a juventude é o melhor apóstolo para evangelizar o próprio jovem. O jovem é aquele que consegue, mais profundamente e mais diretamente, atingir o coração de outro jovem, de seus próprios colegas. Então, nós estamos acreditando muito que depois de tudo isso nós tenhamos pessoas mais animadas, paróquias mais abertas, adultos mais confiantes na juventude.

 Conforme sua avaliação, os frutos da Jornada já podiam ser percebidos antes mesmo do acontecimento do evento:

 — Nós sempre pensamos os projetos dentro de um contexto maior de evangelização; então, quanto aos frutos, podemos dizer que muitos já vieram antes da Jornada, com, por exemplo, a Semana Missionária, a Campanha da Fraternidade e, principalmente, a Peregrinação da Cruz e do Ícone (símbolos da Jornada). Porque se não fosse a Jornada, isso tudo não se teria. Então, tudo isso é fruto que já veio antes, explicou.

 Sobre os trabalhos futuros, Dom Eduardo pretende tomar decisões em unidade com os movimentos jovens, durante encontro a ser realizado em dezembro:

 — Nós teremos um grande encontro, com os adultos líderes, assessores da juventude nas várias expressões, de novas comunidades, de movimentos, de pastoral da juventude e de comunidades religiosas, em dezembro, para que a gente consiga ler em conjunto toda essa graça de Deus transbordante, neste Ano da Juventude. E vamos ver o que sai dali: o que nós queremos com tudo isso? O que nós podemos melhorar?

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.