Arquidiocese do Rio de Janeiro

24º 18º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 23/09/2020

23 de Setembro de 2020

O dízimo e o perdão

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

23 de Setembro de 2020

O dízimo e o perdão

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

16/09/2020 18:06
Por: Redação

O dízimo e o perdão 0

Perdoar é entrar em comunhão com Deus. É seguir o exemplo de Maria, que perdoou todos os pecadores que levaram seu Filho à cruz.

O perdão eleva-nos aos céus, até o trono de Deus. Quando uma pessoa consegue perdoar, o Espírito Santo de Deus infunde amor em sua vida e seus atos transformam-se em amor e alegria.

Para oferecer um dízimo agradável a Deus, precisamos, além de outros requisitos, exercer o perdão: tanto pedir, quanto dar.

Devemos pedir perdão a Deus por nossos pecados, por meio do Sacramento da Reconciliação (Confissão). Estaremos, assim, reabrindo os canais das graças do Senhor, que fechamos com nossos pecados. Deus, em sua infinita misericórdia, sempre quer abrir as comportas do céu sobre nós e derramar muitas bênçãos. Com nossos pecados dificultamos, ou até mesmo impedimos, que as graças cheguem até nós. O arrependimento e a volta ao Pai abre os caminhos.

É necessário também perdoar ao nosso próximo. Perdoemos as faltas e omissões de nossos irmãos. O perdão é divino, mas com a graça de Deus é possível, mesmo, muitas vezes, sendo difícil.

Além de pedir perdão a Deus e aos nossos irmãos, para oferecer um dízimo agradável ao Senhor é preciso que não nos esqueçamos do dever de fazê-lo sempre com amor e alegria; de praticar a justiça, a misericórdia e a fidelidade; de estar sempre do lado da verdade; de exercer a caridade. Por isso, o dízimo consciente motiva-nos a ser missionários que encaminham as pessoas ao amor e ao perdão de Deus.

Não é apenas o ato de ser dizimista que nos garante bênçãos, muito além do necessário. Para que isso aconteça, é necessário que pratiquemos todos os ensinamentos de Jesus Cristo, que todos os atos de nossa vida sejam em favor do cumprimento do Plano que Deus fez para cada um de nós. O ato não é isolado, é global, de grande amplitude, de conjunto.
 
 
ORAÇÃO DO DIZIMISTA
 
Senhor!
Fazei  que  eu  seja  um  dizimista  consciente.  Que  cada  dízimo  que  eu  der,  seja  um  verdadeiro  agradecimento,  um  ato  de  amor,  o  reconhecimento  de  tua  bondade  para  comigo.

Sei  que  tudo  que  tenho  de  bom  vem  de  ti:  paz,  saúde,  amor,  prosperidade,  bens...
Ajudai-me  a  dar  com  liberalidade  e  justiça.  Tirai  todo  o  egoísmo  do  meu  coração.  Que  eu  possa  amar  cada  vez  mais  o  meu  irmão.  Quero  ser  um  instrumento  de  paz  e  amor  em  tuas  mãos.  Que  o  meu  dízimo  seja  agradável  a  ti,  Senhor! Amém.   
 
Diácono Claudino Affonso Esteves Filho
Coordenador arquidiocesano da Pastoral do Dízimo



 
Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.