Arquidiocese do Rio de Janeiro

27º 22º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 19/09/2021

19 de Setembro de 2021

Comunidade espanhola do Rio de Janeiro celebra Jubileu Compostelano

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

19 de Setembro de 2021

Comunidade espanhola do Rio de Janeiro celebra Jubileu Compostelano

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

02/08/2021 13:07
Por: Redação

Comunidade espanhola do Rio de Janeiro celebra Jubileu Compostelano 0

Na Festa do Apóstolo São Tiago, o arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, presidiu missa em ação de graças pelo Jubileu Compostelano, também conhecido como Ano Xacobeu, na Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro, na Glória, no dia 25 de julho.

Iniciado no dia 31 de dezembro de 2020, com a abertura da Porta Santa da Catedral de Santiago de Compostela, na Espanha, que abriga os restos mortais de São Tiago, o “maior”, o Ano Santo tem como tema: “Sai de sua terra! O Apóstolo espera por você”, e será concluído, com expressa autorização do Papa Francisco, somente em 2022, devido à persistência da pandemia da Covid-19, que está impedindo a realização normal das peregrinações.

 

Presenças

A missa foi concelebrada pelo capelão da Confraria do Glorioso Santiago de Compostela, no Rio de Janeiro, monsenhor André Sampaio de Oliveira. Também presentes na celebração o cônsul da Espanha no Rio de Janeiro, Luis Prados Covarrubias, e vários diretores e representantes da comunidade espanhola: André Salomão Lacativa, da Confraria do Glorioso Apóstolo Santiago; Maria Clinete Sampaio Lacativa, da Associação Confrade e Amigos Caminho de Santiago; Esther Pérez Duran, da Associação Recreio dos Anciãos para Asilo da Velhice Desamparada, a Residência Santiago Apóstolo; Augusto José Dominguez, do Conselho de Residentes Espanhóis do Brasil; Juan Ramon, da Casa de Espanha no Rio de Janeiro; e Laurentino Niebra Catarino, do Clube Espanhol de Niterói

 

Dons e carismas

Na homilia, Dom Orani refletiu a liturgia do 17º Domingo do Tempo Comum, iniciando pela segunda leitura (Ef 4,1-6), na qual destacou a necessidade de “guardar a unidade do espírito pelo vínculo da paz”.

“Numa sociedade dividida, polarizada, cheia de ódios e rancores, a Igreja é chamada a ser um sinal de comunhão e unidade, ela que tem a missão de contagiar as pessoas para o bem. No jardim da Igreja brotam uma pluralidade de flores, cujos dons e carismas devem chegar a todos. Há muitas ações importantes, como a comunidade espanhola, com a sua tradição de peregrinar em busca do verdadeiro caminho, o sentido da vida. Em Jesus Cristo, tudo deve convergir para o bem comum, no qual as pessoas, mesmo sendo de opiniões diferentes, possam se amar e estarem unidas”, disse o arcebispo.

 

Partilha

Ao refletir o Evangelho do dia, com o episodio da multiplicação dos pães, Dom Orani destacou que a Igreja, que a exemplo de Jesus Cristo tem a preocupação de saciar a fome de quem passa por necessidades e de quem tem fome de Deus.

“Milhares de pessoas, em vista da atual situação econômica, estão passando por necessidades, acompanhadas de desemprego, depressão, desavenças familiares, entre tantas coisas. Queremos uma cidade mais justa, que promova emprego e renda, mas enquanto isso não acontece, precisamos dar assistência para quem passa por necessidades. Desde o início da pandemia, vimos que o pouco de cada um, colocado na mão da Igreja, alimentou muitas pessoas nesta grande cidade. Partilhar o pão faz parte da nossa missão, como consequência de nossa fé, mas devemos também levar as pessoas ao encontro com Jesus Cristo, que sacia a fome de pão e de Deus, e que dá sentido à própria vida”, disse o arcebispo.

 

Origem da confraria

A primeira confraria, a Cofradia do Señor Santiago, foi criada em 1499 através de uma bula papal, em Santiago de Compostela, na Espanha. Nesta bula o Papa Alexandre VI autorizava os reis católicos, Fernando e Isabel, a construírem um hospital para peregrinos, ao lado da Igreja de Santiago, e quanto à constituição de uma confraria de qualquer parte do mundo, que se dedicaria aos peregrinos e ao Caminho de Compostela.

Em 1939, o Papa Pio XII promoveu esta Cofradia a Archicofradia ad Honorem e, em 1942, a tornou perpétua. Esta entidade é hoje a Arquiconfraria Universal do Apóstolo Santiago, uma associação católica secular, que congrega homens e mulheres que amam o Caminho, o defendem e auxiliam os peregrinos. A sede é na própria Catedral de Santiago. Seus estatutos foram aprovados por Roma e estão sob a orientação do arcebispado de Santiago. Hoje, muitos lugares do mundo têm confrarias.

 

No Brasil e Rio de Janeiro

No Brasil, a primeira confraria foi fundada no Nordeste, Estado do Ceará, em 1604, segundo alguns historiadores. Seria, depois da de Santiago, a mais antiga do mundo.

No Rio de Janeiro, um grupo de 20 peregrinos católicos pertencentes a uma associação de amigos do Caminho de Santiago decidiu fundar uma confraria, a segunda do Brasil.

Auxiliados por um conselheiro eclesiástico, monsenhor André Sampaio de Oliveira, os peregrinos iniciaram a elaboração dos estatutos, que submetidos à apreciação da Arquiconfraria Universal foram considerados adequados.

A confraria, com a finalidade de promover e auxiliar os peregrinos a um Caminho de peregrinação, mas também de transformação espiritual, foi criada em agosto de 2009, quando houve assembleia geral, aprovação dos estatutos e a eleição da primeira diretoria.

Na festa de São Tiago de 2019, no dia 25 de julho, o arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, erigiu a Confraria do Glorioso Apóstolo São Tiago do Rio de Janeiro como Associação Pública de Fiéis, com aprovação de seus estatutos.

 

Carlos Moioli



Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.