Arquidiocese do Rio de Janeiro

27º 19º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 21/07/2019

21 de Julho de 2019

Dia do Trabalhador é celebrado com ação social no Vicariato Leopoldina

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

21 de Julho de 2019

Dia do Trabalhador é celebrado com ação social no Vicariato Leopoldina

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

10/05/2019 00:00 - Atualizado em 13/05/2019 11:05
Por: Carlos Moioli / Priscila Xavier

Dia do Trabalhador é celebrado com ação social no Vicariato Leopoldina 0

Com o intuito de promover a realização de políticas públicas às pessoas em situação de vulnerabilidade social, o Vicariato Episcopal para a Caridade Social organizou uma ação social na Paróquia Santa Rosa de Lima, no bairro Jardim América, na Zona Norte do Rio, no dia 1º  de maio, dedicado aos trabalhadores.

Além disso, a ação também fez parte da Semana Vocacional Missionária do Vicariato Leopoldina, responsável territorialmente pela região, que teve início no dia 27 de abril e terminou em 5 de maio.

Vigário episcopal para a Caridade Social, monsenhor Luiz Antônio Pereira Lopes afirmou que o intuito da ação foi, justamente, levar o atendimento à população. “O tema da Campanha da Fraternidade deste ano: “Fraternidade e Políticas Públicas” permeou o nosso encontro. Unimos todo o vicariato, tanto a nível vicarial quanto arquidiocesano, e organizamos a ação. É a Igreja que reza, que abençoa os trabalhadores, mas, também, oferece o mínimo de condições para essas pessoas. Tudo isso foi um ganho enorme para todos nós”, disse.

O encontro contou com a presença de órgãos do governo federal, como o Sistema Nacional de Emprego (Sine), que, por meio de agências espalhadas pelo país, busca intermediar oportunidades trabalhistas. Houve a presença também de órgãos de secretarias de Estado, como o Departamento de Trânsito (Detran) e a Fundação Leão XIII, os quais verificaram a parte de documentação, além do Serviço Social da Indústria (Sesi), que organizou brincadeiras e atividades criativas com crianças e idosos, e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que realizou uma campanha contra o mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. “É muito importante que seja feita uma convocação do Estado nesse tipo de ação”, exclamou o monsenhor.

Na ocasião, também houve atendimentos preventivos na área da Saúde. Dessa forma, a população teve acesso a psicólogos, psicopedagogos, médicos, enfermeiros cardiologistas, nutricionistas e oftalmologistas. Foi possível medir glicose e a circunferência abdominal, e tirar a pressão.

A população teve acesso a orientações jurídicas, por meio de advogados, e financeiras, através de contadores. Houve, também, um ciclo de estudos sobre o meio ambiente e previdência social. As pastorais sociais da Arquidiocese do Rio também participaram da ação, realizando exposição de trabalhos e palestras. Ao todo foram 403 voluntários que atuaram durante os períodos da manhã e da tarde. “Foram em torno de 3.500 pessoas presentes. Acredito que tenhamos realizado cerca de três mil atendimentos”, completou o vigário.

Ainda segundo o sacerdote, a ação é um exemplo de união de forças. “A Igreja se tornou uma presença. Realizar essa ação no Dia Mundial dos Trabalhadores é como uma resposta de oração e de caridade que a Igreja procura dar. No fundo realizamos políticas públicas, tentando dizer ao Estado que, se ele se unir, consegue crescer. Nós queremos repetir essa ação em outras semanas, levando essas pessoas, também, às outras regiões de nossa arquidiocese. Estamos muito felizes por conseguir um bom resultado”, acrescentou.

Para Geovana Silva, coordenadora de projetos da Pastoral do Menor, a ação foi uma oportunidade de levar esperança à comunidade. “Com o título ‘Amor sincero presente’, a pastoral divulgou oito projetos sociais, como sinais de esperança no Dia do Trabalhador naquela região, onde a violência urbana é bastante presente, além, sobretudo, do aumento do desemprego, da dificuldade de inserção dos jovens no mercado de trabalho, tendo seus direitos violados. Participar da ação, enquanto Pastoral do Menor, foi uma enorme satisfação”, pontuou.

Segundo ela, a prioridade das famílias que visitavam o estande da pastoral era a busca de oportunidades para os filhos. “A nossa missão é trabalhar junto com jovens e adolescentes vulnerabilizados. Então, falar dos projetos com crianças e adolescentes, fazendo uma conexão com o Dia do Trabalhador, significou apresentar a esperança para aquela comunidade. Falamos sobre as questões preventivas, como o trabalho lícito e, em contrapartida, sobre as ilícitas presentes nas favelas do Rio de Janeiro. Recebemos 50 pessoas em nosso estande que, prioritariamente, perguntavam sobre as possibilidades para os adolescentes naquela região”, frisou.

Assistente social do vicariato, Júlio Mendes considerou que “a ação social é importante por vários aspectos, sendo o primeiro deles a questão do atendimento à população em situação de vulnerabilidade social – estando estas desempregadas, sem atendimento de saúde pela rede pública, com baixa renda, sem condições, muitas vezes, de prover seu próprio sustento. Temos hoje um grande número de pessoas que se encontram nessa situação. Essas ações não resolvem todos os problemas, mas os ameniza. A maior parte da população estava em busca de atendimento médico. Isso demonstra que essas pessoas não estão sendo atendidas pela rede pública”, esclareceu.

Ainda de acordo com ele, o Vicariato para a Caridade Social, todo ano, escolhe uma paróquia para organizar a ação no Dia do Trabalhador e, justamente, neste ano, o evento coincidiu com a Semana Vocacional Missionária no Vicariato Leopoldina. “Foi uma feliz eventualidade, porque já almejávamos a realização de uma ação social. Então, unimos os dois vicariatos para a promoção desse evento. Toda a rede de paróquias no vicariato estava presente, unida, enviando seus voluntários, profissionais e agentes de trabalho. Criamos o ‘Redes do Leopoldina’, no qual as paróquias interagem e partilham o trabalho umas com as outras. Assim, quando uma realiza uma ação, ela tem o apoio das demais. A partir da ação, conseguimos fazer o trabalho social das paróquias de maneira mais integrada”, finalizou.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.