Arquidiocese do Rio de Janeiro

28º 22º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 20/10/2020

20 de Outubro de 2020

Seminário São José: 281 anos de uma história de esperança

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

20 de Outubro de 2020

Seminário São José: 281 anos de uma história de esperança

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

07/09/2020 18:18
Por: Redação

Seminário São José: 281 anos de uma história de esperança 0

Duas fotos ilustram esse artigo. Numa delas vemos seminaristas do nosso Seminário Arquidiocesano com seu reitor, cônego Leandro Câmara, durante o curso de inverno que tradicionalmente acontece na fazenda das Arcas em Itaipava, e que esse ano, por causa da pandemia, aconteceu através de plataforma digital. Na segunda foto, temos os seminaristas reunidos com formadores e o Cardeal Leme, provavelmente na década de 30 ou início dos anos 40. Essas duas fotos, apear das diferenças temporais e circunstanciais que as separam, encontram-se num fato: o Seminário São José, completando no dia 5 de setembro 281 anos, mantém-se ao longo do caminhar da história, em meio às diversas circunstâncias do tempo, o seu ponto de unidade, Cristo, formador de todas as almas, e a fidelidade a seu lema – in caritate et veritate – na caridade e na verdade.

A atual situação da pandemia mundial que vivemos fez com que esse ano o seminário seguisse uma caminhada inédita nesses quase três séculos de história. Em lugar dos encontros e da vivência pessoal, vimos a necessidade de uma adaptação virtual. Também o desempenho pastoral, parte integrante da formação, se reinventou numa maior presença, já existente, mas agora mais abundante, nas redes sociais. Apesar de situações dolorosas como a impossibilidade de celebrar o patrono São José no mês de março, ou mesmo a participação na liturgia e nos sacramentos por meses, bem como as vicissitudes pessoais e familiares, a esperança em Nosso Senhor é sempre o combustível a animar formadores e seminaristas.
A história do Seminário Arquidiocesano de São José não é isenta de situações difíceis, nem estas são exclusividade de nosso tempo. Não foi sem dificuldade e empenho que D. Frei Antônio de Guadalupe conseguiu fundar a primeira casa de formação sacerdotal diocesana do Brasil em 1739, quase 200 anos depois das disposições emanadas do Concílio de Trento. Também foi difícil ao Cardeal Arcoverde a decisão de fechar o seminário em 1907, por motivos econômicos. E não foram fáceis os esforços do Cardeal Câmara em edificar as novas instalações do seminário no Rio Comprido, na década de 40.

Percebemos, assim, que a caminhada de uma casa de formação é sempre uma caminhada de esperança e de confiança no Deus providente. Dessa forma é que o Bom Pastor vai formando seu Coração no coração daqueles que se preparam para o ministério ordenado. E assim a dinâmica da vivência vocacional vai se assemelhando à história do povo de Israel, ou à história da Igreja, em que a barca, singrando o mar revolto deste mundo, confia no Senhor que, mesmo na tempestade, não abandona a barca da vida de cada vocacionado, assim como não abandona jamais a barca de Pedro, sua Igreja.

Comemorar o aniversário de 281 anos do Seminário São no contexto em que vivemos nos leva a perceber aquilo que afirmava certa vez o Santo Padre o Papa Francisco: “Cada vocação verdadeira inicia com um encontro com Jesus que nos dá alegria e uma esperança nova, e nos conduz, mesmo em meio às provações e dificuldades, a um encontro sempre mais pleno, que cresce, torna-se maior, o encontro com Ele e a plenitude da alegria”. Esse encontro sempre mais pleno, fruto da vida interior cultivada com zelo, frutifica nas obras de apostolado e cuidado pastoral, que não se deixam limitar pelas dificuldades impostas pelas mais diversas ocasiões. E pudemos perceber isso no hercúleo empenho da Igreja em se fazer presente na vida dos fiéis, apesar da distância física, das mais diversas formas.

Cada passo dado na esperança nos faz crescer na confiança e na caridade. Assim como ao longo da história, nas mais variadas situações de crise, nosso Seminário Arquidiocesano saiu mais fortalecido na confiança do Senhor, não será diferente agora. A alegria do reencontro presencial em celebrações, como a Sagração Episcopal de D. Célio Calixto no último dia 22 de agosto, a celebração do aniversário do seminário, a ordenação diaconal no dia 5 desse mês e os encontros semanais nos vicariatos, mostram como o Divino Espírito sabe trabalhar os corações, fortalecendo-os e afervorando-os, fazendo ver que a caridade que infunde em nossas almas não se limita às circunstâncias do tempo, mas é um presente da eternidade.

Que a celebração do aniversário do Seminário São José leve a todos, seminaristas, formadores, povo de Deus, a recordar as maravilhas de Deus ao longo da história de todos e de cada um em particular. Que se intensifique nossa oração pelas vocações sacerdotais, pela perseverança dos vocacionados, pela chama da esperança no coração de cada um. Só assim será possível viver na caridade e na verdade, tendo o coração fixo naqu’Ele que, sendo a própria Verdade, é também Ele mesmo o Amor, e que sempre nos congrega na fé e na esperança, seja presencialmente ou através da tela de um celular.


Seminarista Eduardo D. Santana Silva, da etapa discipulado III, 3o ano de filosofia




Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.