Arquidiocese do Rio de Janeiro

24º 21º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 05/06/2020

05 de Junho de 2020

Covid-19: Psicólogos Católicos realizam atendimento online gratuito na Arquidiocese do Rio

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

05 de Junho de 2020

Covid-19: Psicólogos Católicos realizam atendimento online gratuito na Arquidiocese do Rio

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

10/05/2020 00:00
Por: Redação

Covid-19: Psicólogos Católicos realizam atendimento online gratuito na Arquidiocese do Rio 0

Problemas psicológicos e mentais têm se tornado cada vez mais comuns em todo o mundo. Um recente estudo da IBM intitulado: "How technology and data can improve access to mental health resources" ('Como a tecnologia e os dados podem melhorar o acesso aos recursos de saúde mental') indica que mais de 10% da população mundial, cerca de 1 bilhão de pessoas, são afetadas por problemas de saúde mental. No Brasil, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 12 milhões de pessoas sofrem de depressão e 19 milhões padecem de algum transtorno de ansiedade, o que faz com que o país ocupe o primeiro lugar da lista de nações mais ansiosas do mundo.

Diante deste contexto, somado ao cenário de incertezas provocadas pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) com seus riscos de contaminação, mudanças súbitas de rotina, sentimento de solidão, novos hábitos, instabilidade econômica e inseguranças quanto ao futuro, é que o Grupo dos Psicólogos Católicos da Arquidiocese do Rio de Janeiro (GPC ArqRio) iniciou, no dia 4 de maio, o projeto "Atendimento Online", com o objetivo de prestar auxílio psicológico às pessoas que necessitem de equilíbrio emocional decorrente da crise causada pelo isolamento social.

"Sob a coordenação geral de nosso bispo auxiliar Dom Antonio Augusto Dias Duarte, o GPC ArqRio tem uma finalidade científica e social inspirada por princípios ético-profissionais e evangélicos, aberto a todas as crenças e pensamentos compatíveis com o valor da pessoa humana e o bem de todos os cidadãos. A finalidade desta nova iniciativa desenvolvida pelo grupo é ajudar emocionalmente aqueles que, neste triste e lamentável período da História, vivenciam crises, inclusive, existenciais e de falta de sentido", afirmou a psicóloga clínica e especialista em logoterapia, Sônia Nascimento, que também faz parte da coordenação do grupo de voluntários.

O projeto "Atendimento Online" foi desenvolvido para atender, através da psicoterapia e da escuta acolhedora, pessoas de todas as idades, enquanto durar este período de isolamento social estabelecido pelas autoridades civis e, principalmente, pelos órgãos públicos de saúde na cidade do Rio de Janeiro. Atualmente, a ação conta com 29 psicólogos e estudantes de psicologia (sob supervisão) que se dispuseram ao serviço voluntário e que, juntos, realizarão 700 atendimentos por mês. Devido à grande procura, muito acima do previsto, a coordenação do grupo não descarta a hipótese de convidar outros psicólogos católicos para somar à primeira equipe e, assim, cumprir a missão que é atender toda a demanda. Até o fechamento desta edição, eram 943 inscritos (cerca de 70% mulheres, 25% homens e 5% idosos) não só da cidade do Rio de Janeiro, mas também de outros municípios do Estado do Rio, como Nova Iguaçu, Campos dos Goytacazes e Nova Friburgo, pessoas de outros estados, como São Paulo e Maranhão, e até um residente no exterior, do Canadá.

O psicólogo e especialista em terapia de casal e família pela PUC-Rio, Sebastião Ferreira, que também faz parte da equipe que coordena os voluntários, destacou que, nos atendimentos, deseja levantar reflexões para que as pessoas possam entender o momento que atravessam e chegarem ao entendimento interior para compreender suas aflições.

"Apesar de já prestar serviço voluntário por mais de 20 anos e, desde 2012, estar me dedicando a essa prática na Paróquia Nossa Senhora de Loreto, na Ilha do Governador, para mim não houve uma motivação, mas um chamado interior para me colocar à disposição da nossa Igreja e levar a assistência àquele que está recolhido em casa, mas, também, enclausurado, sendo 'açoitado', constantemente, pelo medo na sua mente. Desejo que as pessoas atendidas possam, também, se inspirar, se fortalecer, ter atitudes com quietude diante do caos e que, através do silêncio, possam se reencontrar com a paz", disse.

Coordenando também os voluntários do projeto "Atendimento Online", a psicóloga Patrícia Damiana ressaltou o valor da ciência e da missão.
"O convite da Sônia Nascimento em nosso Grupo dos Psicólogos Católicos para colaborar no time de voluntários desta iniciativa significa para mim um grande desafio e também uma missão ao que a vida nos chama neste tempo atual da pandemia. Acredito que com a nossa ciência da psicologia poderemos, como profissionais de saúde, colaborar no acolhimento e cuidado psicológico das pessoas que estarão buscando ajuda", ponderou Patrícia.

Missão Acolhedora: 'a misericórdia não abandona quem fica para trás'
Pautados pelos valores cristãos, os psicólogos Ana Gabriella Costa, Ana Maria Faria e Dyego do Carmo demonstram a expectativa daqueles que, durante sua formatura, se comprometeram a colocar a profissão a serviço da sociedade brasileira, promovendo saúde e qualidade de vida a cada cidadão. Em suas falas, uma única palavra define o desejo de todos os profissionais da área que estarão em ação no "Atendimento Online": acolher!
"Poder ajudar as pessoas nesse momento tão difícil de quarentena forçada em função da pandemia do Covid-19 foi a grande motivação para participar desta iniciativa. Desejo, através do meu trabalho, transmitir esperança e acolhimento em um espaço de escuta, no qual as pessoas possam se abrir e falar de suas angústias", contou Dyego do Carmo.

"O que me motivou a participar deste projeto foi perceber o quanto as pessoas estão sofrendo com as mudanças advindas pela pandemia do novo coronavírus. As grandes mudanças de rotina e o isolamento forçado trouxeram também profundas perdas afetivas, estruturais e sociais. Diante desses fatos, o mínimo que eu posso fazer é ser solidária e doar o meu tempo a essas pessoas que precisam de um apoio. Anseio transmitir palavras que acolham, orientem ou tragam um pouco mais de esperança e resiliência para esse momento", pontuou Ana Gabriella Costa.

"Sou motivada a participar de iniciativas como essa em função dos exemplos deixados pelo meu pai. Ele sempre socorria quem o pedia ajuda e, na maioria das vezes, nem cobrava por seus serviços como enfermeiro. Sempre mostrava satisfação em ajudar. Observando, quis sentir o que ele sentia e o que ele via em seus olhos. Sendo assim, sempre que possível faço o mesmo. Quero levar às pessoas que atender um pouco de acolhimento, o conhecimento de si mesmas, da paz e da presença de Deus no mundo, a fim de mostrá-las que elas não estão só", concluiu Ana Maria Faria.
Ao realizarem tamanha empreitada, o Grupo dos Psicólogos Católicos da Arquidiocese do Rio de Janeiro busca entender os impactos da pandemia sobre a saúde mental e compreende sua importância, indicando que a sociedade repense suas prioridades, do ponto de vista emocional e das relações.

Em comunhão com o Papa Francisco e atentos à sua exortação sobre a possibilidade e o risco de que o vírus da 'indiferença egoísta' atinja a Humanidade, os Psicólogos Católicos testemunham que 'a misericórdia não abandona quem fica para trás', e assumem o compromisso pastoral da Igreja “para que todos tenham vida, e a tenham com abundância” (Jo 10,10).

Colaboração: Raphael Freire


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.