Arquidiocese do Rio de Janeiro

24º 18º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 23/09/2020

23 de Setembro de 2020

Dom Orani ordena três sacerdotes para a Igreja no carisma da misericórdia

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

23 de Setembro de 2020

Dom Orani ordena três sacerdotes para a Igreja no carisma da misericórdia

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

16/09/2020 20:15
Por: Redação

Dom Orani ordena três sacerdotes para a Igreja no carisma da misericórdia 0

No ano em que o Movimento Aliança de Misericórdia celebra 20 anos de existência, o arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, ordenou os sacerdotes missionários Danilo Rasera Adorno, Gilson Zem Parede Garcia e Lincon Paula da Silva.

Na mesma celebração, realizada na Catedral de São Sebastião, no dia 5 de setembro, os missionários Denílson Donizete Dulianel, Ênio José Barbosa e Júlio Araújo Silva Figueiredo Neto foram instituídos no Ministério do Leitorato.

A celebração contou com a presença do vigário episcopal para a Vida Consagrada, Dom Roberto Lopes, e de consagrados e familiares do Movimento Aliança de Misericórdia, entre eles, um dos fundadores, padre João Henrique, e do superior, padre Rodrigo Custódio.

Na acolhida, Dom Orani lembrou que a Comunidade Aliança de Misericórdia é um “grande dom para a Igreja que o Senhor concedeu no alvorecer do novo milênio”. Também destacou que a ordenação, por acontecer na festa litúrgica de Santa Teresa de Calcutá, era uma ocasião de refletir sobre a presença solidária junto aos pobres. “Que Santa Teresa nos inspire a manifestar a misericórdia de Deus às pessoas, especialmente para os mais necessitados”, disse.
 
Leitorato
Após a proclamação do Evangelho, concluída a liturgia da Palavra, foi realizado o rito da instituição do Ministério do Leitorato aos missionários Denilson Donizete Dulianel e Júlio Araújo Silva Figueiredo Neto, que se preparam para o diaconato permanente, e a Ênio José Barbosa, que caminha rumo ao sacerdócio ministerial.

“Recebe o livro da Sagrada Escritura e anuncia fielmente a Palavra de Deus, para que ela seja cada vez mais viva no coração dos homens”, disse Dom Orani ao entregar o Evangeliário aos leitores.
 
Rito de ordenação
Já no rito de ordenação sacerdotal, os eleitos foram apresentados pelo superior do Movimento Aliança de Misericórdia, padre Custódio.
Após a homilia, houve o propósito dos eleitos, e enquanto era cantada a Ladainha de Todos os Santos, os ordinandos ficaram deitados em frente a um altar, como sinal da total entrega a Deus.

Depois, houve a imposição das mãos, gesto seguido por todos os sacerdotes presentes, a prece de ordenação, a entrega das vestes sacerdotais, a unção das mãos, a entrega do pão e do vinho, concluindo com o gesto de acolhida por Dom Orani e demais sacerdotes.
Com a ordenação, os padres Danilo e Lincon ficaram incardinados na Arquidiocese do Rio de Janeiro, e o padre Gilson, na Diocese de Setúbal, em Portugal, porém, todos estarão à disposição do Movimento Aliança da Misericórdia.
 
Homilia
Na reflexão da liturgia, Dom Orani destacou que o Espírito Santo conduz à caminhada da Igreja e que continua a chamar homens e mulheres para serem novas criaturas.

“Num mundo no qual predomina rancores, ódios, intolerâncias e maldades, somos chamados a proclamar a reconciliação e o perdão. Na lógica da Palavra de Deus, o amor é o maior mandamento, e o mundo necessita deste anúncio”, disse.

Dom Orani destacou o carisma do movimento que nasceu, sob a inspiração do Espírito Santo, como uma resposta da Igreja diante das situações difíceis da sociedade.

“No cotidiano da missão, a Aliança de Misericórdia se depara com pessoas que sofrem nas ruas as mazelas da sociedade, com vidas destruídas pelas drogas. São situações implicadas pela violência da grande cidade que machucam nossos corações e muitas vezes não conseguimos resolver. Mas, o Senhor vai chamando as pessoas, com carismas específicos, como uma resposta concreta para fazer a experiência do amor, o ‘amai-vos uns aos outros’, e, assim, possa  acontecer o homem novo no qual o Senhor deseja para seus filhos”, disse o arcebispo.

Dom Orani sublinhou que a Igreja reconheceu o carisma da Aliança da Misericórdia com um dom de Deus, na qual as pessoas são chamadas a entregar a própria vida para a missão.

“Nossa arquidiocese fica feliz em acolher o carisma da Aliança da Misericórdia, as casas de missão, na qual nascem as vocações, o chamado para a radicalidade da entrega da vida em servir Jesus Cristo nos necessitados, nos pobres e abandonados”, disse.

O arcebispo lembrou aos novos sacerdotes que o Espírito do Senhor estão sobre eles para que, como homens novos, possam anunciar o amor de Deus com a própria vida.

