Arquidiocese do Rio de Janeiro

25º 21º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 08/07/2020

08 de Julho de 2020

Paróquia Santo Antônio: 75 anos de evangelização

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

08 de Julho de 2020

Paróquia Santo Antônio: 75 anos de evangelização

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

06/12/2019 14:52 - Atualizado em 06/12/2019 14:54
Por: Carlos Moioli

Paróquia Santo Antônio: 75 anos de evangelização 0

Uma semana jubilar foi programada para 8 a 15 de dezembro a fim de comemorar os 75 anos de criação da Paróquia Santo Antônio, na Pavuna, na Zona Norte. 

O atual pároco, frei Vitor Hugo Silva do Espírito Santo, que assumiu o ofício no dia 25 de fevereiro deste ano como 17º pároco, está feliz por viver esse momento jubilar da comunidade paroquial que faz parte de sua história de vida.

“Assim que terminei meus estudos na Itália, fui designado pelos meus superiores para ser o pároco nesta paróquia. Pavuna é a minha casa, aqui recebi os sacramentos da Iniciação Cristã, fui ordenado sacerdote pelo atual arcebispo Dom Orani João Tempesta e toda minha história de fé passa por esta paróquia. Quando fui ordenado pároco, meu coração se encheu de alegria, esperança e surpresa. Vim para um lugar que não acreditava que voltaria como sacerdote. Sendo nomeado pároco no ano em que a paróquia está comemorando 75 anos, também é um sinal de Deus me mostrando a necessidade de preservar a história desse povo e da paróquia, mas também de avançar em águas mais profundas, de crescer nossa evangelização por meio de ações missionárias”, disse.

Desafios
Segundo destacou frei Vitor Hugo, a Paróquia Santo Antônio nos seus 75 anos de caminhada passou por muitas conquistas, mas também por momentos difíceis, entre eles, várias enchentes e o roubo do sacrário. Neste ano de 2019, enfrentou um dos seus maiores desafios. A igreja foi consumida por um incêndio, na tarde do dia 7 de abril, que muito entristeceu a comunidade.

“Depois de difíceis meses, chegamos às celebrações do jubileu dos 75 anos da paróquia, com uma semana de orações e agradecimentos. Foi bonito ver a comunidade unida na campanha “Reconstrói a minha casa” para a reconstrução da igreja. Deus nos tem sustentado, honrado nossos sacrifícios e sido um tempo de graça. Temos esperança de permanecer com o Senhor e fazê-Lo ser mais amado aqui em nossa paróquia”, disse frei Vitor Hugo.

Programação
A semana jubilar acontecerá do dia 8 ao dia 15 de dezembro, com a seguinte programação: Dia 8, das 10h30 às 17h, jubileu das crianças; dia 9, às 19h30, missa em honra dos paroquianos falecidos; dia 10, às 15h, jubileu dos idosos e enfermos; dia 11, das 15h30 às 19h30, jubileu dos pobres com ação social e distribuição de alimentos. Às 19h30, missa solene presidida pelo arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta; dia 12, das 8h às 22h, jubileu eucarístico com a adoração ao Santíssimo; dia 13, às 19h30, jubileu das famílias com missa pela cura e libertação; dia 14, das 8h às 17h, jubileu dos jovens com o desafio jovem “This is me”; e dia 15, às 10h30, missa festiva na praça da paróquia, seguida de almoço e show de prêmios.

História
Localizada na Praça Nossa Senhora das Dores s/nº, próxima à estação final do Metrô da Pavuna, a Paróquia Santo Antônio foi criada por Dom Jayme de Barros Câmara, no dia 14 de agosto de 1944, desmembrada das paróquias de Anchieta e Irajá.

O primeiro pároco foi o padre Alfredo Simon, que levantou grande parte do templo. Em 1955, a paróquia foi confiada aos Padres Mercedários que inaugurou o atual prédio da paróquia no dia 17 de agosto de 1958. Ao longo dos anos, de acordo com as necessidades, houve a fundação de novas capelas em pontos específicos do bairro. A primeira capela fundada foi a de Nossa Senhora da Conceição em 25 de abril de 1965. Vinte anos depois, a paróquia ganhou um terreno no Village Pavuna, onde foi fundada a Capela São Pedro Nolasco. A primeira missa campal aconteceu no dia 10 de fevereiro de 1985. Em 1990, os moradores do Conjunto Dr. José Thomaz começaram a formar a comunidade local com o nome de Nossa Senhora da Alegria, na qual a primeira missa campal foi no dia 16 de setembro de 1990. Por último, para atender a comunidade Chico Mendes (Chapadão), foi fundada no dia 18 de fevereiro de 1996 a Capela Nossa Senhora das Mercês. Atualmente, a paróquia conta com três capelas, pois a Capela Nossa Senhora da Conceição se tornou paróquia em 2009.

Em 1998, os Padres Mercedários deixaram a direção da paróquia que foi confiada a Ordem dos Agostinianos Descalços.

Carlos Moioli


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.