Arquidiocese do Rio de Janeiro

24º 21º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 31/10/2020

31 de Outubro de 2020

Arquidiocese do Rio institui o Fundo Sacerdotal Cardeal Sales

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

31 de Outubro de 2020

Arquidiocese do Rio institui o Fundo Sacerdotal Cardeal Sales

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

12/07/2020 15:45
Por: Redação

Arquidiocese do Rio institui o Fundo Sacerdotal Cardeal Sales 0

O arcebispo metropolitano, Cardeal Orani João Tempesta, instituiu na Arquidiocese do Rio de Janeiro o Fundo Sacerdotal Cardeal Sales para promover a formação acadêmica, de assistência espiritual, moral, cultural e cívica  de sacerdotes, diáconos, seminaristas e leigos, seguindo as diretrizes da Igreja Católica.

A cerimônia de instituição ocorreu no saguão do subsolo da Catedral de São Sebastião, no Centro, no dia 9 de julho, após a missa em sufrágio pela alma do Cardeal Eugenio de Araujo Sales, no oitavo aniversário de sua páscoa, realizada na Cripta da Catedral, onde está sepultado seu corpo.
Na presença de seus bispos auxiliares e diversos sacerdotes, Dom Orani destacou que o Fundo Sacerdotal foi dedicado ao Cardeal Sales em função do trabalho que realizou na promoção das vocações, na construção de um novo prédio para o seminário, na criação das faculdades de filosofia e teologia, e na formação dos sacerdotes.

“Quando o Cardeal Sales chegou ao Rio, havia falta de vocações, e ele, com muito entusiasmo, trabalhou na promoção das vocações e até construiu o novo prédio do seminário. Aproveitamos a data de sua páscoa definitiva para lançar o Fundo Sacerdotal, que tem a finalidade de prover recursos aos padres que querem se especializar, uma vez que há  diminuição de bolsas internacionais”, explicou.

Segundo o arcebispo, o Fundo Sacerdotal contará com a contribuição de benfeitores. Após o período de estudos, os beneficiados pela ação se tornarão colaboradores na formação sacerdotal.

“O Fundo Sacerdotal vai contar com a colaboração do próprio clero, de benfeitores e de empresas que desejam ajudar na formação dos sacerdotes. Depois de capacitados como professores, irão ajudar na formação dos futuros padres e também do nosso laicato”, comentou.

Fundação
Na qualidade de presidente geral da assembleia de fundação, Dom Orani esclareceu que o Fundo Sacerdotal Cardeal Sales é uma associação canônica, mas também civil. Na forma da lei, nomeou o bispo auxiliar Dom Juarez Delorto Secco para secretariar os trabalhos e redigir a respectiva ata.

Na pauta prevista, foi analisada e aprovada a fundação da associação, além de definidos os estatutos e a indicação da diretoria administrativa para o mandato de 2020 a 2023, ficando constituídos como presidente, padre André Luiz Rodrigues da Silva, vice-presidente, padre Fábio Luiz de Souza, secretário, padre Fábio de Souza Balbino, e ecônomo, padre Ionaldo Pereira da Silva.

Clero e laicato
Segundo o bispo animador dos seminários, Dom Roque Costa Souza, a associação é um projeto de formação que não será restrito apenas ao clero, mas também aos leigos e leigas.

“A fundação envolverá sacerdotes, diáconos, seminaristas e leigos. Ela estará aberta a essas realidades, as quais serão submetidas a uma comissão que analisará as necessidades da Igreja. Será um investimento na formação de futuros professores”, afirmou.

Formação permanente
De acordo com o diretor da associação, padre André Rodrigues, o Fundo Sacerdotal tem como objetivo principal pensar, regular e levantar fundos para os estudos dos sacerdotes que normalmente vão para a Europa, ou em outros países, para fazer mestrado ou doutorado.

“A partir da constituição da associação, os estudos serão direcionados e acompanhados. Vamos procurar verificar as necessidades acadêmicas tanto do Seminário São José quanto da Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio). A pensar nas necessidades do futuro, quais são as disciplinas que estarão, por exemplo, precisando de novos professores. O fundo vai se ocupar em pensar como se pode criar um programa de formação de novos sacerdotes professores que possam, então, suprir as necessidades”, disse o diretor.

Neste sentido, fazem parte do conselho do Fundo Sacerdotal tanto o reitor do seminário, hoje cônego Leandro Câmara, quanto o diretor do Departamento de Teologia da PUC-Rio, hoje, padre Waldecir Gonzaga.

“Nós queremos criar uma parceria de modo que possamos trabalhar para identificar as vocações acadêmicas, as necessidades futuras e, a partir daí, promover aqueles que irão estudar fora. Hoje, esse trabalho é feito pelos bispos auxiliares, que irão continuar escolhendo, só que agora vamos trabalhar com projetos que apoiem isso”, disse.

Padre André Rodrigues destacou que o Fundo Sacerdotal irá se preocupar com as questões financeiras e iniciativas para levantar fundos para manter os formandos. “Normalmente, os padres que vão para Roma ficam hospedados no Pio Brasileiro e estudam nas universidades pontifícias”. Outra atenção será verificar quais são as instituições filantrópicas que ainda continuam cedendo bolsas de estudo.

O Fundo Sacerdotal também vai apoiar, com antecedência, os padres que estão pensando futuramente estudar fora do Brasil. “O ideal é fazer um projeto antes do início dos estudos. Quando a pessoa voltar, procurar publicar a sua obra, fruto de seus estudos. Desta forma, iríamos criar fundos, uma reserva financeira que possa nascer das publicações acadêmicas”, disse.

A associação quer trabalhar com a formação permanente do clero, para  que mais padres e diáconos possam se empenhar nos estudos, no  Brasil ou em outros países, para fazer mestrado e doutorado, e tudo que estiver relacionado à formação permanente.

“São os objetivos básicos que temos estudado junto com Dom Orani para começar a pensar em algo que possa efetivamente ajudar. Após a aprovação dos estatutos, temos pela frente o trabalho de pensar e estabelecer o regimento. O mais importante é trabalhar com as bênçãos de Dom Orani para fazer o melhor para a Santa Igreja”, concluiu padre André Rodrigues.



Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.