Arquidiocese do Rio de Janeiro

27º 19º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 21/10/2019

21 de Outubro de 2019

JMJ: Peregrinos visitam centro histórico e o Canal do Panamá

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

21 de Outubro de 2019

JMJ: Peregrinos visitam centro histórico e o Canal do Panamá

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

22/01/2019 06:50 - Atualizado em 22/01/2019 06:57
Por: Priscila Xavier

JMJ: Peregrinos visitam centro histórico e o Canal do Panamá 0

Depois da Semana Missionária, realizada em Chitré, o grupo oficial do Rio de Janeiro chegou à Cidade do Panamá, capital do país, para vivenciar a Jornada Mundial da Juventude, que se inicia nesta terça-feira, dia 22 de janeiro, com a missa de abertura, no Campo de Santa Maria la Antigua.

Porém, antes do início oficial do evento, os peregrinos visitaram, no dia 21 de janeiro, uma das obras de engenharia mais famosas e importantes do mundo: o Canal do Panamá, que permite o encontro das águas mornas do Caribe com o oceano mais perigoso do mundo, o pacífico.

Fundado em 15 de agosto de 1914, o canal é uma das rotas mais importantes para o comércio marítimo internacional, devido ao seu sistema de eclusas que iguala os desníveis entre os dois oceanos, provocados pela temperatura de um e a salinidade do outro. Assim, economiza-se tempo, dinheiro e evita-se que os navios deem a volta no continente.

Em seguida, os peregrinos visitaram outro ponto turístico importante para os panamenhos: o Casco Viejo, também conhecido como San Felipe ou Casco Antiguo. Esse é o centro histórico da Cidade do Panamá. Nele, estão o prédio do governo presidencial, o Palácio de las Garzas, além da Catedral Metropolitana de Santa Maria la Antígua, cuja dedicação do altar – após a restauração – será feita pelo Papa Francisco, no dia 26 de janeiro.

Além disso, o Casco Viejo também possui inúmeras igrejas histórias, como a de Nossa Senhoras das Mercedes, São José, São Francisco de Assis e o Convento da Companhia de Jesus. Neste último local, o bispo auxiliar do Rio Dom Joel Portella Amado convidou os peregrinos para um momento de oração. “Percebemos que as estruturas somem, mas o Evangelho permanece. Esse era um convento dos jesuítas e o Papa é jesuíta. Por isso, também rezamos pelas intenções do Santo Padre”, rogou.

No fim do dia, os peregrinos participaram da missa, presidida pelo arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, no Templo da Divina Misericórdia, pertencente a Paróquia São Mateus. A missa foi celebrada pelos bispos auxiliares do Rio Dom Joel Portella Amado e Dom Paulo Romão, pelo cônego Cláudio dos Santos e pelos padres Bruno Guimarães e Fernando Dias.

Na ocasião, o cardeal frisou, durante a homilia, que a JMJ é uma oportunidade de retomar uma amizade com Deus e de mudança de vida. "Concluímos no Rio a festa do padroeiro, São Sebastião, e aqui a Semana Missionária. Por um lado, no Evangelho de hoje, encontramos Jesus, nosso eterno e sumo sacerdote, que deu a vida por nós. Mas também a necessidade de aproveitarmos o tempo da jornada para retomar a nossa amizade com Cristo, de maneira que, ao retornarmos às nossas casas e às nossas dioceses, estejamos ainda mais abertos a graça de Deus", afirmou.

Após a celebração, os peregrinos tiveram a oportunidade de partilhar com o arcebispo suas experiências e vivências durante a Semana Missionária, em Chitré.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.