Arquidiocese do Rio de Janeiro

26º 21º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 06/06/2020

06 de Junho de 2020

Pelo fim da pandemia, Cardeal Tempesta consagra o Rio de Janeiro e o Brasil ao Imaculado Coração de Maria: ‘Nossa Senhora vai ao encontro do povo’

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

06 de Junho de 2020

Pelo fim da pandemia, Cardeal Tempesta consagra o Rio de Janeiro e o Brasil ao Imaculado Coração de Maria: ‘Nossa Senhora vai ao encontro do povo’

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

13/05/2020 00:00 - Atualizado em 14/05/2020 01:34
Por: Cardeal Orani Jõao Tempesta

Pelo fim da pandemia, Cardeal Tempesta consagra o Rio de Janeiro e o Brasil ao Imaculado Coração de Maria: ‘Nossa Senhora vai ao encontro do povo’ 0

Em meio às incertezas provocadas pela pandemia, a Igreja não deixou de celebrar no dia 13 de maio, a memória de Nossa Senhora de Fátima, de atualizar os pedidos que ela fez na Cova da Iria de rezar a oração do Rosário, deixar de ofender a Deus, fazer penitência e reparar os pecados.

No Rio de Janeiro, em sintonia com o Santuário de Fátima, em Portugal, o “altar do mundo”, o arcebispo metropolitano, Cardeal Orani João Tempesta, presidiu missa e conduziu a oração do ângelus no Santuário de Nossa Senhora de Fátima, no Recreio dos Bandeirantes, o único no mundo a ter uma réplica fiel da Capela das Aparições de Fátima.

Como pastor da Igreja no Rio de Janeiro, Dom Orani consagrou a cidade e o Brasil ao Imaculado Coração de Maria, pedindo a Mãe de Deus pelo fim da pandemia, para que o povo possa ter confiança e esperança por dias melhores.

Logo no início da celebração, o arcebispo rezou por todos os profissionais de saúde, de maneira especial pela vocação dos enfermeiros e enfermeiras, pelos doentes e falecidos vítimas do Covid-19, seus familiares, e ainda por todos aqueles que atuam nos serviços essenciais.
Já na homilia, Dom Orani destacou que a celebração deste ano, já que os templos estão fechados, é vivenciada de uma maneira diferente.

“Em vez de o povo vir aos santuários e paróquias, é a Virgem Maria quem vai ao encontro do povo, em suas casas. Ela está sempre indo, de diversas formas, ao encontro de seus filhos. Neste dia, é ela quem visita as famílias e leva consigo o Filho. Onde ela está, está Jesus Cristo”, disse.

Fazendo uma reflexão do momento atual e diferente em que o mundo está atravessando, Dom Orani recordou que muitas pessoas se esqueceram do valor da cruz.

“Fomos levados a acreditar na onipotência do homem e em sua própria ciência. Pensávamos que nada poderia acontecer e se acontecesse, logo teríamos a solução, ou um remédio ou uma vacina, e em poucos dias tudo estaria resolvido, apenas com dinheiro e ciência. Vimos que já se passaram alguns meses desde o início da pandemia e não há nenhuma solução, a não ser a necessidade de isolamento social”, completou.

O arcebispo também destacou que, a partir desse momento difícil, a sociedade preocupou-se e valorizou mais a vida e a família.

“O momento faz com que as pessoas passem a ver a própria vida de maneira diferente. Tínhamos uma sociedade que, por vezes, não valorizava a vida, desde a sua concepção até a morte natural. Percebemos o quanto as pessoas hoje veem a importância da vida e, permanecendo em suas casas, a importância da família. Quando o homem vê que não é onipotente nem pode tudo, é que se redescobre ou aprofunda-se um pouco mais a dimensão da fé”, acrescentou.

Brasil consagrado ao Imaculado Coração de Maria
Após a missa, concelebrada pelo bispo auxiliar e reitor do Santuário de Fátima, Dom Antonio Augusto Dias Duarte, e mais dois sacerdotes, o Cardeal Tempesta fez a oração do Ângelus, concluindo com a consagração ao Imaculado Coração de Maria.

“Hoje é um dia especial para a devoção do povo. Que os devotos experimentem o consolo da presença da Mãe em suas vidas. Hoje é Maria que vem a cada um de nós para dizer que ela permanece conosco”, afirmou.

Assim como atualmente o mundo vive tempos difíceis, a Europa também enfrentava grandes desafios no período das aparições. Maria foi um sinal de esperança para o povo.

