Arquidiocese do Rio de Janeiro

29º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 28/11/2020

28 de Novembro de 2020

Festa de São Lucas e Dia do Médico

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

28 de Novembro de 2020

Festa de São Lucas e Dia do Médico

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

18/10/2020 00:00 - Atualizado em 26/10/2020 00:13
Por: Redação

Festa de São Lucas e Dia do Médico 0

Desde o ano de 2014, os médicos da arquidiocese se reúnem para celebrar seu padroeiro no Santuário de São Judas Tadeu, no Cosme Velho, quando renovam as promessas do médico católico. O Santuário de Judas Tadeu tem São Lucas como seu copadroeiro. A igreja atual foi construída em um terreno adquirido do Sindicato dos Médicos do Brasil. Neste terreno existia um asilo conhecido como “Casa do Médico” e uma capela dedicada a São Lucas e Nossa Senhora da Sabedoria. Após a demolição da capela, as imagens originais foram entronizadas na nova igreja, onde são veneradas até hoje.

São Lucas
“Lucas, um sírio de Antioquia, médico de profissão, discípulo dos apóstolos, mais tarde seguiu Paulo até seu martírio. Serviu sem restrições o Senhor, nunca se casou, nem teve filhos. Morreu em Beócia, repleto do Espírito Santo.” (prólogo antimarcionita do Ev. De Lucas – século II).

A figura de São Lucas nos é apresentada em três notas das Cartas de São Paulo. Estas notas descrevem Lucas como um companheiro fiel de Paulo e nos revelam sua profissão: médico. Através do seu evangelho percebemos, ainda, a sensibilidade de Lucas que nos mostrou, como nenhum outro evangelista, a fisionomia humana de Cristo e sua atenção pelos menos favorecidos: órfãos, viúvas, prostitutas, desprezados, pecadores.

Em seu evangelho encontramos ainda uma riqueza de detalhes sobre a anunciação e a natividade, que nos levam a acreditar que ele tenha conhecido pessoalmente Maria Santíssima. No prólogo de seu evangelho, ele mesmo nos revela que fez uma acurada investigação antes de escrevê-lo.

Sua imagem é representada com um touro em seus pés, pois no livro de Ezequiel 1, 10-11 e em Apocalipse 4,2-7 temos a descrição de quatro seres animados, movidos pelo Espírito do Senhor, que estão sempre junto ao trono do Altíssimo. Segundo alguns exegetas, os quatro seres animados representam toda a Criação nos seus expoentes máximos. Lucas começa e termina o seu evangelho no Templo, onde eram imolados os touros dos sacrifícios, substituídos por Jesus, o único e eterno sacrifício, daí a figura do touro. Santo Irineu apropriou essas figuras aos quatro evangelistas, criando, assim, um simbolismo tradicionalmente aceito.
 
São Lucas e o Cosme Velho
 
Quem já entrou no Santuário de São Judas Tadeu, no Cosme Velho, pode perceber, à esquerda da imagem do padroeiro principal, uma bela imagem de São Lucas com a inscrição: “São Lucas Evangelista, padroeiro dos médicos, 2º titular do Cosme Velho”. O que poucos sabem é que aquela imagem já se encontrava naquele mesmo endereço pelo menos 12 anos antes da fundação da Paróquia de São Judas Tadeu. Sua história tem íntima relação com os médicos do Rio de Janeiro.

Tudo começou, em 25 de novembro de 1927, com a fundação do Syndicato Médico Brasileiro, atual Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sinmed-Rio). Este sindicato tinha entre seus objetivos fundar a “Casa do Médico”, que seria um local de acolhida de médicos pobres, velhos ou inválidos e poderia ainda servir como local de férias, repouso e convalescença de membros do sindicato.

O médico Luiz Felicio dos Santos Torres, médico sanitarista formado pela Universidade de Louvain, na Bélgica, foi um dos grandes entusiastas deste projeto, sendo nomeado para primeira comissão diretora responsável pela criação e implantação da “Casa do Médico”. Além de membro fundador do Syndicato Médico Brasileiro, Felicio Torres também foi membro fundador da Sociedade Médica de São Lucas do Rio de Janeiro, em 18 de outubro de 1923. Seu avô, o médico Antonio Felicio dos Santos, fora um dos fundadores da Sociedade Médica de São Rafael e São Lucas (1904-1906), e foi nomeado presidente de honra da Sociedade Médica de São Lucas no biênio de 1923/1924.

