Arquidiocese do Rio de Janeiro

27º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 13/04/2021

13 de Abril de 2021

Programa Forças no Esporte retoma atividades e possibilita a inclusão social de crianças e jovens que vivem em áreas de vulnerabilidade

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

13 de Abril de 2021

Programa Forças no Esporte retoma atividades e possibilita a inclusão social de crianças e jovens que vivem em áreas de vulnerabilidade

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

14/03/2021 00:00 - Atualizado em 15/03/2021 15:27
Por: Redação

Programa Forças no Esporte retoma atividades e possibilita a inclusão social de crianças e jovens que vivem em áreas de vulnerabilidade 0

O Programa Forças no Esporte (Profesp), uma parceria da Marinha do Brasil com a Arquidiocese do Rio de Janeiro, por meio da Pastoral do Menor, retomou, embora de forma gradual, suas atividades presenciais no Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (Cefan), situado na Avenida Brasil, no bairro da Penha.
 
Protocolos de segurança
Segundo o contra-almirante fuzileiro naval Élson Luiz de Oliveira Góis, o retorno do programa tem o “objetivo de atender as necessidades das crianças e adolescentes que vivem em áreas de vulnerabilidade, e no Cefan tem a possibilidade de retomar as atividades de inclusão social por meio do esporte”.

Por ocasião do regresso dos alunos foi elaborado um protocolo de segurança com medidas sanitárias individuais e coletivas para o enfrentamento da Covid-19, observando as prescrições emanadas da coordenação do Profesp.

“A iniciativa pelo retorno do programa ocorreu de forma simultânea com o desejo dos pais e responsáveis em reduzir o tempo livre de suas crianças. Cabe ressaltar que os responsáveis pelos alunos com interesse em retornar às atividades presenciais assinaram um termo de ciência ou responsabilidade”, disse Góis.
 
Contato com as famílias
A assistente social da Pastoral do Menor  Marcela Campana informou que o retorno das atividades, mesmo que adequado aos protocolos de saúde necessários para a não contaminação pela Covid-19, traz às crianças e adolescentes a esperança do retorno à normalidade.

“Durante a quarentena, a Pastoral do Menor, através dos agentes de pastoral, manteve contatos com as famílias, mantendo-as informadas sobre a distribuição de kits de alimentação, a necessidade de renovação da inscrição e o retorno às atividades, dentre outras informações”, disse Marcela.
 
Contribuição conjunta
A tenente Fernanda Guedes esclareceu que a retomada das atividades presenciais do Programa Forças no Esporte, mesmo que gradativa, tem sido de grande valia aos alunos, principalmente diante do momento pandêmico em que toda sociedade está vivendo.

“Não será uma retomada de onde paramos - o retorno exigiu um plano de ações em diversas frentes e demanda intensa, articulação e contextualização - o planejamento de um retorno gradual, com importante atenção à saúde emocional e física de nossas crianças e adolescentes, e dos profissionais atuantes”, disse.

“Não temos dúvida que iremos nos deparar com desafios que só poderão ser enfrentados com o apoio de toda a equipe envolvida direta ou indiretamente: militares instrutores, agentes da Pastoral do Menor, assistentes sociais, professores, orientadoras do Centro de Referência de Assistência Social (Cras), psicólogos e, principalmente, a contribuição dos pais e responsáveis das crianças e adolescentes”, disse.

Novas perspectivas
Ainda de acordo com a tenente Fernanda Guedes, “neste momento inicial, são notórias diferenças nos comportamentos dos alunos: eles estão fora do ritmo de rotina, de atividade física, de disciplina, acomodados e outras atitudes que podemos dizer que são reflexo de um confinamento e distanciamento social prolongado, mas acreditamos que a transformação que o trabalho do Profesp-Cefan causa em nossas crianças e adolescentes, principalmente aquelas em estado de vulnerabilidade social, internalizando valores, a prática esportiva e o direcionamento para novas perspectivas de futuro para essa geração irá renascer em cada aluno”, explicou.

Testemunhos
Para Maria Priscila Eiras de Oliveira, mãe de Anderson Nogueira Fernandes Souza Junior, que reside em Quitungo, a “volta do programa é muito importante, pois ajuda muito meu filho na ansiedade, na disciplina e motiva o estudo militar, pois ele pretende passar pra Escola Naval. Só tenho a agradecer por tudo que fazem no projeto”, disse.

Elizete Souza dos Santos contou que o programa é muito importante porque mudou a vida do seu filho: “Ele aprendeu a nadar, emagreceu 36 kg, aprendeu ter disciplina em tudo e respeitar ao próximo, pois reconheço que era um menino difícil! Com o retorno das atividades físicas ele estará ocupando a mente e se exercitando”, contou.

Para Marcelo Rodrigues dos Santos, pai do aluno Cauã Bezerra dos Santos, o retorno do programa trará uma nova expectativa para todas as crianças. “Mesmo no isolamento, assistimos ao empenho das equipes do Profesp e de nossos representantes da Pastoral do Menor, de Quitungo, junto ao projeto. Obrigado a todos envolvidos pela incansável determinação com nossas crianças”, disse.
 
Carlos Moioli




Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.