“Naquele momento, acontecia a Primeira Guerra Mundial, a epidemia da gripe espanhola e uma ideologia contrária à fé. Por conta disso, os pastorinhos foram torturados para que negassem as aparições da Virgem Maria na Cova da Iria. Os pastorinhos Francisco e Jacinta morreram bem jovenzinhos, vítimas da gripe espanhola, hoje intercedem do céu, por nós. Também temos incertezas, mas sabemos que Maria caminha conosco”, sublinhou.

O pão de Fátima
O arcebispo do Rio deu a bênção na Cozinha Solidária, iniciativa da Associação Arquidiocesana Tarde com Maria, onde são preparadas, diariamente, cerca de 500 quentinhas, as quais são distribuídas para pessoas em situação de vulnerabilidade social. O cardeal ainda abençoou a Padaria Solidária, inaugurada há um mês, que produz, todos os dias, pelo menos 7.500 pães – conhecidos como “Pão de Fátima”, os quais são distribuídos em 120 comunidades da arquidiocese pelo Santuário do Cristo Redentor.

Para Dom Orani, a ação social e o zelo para com o próximo já é evidente desde os inícios da Igreja.

“Esse trabalho de bem se soma a todos os outros que realizados em nossa arquidiocese. A Igreja traz consigo, na sua gênese, a questão dos necessitados. Isso já acontece desde o começo da Igreja, com a criação dos diáconos, sempre voltada para a questão social, a saúde, as escolas, os idosos, seja por meio das congregações ou pessoas de bem que realizam pelo Senhor, que vê no outro, a pessoa do próprio Cristo. Junto com toda a devoção a Mãe de Deus, vem à preocupação com o outro, com os pobres, sinal de quem vê, para e cuida, assim como fez o bom samaritano”, encerrou.

Ainda na ocasião, Dom Orani deu a bênção em todos os aparelhos eletrônicos utilizados para as transmissões das celebrações on-line.

CONSAGRAÇÃO AO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

Rainha do Santíssimo Rosário de Fátima, auxílio dos cristãos, refúgio do gênero humano, vencedora de todas as batalhas: ante vosso Trono nos prostramos suplicantes, seguros de impetrar misericórdia e de alcançar graça e oportuno auxílio e defesa na presente calamidade, não por nossos méritos, mas sim unicamente pela imensa bondade de vosso maternal Coração.

Nesta hora trágica da história humana, a vós, ao vosso Imaculado Coração, nós nos entregamos e nos consagramos, em união com a Santa Igreja, Corpo Místico de vosso Filho Jesus, que sofre em tantas partes, e também com todo o mundo dilacerado pela pandemia, especialmente o nosso Brasil.

Que vos comovam tantas ruínas materiais e morais, tantas dores, tantas angústias de pais e mães, de esposos, de irmãos, de crianças inocentes.
Vós, ó Mãe de misericórdia, consegui-nos de Deus o livramento desta pandemia e a paz; e, principalmente, as graças que podem converter os nossos corações: as graças que reparam, reconciliam e asseguram o nosso acesso ao Coração de vosso Filho.

Rainha da paz, rogai por nós e confortai os médicos, os enfermeiros, os profissionais de saúde e os cuidadores voluntários, fortalecei as famílias e reforçai-nos na cidadania e na solidariedade, sede a luz e companhia dos moribundos, acolhei no reino de vosso Filho, os defuntos; afastai de nós todo o mal e livrai-nos da pandemia que nos atinge.

Concedei vossa proteção aos que vivem esquecidos do amor de Deus, a quantos jazem ainda nas sombras da morte existencial e da incredulidade.
Obtende paz, liberdade e unidade completa para a Igreja Santa de Deus. Fomentai em todos nós o amor à conversão pela prática da vida cristã, da penitência e do zelo apostólico, a fim de que aumente em méritos e em número o povo dos que servem a Deus.

Finalmente, assim como foram consagrados ao Coração de vosso Filho Jesus a Igreja e todo o gênero humano, para que, postas n’Ele todas as esperanças, fosse para eles sinal de vitória e de salvação; de igual maneira, ó Mãe nossa e Rainha do Mundo, também nos consagramos para sempre a vós, ao vosso Imaculado Coração, para que sejais vós, ó Virgem Santa Maria e Senhora do Rosário de Fátima, a Saúde dos Enfermos e o refúgio dos discípulos de vosso Filho, gerados junto à Sua Cruz, ó Rainha do nosso coração e de toda a humanidade.

Amém.


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.