Infelizmente, Felicio Torres faleceu prematuramente em 11 setembro de 1928, solteiro, sem deixar filhos. Após sua morte, sua mãe, Maria Felicio dos Santos, decidiu doar para o sindicato um terreno que fazia parte do espólio do filho, para concretizar o seu sonho de ver instalada a “Casa do Médico”. O terreno estava localizado na Rua Cosme Velho, número 136, e tinha 45x100m.

A doação foi concretizada em 15 de janeiro de 1930. Maria Felicio dos Santos fez constar no termo de doação do terreno o compromisso do sindicato em edificar, junto à “Casa do Médico”, uma capela, e fez uma doação generosa, em espécie, para construção da mesma. O projeto da capela foi elaborado no mesmo ano pelo engenheiro Ranulpho dos Santos Neves com uma planta de 10x7m. Em 1931, a patrona fez ainda a doação de uma imagem de São Lucas e outra de Sede Sapientiae (Nossa Senhora Sede da Sabedoria), importadas da Europa.

A pedra fundamental da construção da "Casa do Médico" foi colocada em 21 de maio 1933 em cerimônia marcada pela presença de inúmeras autoridades civis e representantes das sociedades médicas. Na mesma cerimônia Dom Joaquim Mamede, bispo auxiliar do Rio de Janeiro, abençoou o local onde seria erigida a capela. Foram paraninfos da cerimônia Maria Felicio dos Santos, doadora do terreno, e o professor Henrique Tanner, presidente da Sociedade Médica de São Lucas.

A Sociedade Médica São Lucas e a Sociedade de Medicina e Cirurgia se uniram ao Syndicato Médico Brasileiro nas campanhas de arrecadação de materiais e donativos para construção da capela. Foram doados ainda vasos sagrados, alfaias e paramentos para celebração, além de um Harmonium e Pia para sacristia.

Em 22 de outubro do mesmo ano, Dom Joaquim Mamede retornaria ao local para dar a bênção à Capela da “Casa do Médico”, que foi dedicada à Sede Sapientiae e São Lucas. No mesmo dia, foi celebrada a primeira missa no local. Na véspera de Natal de 1933, tiveram início as missas dominicais na capela, sempre às 10h, abertas ao público.
 
As obras só seriam concluídas seis anos após, sob supervisão do arquiteto Freitas Pereira. Padre Goés de Campos foi o capelão durante todo o período de construção. A missa de ação de graças pela conclusão das obras foi celebrada por Dom Mamede, em 22 de outubro de 1939.

A capela da “Casa do Médico” se tornaria, nos anos seguintes, local de reunião dos médicos para celebração de datas comemorativas, como aniversários de formatura e festas do sindicato.

Em 1º de janeiro de 1945, o Cardeal Jaime de Barros Câmara fundou 25 novas paróquias na Arquidiocese do Rio de Janeiro para celebrar o seu jubileu de prata sacerdotal. Entre estas estava a Paróquia São Judas Tadeu, no Cosme Velho. Padre Góes foi nomeado seu vigário. A nova paróquia não tinha sede e as celebrações passaram a ser realizadas na capela da “Casa do Médico”.

Com o tempo, a comunidade paroquial angariou fundos e comprou o terreno onde se encontrava a capela para a construção do novo templo dedicado a São Judas Tadeu. A “Casa do Médico” foi transferida pelo sindicato para um novo endereço, na Rua Joaquim Meyer, 882, em Lins de Vasconcellos, em 29 de novembro 1947. A nova casa foi batizada como “Solar Luiz Felicio Torres”. A capela de Sede Sapientiae e São Lucas permaneceu no Cosme Velho e conviveu lado a lado com o novo templo em construção por alguns anos, até sua demolição para construção do prédio pastoral.

As imagens históricas de São Lucas e Nossa Senhora da Sabedoria, que se encontravam na capela, foram transladadas para o interior do novo templo, e São Lucas foi elevado à categoria de 2º titular do Cosme Velho. Em 2014, os médicos da Associação de Médicos Católicos da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro redescobriram a história da antiga imagem guardada na Paróquia São Judas Tadeu, no Cosme Velho, e elegeram, o agora santuário, como local para celebrar a memória de seu excelso padroeiro.

 
Pedro Pimenta de Mello Spineti



Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.