Arquidiocese do Rio de Janeiro

28º 22º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 20/10/2020

20 de Outubro de 2020

‘Nada somos, nada é mérito nosso, quem faz é Cristo’

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

20 de Outubro de 2020

‘Nada somos, nada é mérito nosso, quem faz é Cristo’

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

13/10/2020 10:55
Por: Redação

‘Nada somos, nada é mérito nosso, quem faz é Cristo’ 0

Ao celebrar nove anos de fundação, os membros da Comunidade Pequena Nuvem deram mais um passo na caminhada de consagração. Realizada na memória de São Francisco de Assis, dia 4 de outubro, uma missa foi presidida pelo vigário episcopal para a Vida Consagrada, Dom Roberto Lopes, na Casa de Missão Servo de Deus Guido Schäffer, com sede na Vila do João, na Maré.

“Damos mais um paço na espiritualidade, fazendo o nosso primeiro compromisso, nos consagrando a Deus servindo a Igreja por meio do carisma que nos foi dado. Deus fez um apelo e, mesmo sem compreender, prosseguimos estendendo a mão aos irmãos em situação de rua, aos vulneráveis, aos doentes, sedentos de amor”, disse o fundador da comunidade, diácono Edilson Ezequiel de Lima.

“Nestes anos de caminhada, o Senhor atraiu outros para servi-Lo neste carisma. Estamos nos deixando modelar por Cristo. Nesta trajetória Deus operou maravilhas sobre a nossa vida e sobre a vida de muitos irmãos que pudemos alcançar. Foi e é uma trajetória de tribulações, cansaços, noites sem dormir, perseguições, mas principalmente de muita alegria, amor, cuidado, espiritualidade, crescimento espiritual, vida fraterna”, acrescentou.
Segundo o diácono Edilson, o dom comum da comunidade é amar e cuidar, e para isso os membros são impelidos a viver sob a ação do Espírito Santo.

“Somos chamados, na vida fraterna e nas formações, a crescer espiritualmente. Pois é passado a cada servo que para encontrar o Cristo no outro precisamos ter a intimidade com Ele, para que atingidos pela misericórdia que jorra do coração de Jesus, possamos derramar misericórdia e regar os corações ressequidos. É para isso que vem essa Pequena Nuvem. É o sinal da esperança, é onde Deus fala, é aonde somos lapidados e é o nosso lugar para alcançar a santidade. Mas nada somos, nada é mérito nosso, somos simplesmente canais da graça, quem faz é Cristo. Tudo por Ele e para Ele”, disse.
 
Amizade fraterna
Em nome da comunidade, o diácono Edilson agradeceu a presença de Dom Roberto que acompanha a comunidade há seis anos, e por presidir a celebração, pedindo a Mãe de Deus pelo seu ministério, carisma, saúde e pastoreio. A celebração contou ainda com a presença das irmãs Missionárias da Caridade, de Santa Teresa de Calcutá, e do fundador da Comunidade Sarça Ardente, Marcelo Barbosa.
 
Missão
Logo após a missa, os membros da Comunidade Pequena Nuvem saíram em missão nas cracolândias do Jacarezinho, Higienópolis e Mangueira.
“No Dia de São Francisco de Assis, um dos nossos santos protetores,  não podíamos deixar de ir ao encontro do Cristo no pobre. Levamos um pequeno lanche, refresco e cachorro quente. É um simples gesto de ser presença da Igreja para consolar os corações. Nossa base é Jesus Cristo, a nossa missão é amar e cuidar do pobre e conduzi-lo a Deus”, destacou o diácono Edilson.
 
Carlos Moioli
 
 
Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.