Arquidiocese do Rio de Janeiro

24º 18º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 23/09/2020

23 de Setembro de 2020

‘É pela graça de Deus que sou o que sou’ (1Cor 15, 10)

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

23 de Setembro de 2020

‘É pela graça de Deus que sou o que sou’ (1Cor 15, 10)

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

16/09/2020 19:56
Por: Redação

‘É pela graça de Deus que sou o que sou’ (1Cor 15, 10) 0

Neste mês de setembro, o Santuário Nossa Senhora de Loreto, na Freguesia, comemora mais uma festa que compõe o seu ano jubilar, o Jubileu de 50 anos de ordenação sacerdotal do pároco e reitor, padre Sebastião Noronha Cintra, religioso da Congregação dos Clérigos de São Paulo (Padres Barnabitas).

No dia 17 de setembro de 1970, há 50 anos, um jovem deu seu "sim" aos planos e projetos de Deus, aceitando fazer parte da renovação do sacrifício de amor no altar do Senhor.

Sebastião Noronha Cintra, filho de Acácio e de Lucy Noronha, nasceu no dia 21 de janeiro de 1946, na cidade de Brazópolis, em Minas Gerais. Após ser catequizado por sua tia e madrinha de batismo, mais tarde freira do Convento das Irmãs Beneditinas, irmã Mônica, e com autorização do pároco, recebeu com apenas cinco anos de idade a sua Primeira Eucaristia.

Em 30 de dezembro de 1956, com apenas 10 anos de idade, entrou para o seminário na Escola Apostólica Sagrado Coração de Jesus, em Caxambu (MG).

Foi na própria Paróquia de Nossa Senhora de Loreto, na Freguesia, onde hoje é pároco e reitor, que ele fez sua primeira profissão religiosa, no dia 1º de março de 1962.

Em Turim, na Itália, fez sua profissão solene em 1967, e em Roma recebeu o diaconato em 1969. No dia 17 de setembro de 1970, na sua cidade natal,  Sebastião recebeu o Sacramento da Ordem através das mãos de Dom José D’Angelo Neto, então arcebispo da Arquidiocese de Pouso Alegre (MG).

No dia 9 de outubro do mesmo ano de sua ordenação, padre Sebastião retornou à Paróquia Nossa Senhora de Loreto, na Freguesia, e em 23 de setembro de 1973 tomou posse como pároco. Por 27 anos permaneceu  guiando, ensinando e arrebanhando o povo de Deus que a ele foi confiado e, durante este período, incentivou os trabalhos pastorais, que cresciam cada vez mais, e a eles se dedicava.

Ele foi testemunha de um momento muito importante para a  comunidade, quando, a pedido do brigadeiro Márcio de Souza Melo, a igreja foi elevada ao título de santuário, em 10 de dezembro de 1970. Sob sua administração, foi construído o Ginásio Polivalente Brigadeiro Eduardo Gomes, que mais tarde se tornaria o conhecido Loretão.

Em 1997, foi eleito superior provincial da Província Centro Sul (Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo), residindo nesse período na Paróquia São Paulo Apóstolo, situada em Copacabana, na zona sul do Rio.

Em 2000, no Capítulo Geral da Congregação, em Roma, foi eleito assistente geral da mesma. Em 2001, foi transferido para Belo Horizonte (MG), assumindo a reitoria do Colégio Padre Machado.

Em 2003, assumiu a mesma função, mas no Colégio Zaccaria, no bairro do Catete, no Rio.
No Capítulo Geral de 2006 encerrou sua missão como assistente geral da congregação e, nesse mesmo ano, foi transferido para São Paulo a fim de servir na casa de formação para teólogos, na Mooca.

Em abril de 2009, padre Sebastião retornou ao Santuário Nossa Senhora de Loreto, onde continua até hoje.
A Comunidade Nossa Senhora de Loreto tem muito que agradecer ao bom Deus por ter dado o padre Sebastião como pastor para conduzi-la durante 38 dos 50 anos de seu sacerdócio. Através de suas atitudes, seu grande abraço e palavras carinhosas, muitos puderam ver o rosto misericordioso de Deus e sentir o seu amor. Suas sagradas mãos foram e são o canal da graça de Deus para muitas pessoas e, também por elas, muitos puderam se tornar filhos de Deus através do batismo. Seus olhos, testemunhas da misericórdia do Senhor, e seus pés muito caminharam para levar a Palavra de Jesus por todo o bairro de Jacarepaguá.

Padre Sebastião é o padre das famílias em Jacarepaguá. Afinal, é comum ouvirmos o testemunho de muitas famílias que guardam com carinho momentos importantes com a presença do padre: ele presidiu casamentos e batizou filhos, netos, presidiu a Primeira Comunhão de gerações, assistiu a crisma de muitos, celebrou bodas de casamentos, enfim, levou os sacramentos a muitos desta região.

Talvez nunca se consiga expressar exatamente o amor que se tem por ele e tudo o que ele representa para a história da comunidade. Continuamos a pedir a Deus que, pela intercessão de Nossa Senhora de Loreto, o abençoe, guie e ampare em todos os momentos e situações de sua vida, renovando a cada dia suas forças para que possa caminhar conosco durante muitos anos.

Ao olhar sua trajetória percebe-se a renovação do seu "sim" feito a Deus, o qual, a exemplo de Maria, o pequeno menino Sebastião soube se entregar e engrandecer o Senhor com suas atitudes e palavras e, por isso, hoje ele pode dizer: “É pela graça de Deus que sou o que sou” (1 Cor 15,10).

Colaboração: Júlia Teles



Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.