Arquidiocese do Rio de Janeiro

29º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 07/04/2020

07 de Abril de 2020

Presbitério de paróquia em Marcílio Dias ganha novo visual

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

07 de Abril de 2020

Presbitério de paróquia em Marcílio Dias ganha novo visual

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

06/12/2019 15:23
Por: Carlos Moioli

Presbitério de paróquia em Marcílio Dias ganha novo visual 0

Os fiéis da comunidade Marcílio Dias, na Penha Circular, estão felizes e agradecidos pelo novo visual do presbitério da Paróquia Nossa Senhora Aparecida. 

Quando assumiu a paróquia no dia 8 de junho de 2019, padre Celso Lima Ferreira Júnior percebeu que a comunidade tinha o desejo de restaurar a casa de Deus. O terreno fica muito próximo da Baía de Guanabara, sobre uma área aterrada, na antiga Praia da Moreninha.

Na primeira reunião que fez com a comunidade, por exemplo, umas das paroquianas mais antigas, Maria da Glória de Barros, conhecida como Mazé, sugeriu que a igreja tivesse na parte interna uma cor mais clara. Até então, sua cor era marrom.

Levando em consideração que a paróquia é dedicada à padroeira do Brasil, padre Celso teve a iniciativa de restaurar, numa primeira etapa, a fachada do presbitério com uma réplica dos painéis do Santuário de Aparecida (SP) concebida pelo artista sacro Cláudio Pastro.

“Como a paróquia é dedicada a Nossa Senhora Aparecida, fiquei motivado em oferecer à comunidade o mesmo simbolismo expresso nos painéis do Santuário Nacional de Aparecida. Em cada lado do nicho da padroeira colocamos azulejos das 12 mulheres do Antigo Testamento que prefiguram a Virgem Maria. Na festa da padroeira deste ano preparamos um acesso para que os fiéis pudessem ficar mais próximos da imagem da padroeira e pudessem fazer a experiência de fé como se estivessem em Aparecida”, disse padre Celso, que neste dia 8 de dezembro, celebra o primeiro aniversário de ordenação sacerdotal.

Também foram inseridos na igreja um painel da história do encontro da imagem da padroeira no Rio Paraíba; a imagem do cordeiro, pintada na parede externa da Capela do Santíssimo; e na mesma capela, uma pintura que remete à pessoa de Jesus como a ‘videira’, conforme descreve o Evangelho de João (Jo 15,5).

A restauração foi possível, explicou padre Celso, porque foram oragnizados almoços, doações de amigos e os paroquianos voltaram a contribuir com o dízimo.

“Nada disso seria possível sem a ajuda de cada paroquiano, sobretudo dos coordenadores de pastorais que acreditaram nesse sonho que com muita luta se tornou realidade. Agora, estamos nos preparando para a segunda etapa da obra, que é a conclusão da pintura da igreja e a reforma da fachada”, disse.

Ele contou com a ajuda de profissionais católicos muito capacitados, tanto para a confecção dos desenhos da capela e das laterais do presbitério, como para a colocação do painel. Vale destacar que desde o início da obra até seu final, dois paroquianos voluntários estiveram presentes ativamente em todo tabalho de alvenaria, Fernandes e Iran.

Padre Celso destacou ainda que a iniciativa foi para valorizar os fiéis da comunidade que surgiu por meio de Dom Eugenio de Araujo Sales, que “lutou para que os terrenos fossem concedidos por parte do governo municipal aos moradores”. Em função disso, a principal rua da comunidade tem o seu nome, e, agora, padre Celso trabalha para inaugurar um busto no local, para deixar registrado o que Dom Eugenio fez pela comunidade.

Foi assim que também surgiu a comunidade de fé, a construção inicialmente de uma capela, hoje paróquia, que “recebeu a visita de Santa Teresa de Calcutá, quando ela veio ao Rio na década de 1980, pois na época, a comunidade eclesial estava sob os cuidados das Missionárias da Caridade”, concluiu padre Celso.

Beatriz Oliveira Gonçalves, que conhece a realidade da comunidade paroquial desde pequena e sempre atuou cantando nas celebrações, disse que tinha o sonho de uma igreja clara, mas muitos diziam que havia necessidade de um projeto, de acompanhamento de um engenheiro, de fazer campanhas por muito tempo para juntar dinheiro. “Padre Celso veio e resolveu tudo rápido. Estamos felizes por ver nossa igreja tão bonita”, disse.

De acordo com José Maria de Lima, que sempre esteve à disposição dos párocos para serviços, ajudando no que fosse preciso, destacou o empenho do novo pároco: “Padre Celso foi ousado e corajoso. As obras seguiram com rapidez e foram concluídas em dois meses”, disse José Maria.

Carlos Moioli



Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.