Arquidiocese do Rio de Janeiro

24º 18º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 22/08/2019

22 de Agosto de 2019

Segundo dia de catequese aborda missionariedade e amizade com Deus

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

22 de Agosto de 2019

Segundo dia de catequese aborda missionariedade e amizade com Deus

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

24/01/2019 21:22 - Atualizado em 24/01/2019 21:22
Por: Priscila Xavier

Segundo dia de catequese aborda missionariedade e amizade com Deus 0

Os peregrinos de língua portuguesa participaram do segundo dia de catequese no Instituto William Kilpatrick, no bairro Panamá Viejo, na manhã desta quarta-feira, 24 de janeiro. O encontro foi ministrado pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de Curitiba, Dom Amilton Manuel da Silva, que abordou o tema “Sou a serva do Senhor”.

A animação ficou por conta do grupo oficial da Arquidiocese do Rio de Janeiro, que teve uma ajuda de peso: a presença do grupo evangélico Centro Familiar Shalom, que também serviu durante o encontro através da música.

Na catequese, Dom Amilton ressaltou como a vida tem sido banalizada nos últimos tempos. “Maria se coloca como serva de Deus, como presença diante d’Ele. Para isso, é preciso se reconhecer como pessoa. Nos dias de hoje, há uma relativização, uma banalização da vida, que nem sempre é valorizada. A vida é tratada como objeto, como um resíduo, excluída da sociedade”, disse.

Ele também frisou a missionariedade de Nossa Senhora. “O servo, aquele que se coloca diante do Senhor, também o tem como Mestre. Já o escravo deseja outra vida, ele não tem encanto. Maria, ao ficar grávida, foi servir à Isabel, sua prima. Essa é a Igreja em saída. O que o Papa nos diz não é novidade. Essa missionariedade começa com Maria, que criou um jeito novo de ser Igreja”, completou.

Após a formação, os jovens tiveram a oportunidade de fazer perguntas e esclarecer dúvidas, bem como momentos de confissão.

Em seguida, o bispo presidiu a missa, concelebrada por sacerdotes brasileiros. Na homilia, ele reforçou a necessidade de se criar uma amizade profunda com o Senhor. “Quando tenho certeza que o amor de Deus me acompanha, a vida tem outro sentido. Deus é meu amigo, porque quando sou servo, também sou amigo do Senhor, pontuou.

Por fim, ele questionou: “Todos queriam alguma coisa de Jesus, mas, de fato, alguém queria uma amizade com Ele?”, indagou.


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.