Arquidiocese do Rio de Janeiro

30º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 13/08/2020

13 de Agosto de 2020

Igreja no Rio acolhe imagem peregrina da Virgem de Loreto, padroeira dos aviadores

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

13 de Agosto de 2020

Igreja no Rio acolhe imagem peregrina da Virgem de Loreto, padroeira dos aviadores

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

27/12/2019 00:00
Por: Redação

Igreja no Rio acolhe imagem peregrina da Virgem de Loreto, padroeira dos aviadores 0

Dentro das comemorações do Ano Lauretano, a imagem peregrina de Nossa Senhora de Loreto chegou na pérgola da Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, no início da tarde do dia 26 de dezembro, sendo recebida pelo arcebispo metropolitano, Cardeal Orani João Tempesta. A imagem da padroeira universal dos aviadores veio de São Paulo, transportada em um avião da Força Área Brasileira, sob os cuidados do comandante-geral da Aeronáutica, tenente-brigadeiro-do-ar Antonio Carlos Moretti Bermudez. Antes de chegar ao Brasil, a imagem que saiu do Santuário de Nossa Senhora de Loreto, na Itália, passou por Roma. 

“É uma honra receber a imagem da nossa padroeira por este ano de comemorações convocado pelo Papa Francisco e pela sua passagem em nossas bases militares”, disse o comandante da Ala 11, a antiga Base Aérea do Galeão, brigadeiro-do-ar Fernando César da Costa e Silva Braga.

Após a montagem da imagem que veio numa caixa, ela foi colocada numa berlinda e conduzida até a Ala 11 da própria Base Área do Galeão, onde foi realizada a missa de acolhida, presidida por Dom Orani e concelebrada por capelães das bases aéreas da cidade.

Segundo explicou Dom Orani, o Ano Lauretano, que será realizado de 8 de dezembro de 2019 até 10 de dezembro de 2020, foi convocado pelo Papa Francisco em comemoração ao centenário da proclamação de Nossa Senhora de Loreto como padroeira dos aviadores e de todos os que viajam de avião, a ser celebrado no dia 24 de março de 2020.

“Estamos felizes por receber a imagem peregrina de Nossa Senhora de Loreto em nossa arquidiocese e, junto com a Igreja no mundo inteiro, celebrar o Ano Lauretano. A imagem da padroeira chega quando estamos celebrando a Oitava de Natal, a Festa da Sagrada Família, cuja Casa de Loreto viveu Jesus, Maria e José, e também a Solenidade da Santa Mãe de Deus, Maria. São momentos celebrativos que marcam a fé de nosso povo e que remetem ao carinho que os cristãos dos séculos XII e XIII tinham em conservar a presença histórica de Cristo neste mundo. Será um tempo de bênçãos. Pedimos a Deus que nos ajude a pensar nas coisas do alto, e com Maria saibamos viver cada vez mais os valores do Evangelho”, disse.

Dom Orani acrescentou que este evento não estava planejado, mas ficou agradecido quando o capelão internacional de Roma ligou para confirmar o recebimento da imagem, que ficará na arquidiocese até o dia 5 de janeiro, passando pelas capelanias militares de nossa cidade, pelo Aeroporto de Jacarepaguá e, no dia 31 de dezembro, estará aos pés do Cristo Redentor, no Corcovado, para a missa de passagem do ano.

“A imagem peregrina também passará por outras paróquias da arquidiocese, sendo duas dedicadas a Virgem de Loreto. Uma dessas paróquias, situada na Freguesia, em Jacarepaguá, e erigida em 1661, tornou-se santuário em 1970, por ocasião dos 50 anos da proclamação de Nossa Senhora de Loreto como padroeira dos aviadores, criado pelo nosso antecessor, Dom Jaime de Barros Câmara, a pedido da própria Aeronáutica”, recordou o arcebispo.

Na homilia, Dom Orani reafirmou que a Casa de Loreto foi conservada numa época em que estavam sendo dizimados todos os sinais cristãos da Terra Santa e, segundo a tradição, foi transportada pelos anjos até Loreto. Ele destacou a importância de se valorizar e conservar os sinais cristãos e, neste contexto, recordou a carta apostólica do Papa Francisco intitulada “Admirável sinal”, que aborda o significado e valor do presépio, que também é um sinal da presença de Jesus Cristo na história. Por outro lado, disse que este acontecimento visibiliza para os tempos atuais o respeito pela diversidade, ideias e religiões.

O arcebispo destacou ainda que Nazaré marcou a vida oculta de Jesus até os 30 anos, antes de dar início a sua vida pública.
“Foi em Nazaré que Maria ouviu o anúncio que seria a mãe do Filho de Deus e disse seu ‘sim’. Quando se reza a Oração do Ângelus em Nazaré, se diz ‘aqui o Verbo se fez carne’, lembrando que foi em Nazaré que aconteceu o grande mistério onde o Verbo se fez carne no ventre de Maria. Peçamos a Deus para que através desta tradição e devoção a Nossa Senhora de Loreto, os anjos possam assistir a todos a pessoas que trabalham ou utilizam o transporte aéreo”, disse.

No final da celebração, o comandante Bermudez agradeceu o acolhimento por parte de Dom Orani e salientou a sua alegria em participar do Ano Lauretano.

“Para nós da Força Aérea Brasileira, é um tempo de júbilo. Temos nossos padroeiros, Eduardo Gomes, da Força Aérea Brasileira, e Santos Dumont, da aviação brasileira, mas Nossa Senhora de Loreto é a nossa padroeira celeste, a padroeira de todos os aviadores”, disse o comandante, que anunciou a entrega de placas comemorativas por ocasião da visita da imagem da padroeira.

Os agraciados foram Dom Orani e os padres capelães militares: major Adilson Costa, do Campo dos Afonsos, tenente Fabio Macereau dos Santos, de Santa Cruz, e tenente Valmir Silvano, da Ala 12 do Galeão.

Entre os sacerdotes presentes, o pároco da Paróquia Nossa Senhora de Loreto, no Galeão, na Ilha do Governador, padre Alex Coêlho Sampaio, e o coordenador arquidiocesano de pastoral, cônego Cláudio dos Santos.

“A visita da imagem peregrina de Nossa Senhora do Loreto nos pegou de surpresa. Tínhamos receio, por causa do recesso na área militar, mas conseguimos organizar uma bela programação. Tudo isso foi possível porque houve acolhimento e comunhão por parte dos capelães militares. A Mãe de Deus sempre abre portas e caminhos”, disse cônego Cláudio dos Santos.

Carlos Moioli




Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.