“Deus tem seus caminhos para cada pessoa. Cada uma tem a sua própria história, porém, tem algo que é comum a todos. O Senhor nos  chama na gratuidade, sem que nós esperemos, ou façamos planos. Agora, já ordenados, peço ao Senhor que sejam felizes, que possam viver comprometidos com a comunidade e a colaborar na santificação do povo de Deus. Seja um sinal para este mundo descrente e desanimado, fazendo com que as pessoas possam enxergar a presença e o amor de Deus no meio de nós”, completou.
 
Danilo Rasera
Natural de Piracicaba (SP), Danilo começou a participar da Aliança da Misericórdia em 2003, ainda na sua cidade. Engenheiro por formação, seu processo vocacional foi posterior ao do seu irmão Leandro, que também é sacerdote, e seu ingresso na Comunidade de Vida se deu em 2010.
Suas atividades missionárias aconteceram em Piracicaba (SP), e na missão de Portugal, onde ficou por seis anos e realizou a sua formação filosófica e teológica, estudando na Universidade Católica Portuguesa.

Em 2019, retornou ao Brasil como formador, sendo ordenado diácono no dia 10 de novembro, na Igreja da Candelária (RJ), pelas mãos de Dom Orani João Tempesta.

“Nossa ordenação foi um momento muito importante, pois me despertou que o dom do sacerdócio não é para nós, mas para o povo. Cada detalhe da organização e da providência de Deus me impressionou muito. De forma especial, destaco que neste dia comemorávamos a memória de Santa Teresa de Calcutá e, desde o ensaio até o dia da ordenação, vimos a imagem dela, na entrada da Catedral e também no presbitério, e isso nos fez ter a certeza que era o momento certo que Deus predestinou para nossa ordenação, em especial pelo nosso carisma que nos chama a olhar os mais necessitados material e espiritualmente”, disse padre Danilo.
 
Lincon da Silva
Nascido em Maringá (PR), Lincon é um missionário que tem por marca sua paixão e intrepidez no anúncio da Palavra. Ele ingressou na Comunidade de Vida em 2008, mas já em 2006, em Maringá, participava do grupo da Aliança, convicto da força do Evangelho e “cheio do Espírito Santo”.

Após seu período formativo, foi enviado para Senador Camará (RJ) numa missão desafiadora, pela realidade do local. Em 2011, foi enviado para  missão em Belo Horizonte. Na capital mineira, deu início à sua formação religiosa, estudando na Faculdade Jesuíta até o ano de 2013.

Em 2015 foi enviado a São Paulo, compondo a equipe de formação dos jovens do 2º ano. Neste mesmo ano, deu seguimento a sua formação, estudando na PUC-SP.

Em 2019, foi ordenado diácono, também no dia de 10 de novembro, juntamente com o seu irmão de comunidade, Danilo Rasera. A celebração aconteceu no Rio de Janeiro, presidida pelo Cardeal Orani João Tempesta.
 
Gilson Garcia
Também piracicabano, ingressou na Comunidade de Vida no ano de 2010, em São Paulo, sendo enviado, posteriormente, às missões presentes no Rio de Janeiro e Portugal.

Sua formação também foi realizada em Lisboa, na Universidade Católica Portuguesa, durante os anos de missão no país. No final de 2019, foi ordenado diácono na diocese de Setúbal, em Portugal, pelas mãos de Dom José Ornelas.

Já no início de 2020, retornou ao Brasil e, atualmente, faz parte da equipe de formadores do 2º ano, em Ibiúna (SP).
“Ser ordenado presbítero para a Igreja de Cristo foi um momento muito especial para mim, pois nesses últimos 10 anos de formação e caminho, sempre tive o desejo de me consagrar inteiramente ao Senhor. Agora, este desejo se realizou de forma grandiosa, e por isso, pedi a Deus no dia da minha ordenação a graça da fidelidade (para morrer padre) e da humildade (para saber que sempre o meu lugar é estar junto de Jesus”, disse padre Gilson.

Aliança de Misericórdia
O Movimento da Aliança de Misericórdia nasceu a partir da quarentena de discernimento feita pelos padres João Henrique e Antonello e os irmãos Maria Paola e Dílson.

Na madrugada de 1° de janeiro de 2000, apresentaram a Maria, Mãe da Igreja e da Misericórdia, o seu “sim”.

É o nascimento da Aliança de Misericórdia, desde logo um movimento eclesial, pela presença de sacerdotes e leigos, homens e mulheres, solteiros e casados, que aderem ao mesmo carisma de formas diferentes e em vários níveis.

No dia 15 de agosto de 2005, Festa da Assunção de Nossa Senhora, o então arcebispo de São Paulo, Dom Cláudio Hummes, aprovou o estatuto do Movimento como Associação Privada de Fiéis, Aliança de Misericórdia.

O movimento surge como a missão de ser uma expressão viva do amor misericordioso, que brota do coração de Deus através da sua Igreja, para com os mais pobres.

Todos que fazem parte, são chamados a uma vida de oração e ação, ação evangelizadora e de promoção humana.

Ao mesmo tempo, desenvolvem ações para dar reais oportunidades de reinserção na sociedade aos marginalizados, sejam pessoas em situação de rua e residentes em favelas, ou pessoas em alguma situação de risco. O mais importante é que resgatem a própria vida e dos mais próximos.
 
Carlos Moioli



Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.