Arquidiocese do Rio de Janeiro

30º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 28/11/2020

28 de Novembro de 2020

Depois do castigo, a salvação!

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

28 de Novembro de 2020

Depois do castigo, a salvação!

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

01/08/2020 03:20
Por: Redação

Depois do castigo, a salvação! 0

Amados irmãos, na sequência de estudos sobre os profetas do século VIII a.C. conheceremos hoje o profeta Miqueias e a sua profecia, tão utilizada em nossa liturgia no final do ano. Miqueias, mîkâyâhû, “quem como o Senhor!?”, nasceu em Morasti (Moréshet), pequena aldeia de Sefela, região meridional da Judeia situada a 35 km de Jerusalém. Realizou sua atividade profética em Judá durante os reinados de Joatão (739-734 a. C.), Acaz (734-727) e Ezequias (727-698), respectivamente, sendo contemporâneo, em certo período, a Isaías. No final de seu ministério dirigiu-se a Samaria (reino do Norte), tendo sido testemunha da queda da cidade, em 721 a.C. Homem do campo, apresenta um estilo muito parecido ao de Amós, tendo tido grande relevância em sua missão ao conseguir o arrependimento do rei Ezequias (Jr 26,18ss).

O seu livro, dividido em quatro partes, é um conjunto de lamentações, oráculos de condenação e salvação. O redator final, que encerrou seu trabalho depois do exílio, é o responsável por essa estrutura e fez questão de enfatizar a intenção teológica do livro: a história do povo tem sempre duas etapas sucessivas, uma de juízo e castigo e outra de salvação e bonança! Os temas principais são as injustiças sociais e a esperança da salvação. Exposto nos três primeiros capítulos, o tema das injustiças fica evidente na denúncia feita aos abusos dos que planejam o mal (acumuladores) contra as viúvas e os órfãos, líderes políticos e religiosos que deveriam ser os principais promotores das leis e não os seus violadores. Por outro lado, a mensagem de Miqueias não se fecha apenas na denúncia, mas, sobretudo, anuncia a esperança, uma vez que o próprio Senhor confundirá os que praticam o mal, despojando das riquezas os que as acumularam e envergonhará aos falsos profetas, salvando assim o seu povo. Só de Deus virá a salvação definitiva! “Eu, porém, volto meus olhos para o Senhor, ponho minha esperança no Deus de minha salvação; meu Deus me ouvirá.”, Mq 7,7. De fato, Deus fará ressurgir o povo de Israel dentre aqueles que suportaram todo o tipo de humilhações, tendo permanecido na fidelidade.

No N.T. encontramos algumas referências ao livro do profeta Miqueias, sendo a principal delas a de Mq 5, que mostra que Belém deveria ser o berço do Messias Salvador.
 
“Mas tu, Belém Efrata, embora pequena entre os clãs de Judá, de ti virá para mim aquele que será o governante sobre Israel. Suas origens estão no passado distante,em tempos antigos.” Mq 5,1
 
Essa passagem é um oráculo de salvação que anuncia a vinda de um governante. Ele chegará num momento determinado, regirá o povo, em nome, e, com o poder do Senhor. Belém, a cidade do rei Davi, será o seu berço, razão pela qual o texto exalta a sua humildade. Esse governante, nascido em Belém, dominará a todo o Israel. Ele será “um novo Davi” e chegará depois de um tempo de muita penúria e desgraça. O momento da sua chegada é indicado no versículo segundo, através das imagens de um nascimento e do retorno do resto de Israel, alusão clara ao retorno do desterro, quando os filhos de Jerusalém voltarão para casa! Esse novo Davi será um Rei Pastor, um monarca que iniciará uma nova dinastia, humilde, nobre, governando Israel como um escolhido do Senhor. Em Nome do Senhor e com o Seu poder! Ele estenderá seu domínio até os confins da Terra (Is 11,1-5). A Tradição, por meio de São Cirilo de Jerusalém, São Justino e São João Crisóstomo, sempre viu nesse texto uma clara referência a nosso Senhor Jesus Cristo (Mt 2,4aa; Jo 7,40ss), o Messias nascido em Belém.

A partir da profecia de Miqueias, caríssimos irmãos, podemos hoje fixar os nossos corações na salvação prometida pelo Senhor e, assim, superar todas as barreiras que se impõem em nosso caminho. Como bem diz o livro, sempre há uma nova etapa de salvação e bonança na vida daqueles que servem ao Senhor na fidelidade, os pequeninos que esperam tudo de Deus.

Que a sua vida seja novamente preenchida dessa esperança sobrenatural e que você possa reconhecer, no dia a dia, o cumprimento de cada uma dessas promessas da Escritura a seu respeito.
Deus abençoe!
 
Padre Igor Antônio Calgaro
Vigário paroquial da Paróquia Santa Teresinha, em Botafogo
Pensedireito.info
 


 
Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.