Arquidiocese do Rio de Janeiro

28º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 15/11/2019

15 de Novembro de 2019

Com as bênçãos de N. S. de Nazaré, dom Alberto Taveira inaugura Barco Hospital Papa Francisco

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

15 de Novembro de 2019

Com as bênçãos de N. S. de Nazaré, dom Alberto Taveira inaugura Barco Hospital Papa Francisco

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

19/08/2019 15:27
Por: Vaticano

Com as bênçãos de N. S. de Nazaré, dom Alberto Taveira inaugura Barco Hospital Papa Francisco 0

"Com a bênção e inauguração deste barco hospital nós estamos dando uma resposta concreta, expressão da caridade, da providência de Deus que se faz presente através deste gesto, deste barco que vai atender tantas e tantas pessoas, ribeirinhos, indígenas e os povos das cidades”, destacou o arcebispo de Belém (PA) e vice-presidente do Regional Norte 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Alberto Taveira. O prelado conduziu a cerimônia de bênção do barco hospital Papa Francisco, na noite do último sábado, 17, na capital paraense.

Na parte da tarde, foi realizada a cerimônia de inauguração do Barco Hospital Papa Francisco na Providência de Deus, em Belém. O evento ocorreu no auditório do Hotel Grand Mercure e contou com a presença de várias autoridades, além de dom Alberto: o fundador da Associação São Francisco na Providência de Deus, frei Francisco Belotti; o secretário da Nunciatura Apostólica no Brasil, monsenhor Massimo Catterin; e o procurador geral do Trabalho, Ronaldo Fleury. O bispo de Óbidos (PA), dom Bernardo Bahlmann, não pôde estar presente e foi representado por dom Alberto. Será nesta diocese que o barco hospital atenderá a maior parcela da população ribeirinha.

Envolvendo autoridades e convidados, a cerimônia iniciou com uma apresentação de carimbó que trouxe a música “Pan-Amazônia Ancestral”, de Antônio Cardoso, e fez todos cantarem: “ribeirinhos, guardiões, da nossa casa comum, ‘Laudato Si’ é Francisco chamando um a um”. Em seguida, foi composta a mesa por autoridades eclesiásticas, civis e militares, que puderam também discursar sobre a importância daquele momento para a história da Igreja e da sociedade. Bastante expressiva era a presença dos franciscanos na providência de Deus e outros religiosos de congregações diversas.
Emocionado, frei Francisco Belotti iniciou sua fala fazendo uma analogia entre o Rio Amazonas com seus afluentes e a história da Associação por ele criada. “Quem olha a nascente do Rio Amazonas, na Cordilheira dos Andes, tão frágil e pequena, jamais imaginaria os tantos quilômetros que ele percorre até chegar um barco. Mas o Amazonas não está só, existem diversos afluentes, diversas nascentes que agregam a ele e tornam quem ele é hoje. A história deste rio é muito próxima da história do barco-hospital e da associação nascida numa cidade pequena do interior de São Paulo, uma casinha pré-fabricada, usada para morte e para o crime. Deus pegou aquela casa e inicia esta missão, este caminho que seria percorrido até este dia 17 de agosto de 2019”, contou o sacerdote entre lágrimas.

Dom Alberto trouxe aos presentes a carta enviado pelo Papa Francisco. “Para além de ser um belo gesto concreto em vista do Sínodo para a Amazônia, este hospital fluvial é acima de tudo uma resposta ao mandato do Senhor, que continua a enviar os seus discípulos a anunciar a Palavra de Deus e curar os doentes”, afirma um trecho da carta. O pontífice ainda recordou seu pedido de uma Igreja Samaritana, “um ‘hospital de campo’, acolhendo a todos sem distinções ou condições. Com esta iniciativa, Ela se apresenta agora também como um ‘hospital sobre as águas’. E, do mesmo modo como Jesus, ao aparecer caminhando sobre as águas, acalmou a tempestade e fortaleceu a fé dos discípulos, este barco levará tanto o conforto espiritual como a calmaria para as agitações dos homens e mulheres carentes, abandonados à própria sorte”, finalizou Francisco.

A cerimônia de inauguração do barco hospital contou ainda com a exibição de um pequeno documentário sobre a embarcação, homenagens aos apoiadores do projeto que receberam doces regionais e arranjos florais, e um coquetel para todos os convidados, encerrando deste modo, a primeira parte da programação.

Bênção – Já era noite quando teve início na Escadinha do Cais do Porto (ao lado da Estação das Docas), o rito de bênção do barco hospital. Por volta das 19h30, dom Alberto Taveira deu início à cerimônia religiosa. Várias pessoas se aglomeraram no trapiche onde estava atracado o barco. Para dom Alberto, o momento representa a descoberta contínua da Igreja no zelo pela humanidade.

“Na criação, Deus entregou aos homens o cuidado com a própria natureza e cuidado mútuo entre todos. A Igreja descobriu e continua descobrindo as formas deste cuidado especial com a vida das pessoas e, para nós na Amazônia esta é uma imensa responsabilidade. Com a bênção e inauguração deste barco hospital nós estamos dando uma resposta concreta, não estamos teorizando a assistência ao povo na Amazônia, ao contrário, oferecemos algo concreto, expressão da caridade, da providência de Deus que se faz presente através deste gesto, deste barco que vai atender tantas e tantas pessoas, ribeirinhos, indígenas e os povos das cidades”, destacou.

Finalizando o momento celebrativo, dom Alberto doou ao barco uma imagem de Nossa Senhora de Nazaré e, com ela ao colo, adentrou à embarcação e a entronizou na capela do barco hospital, onde o rito foi encerrado com a oração da “Salve Rainha”.

Ação – Como última parte da programação de lançamento do Barco Hospital Papa Francisco, na manhã do domingo (18), foi realizada uma Ação Social com a comunidade carente do bairro da Cidade Velha, na capital paraense. Estando a Igreja em festa com a solenidade da Assunção de Maria, uma Celebração Eucarística às 8h deu início às atividades na majestosa Igreja de Nossa Senhora do Carmo. A presidência litúrgica foi do monsenhor Massimo Catterin, da Nunciatura Apostólica no Brasil.

A beleza arquitetônica do templo barroco completou-se na beleza do serviço caritativo da Igreja viva formada por inúmeros leigos e religiosos voluntários que se dispuseram a atender as centenas de pessoas que acorreram ao Porto Palmeiraço, onde ancorou o barco hospital, na esperança de atendimento, consultas e procedimentos hospitalares.

A professora aposentada Maria José saiu cedo de casa na esperança de uma consulta odontológica. “Aqui a gente espera algumas horas, em outros postos podem ser meses”, disse. Para ela, a ação demonstra a preocupação da Igreja com o bem estar da sociedade. “Eu me sinto cuidada, acho que a Igreja está preocupada comigo e com todo esse povo que está aqui agora”, pontuou.

Estrutura – Construído em Fortaleza (CE), o barco Papa Francisco tem o objetivo de oferecer acesso à saúde básica às pessoas que moram às proximidades dos rios. A ideia do barco hospital, com atendimento médico, surgiu a partir do incentivo do Papa Francisco, na Jornada Mundial da Juventude (2013), que no período visitou um hospital, no Rio de Janeiro, administrado pela Associação e Fraternidade São Francisco e questionou se a Associação já havia implantado o projeto de assistência médica na Amazônia. A partir desse encontro iniciou-se, com o dom Bernardo Bahlmann, juntamente aos demais religiosos da Fraternidade, a idealização do projeto com a missão de levar atendimento à população ribeirinha.

O Barco Hospital Papa Francisco tem o comprimento de 32 metros e contará com até 23 profissionais da área da saúde, com capacidade para até 30 tripulantes. Abriga salas para os seguintes serviços médicos: raio-x, mamógrafo, ecocardiograma, teste ergométrico, sala cirúrgica, laboratório de análises, farmácia, sala de vacinação, consultórios médicos, consultório oftalmológico e odontológico, e ainda, leitos de internação. A Congregação das Pequenas Missionária de Maria Imaculada estarão auxiliando no atendimento hospitalar.

A Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus desde 1985 realiza trabalhos direcionados a levar saúde básica, como ambulatórios, pronto socorro, farmácia, abrigos e comunidade terapêuticas, tem sede em Jaci (SP), já está presente no Pará, Goiás, Paraná, Ceará e Rio de Janeiro.
Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.