Arquidiocese do Rio de Janeiro

36º 26º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/01/2019

18 de Janeiro de 2019

Padroeiro visita a zona oeste nesta 10ª edição da Trezena

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Janeiro de 2019

Padroeiro visita a zona oeste nesta 10ª edição da Trezena

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

12/01/2019 22:33 - Atualizado em 12/01/2019 22:46
Por: Nathalia Cardoso

Padroeiro visita a zona oeste nesta 10ª edição da Trezena 0

Hoje foi mais um dia em que o padroeiro da cidade levou amor e esperança aos cariocas: dessa vez, na zona oeste. O termômetro marcava 38°C às 9h, quando o arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, presidiu a missa O Rio Celebra, na Paróquia São Sebastião e Santa Cecília, na Praça da Fé, em Bangu. Assim, deu início às atividades deste 6° dia da Trezena de São Sebastião. Nesta mesma data, cinco anos atrás, o Papa Francisco anunciou o  cardinalato de Dom Orani, também durante a Trezena. 

Padre Felipe Lima, pároco da Paróquia São Sebastião e Santa Cecília e vigário episcopal do Vicariato Oeste, concelebrou a missa. 

Na homilia, Dom Orani destacou o exemplo de São Sebastião como alguém que aceitou sua vocação e foi seguir Jesus. O Cardeal pediu para que todos sigam esse exemplo.

Padre Fábio Luiz de Souza e padre Cristiano Siqueira de Lima, formadores no Seminário São José, também concelebraram a missa e acompanharam a comitiva durante todo o dia. A presença deles, segundo o cardeal, foi importante porque este ano a Igreja do Brasil celebra as vocações sacerdotais, como lembrado no tema da Trezena, "São Sebastião, vocacionado para o amor".

O cortejo do padroeiro seguiu de lá para a Paróquia São Sebastião, na Vila Militar, onde a imagem foi recebida pelo pároco e capelão da 1ª Divisão do Exército (DE), padre Rodrigo César Ferreira, recém provisionado. Ele chegou há uma semana, vindo de Caçapava (SP). Natural de São João da Boa Vista (SP), o sacerdote é conterrâneo do Cardeal Orani Tempesta.

"São Sebastião foi soldado e participou de lutas e batalhas. Mas existe essa dúvida: se é possível ser cristão e ser militar. E sim, é possível. Porque nós, militares, fazemos um compromisso de, se necessário for, darmos a vida por aqueles  a quem protegemos. E é o que Jesus diz no Evangelho: não existe amor maior do que dar a vida pelos seus amigos. Portanto, ser cristão e ser militar é toda uma vida de entrega em prol do bem das pessoas e dos mais necessitados", afirmou o capelão. 

A comitiva visitou ainda as capelas Sant'Ana e São Sebastião, e mais outras duas também chamadas São Sebastião, uma em Jardim Maravilha e a outra em Cantagalo, todas em Guaratiba. Também a Capela São Sebastião do Sagrado Coração de Jesus e mais uma chamada São Sebastião, ambas em Campo Grande, também foram visitadas. O encerramento aconteceu na capela que leva o nome do padroeiro em Nova Sepetiba.

Junto à Guarda de São Sebastião, que sempre acompanha o cortejo, estava a Comunidade Sementes do Verbo, que vem seguindo o cardeal durante a Trezena nos últimos anos.

A vocação para o amor

Após visitar a primeira capela da tarde, Sant'Ana e São Sebastião, a comitiva fez uma parada que não estava no programa oficial, mas tudo se explicou quando o cardeal encontrou dona Isolina de Jesus Oliveira Dias. 

A senhora de 84 anos fez uma capela nos fundos da própria casa, em Pedra de Guaratiba, para os fiéis do entorno rezarem. Há dois anos escreveu uma carta para o cardeal pedindo para reabrirem o oratório, que foi fechado alguns anos atrás. Quando o local, parte do território da Paróquia Salvador do Mundo e dedicado a Nossa Senhora Aparecida, fechou, dona Isolina começou a apresentar problemas de saúde. Dentre eles, a doença de Alzheimer. Segundo relatos da família, ela sempre foi muito devota. Escreveu, inclusive, uma música e dedicou a Dom Orani. 

O cardeal visitou o oratório e fez uma reabertura simbólica. Aspergiu com água benta e visitou ainda a casa da família, bem humilde. Dona Isolina mora com a filha Célia das Dores Oliveira Dias e o neto Alaiton Oliveira Dias Pereira, vocacionado ao sacerdócio. 

"Desde os meus três anos de idade, minha avó me levava à Paróquia São Pedro Apóstolo, aqui na Pedra [de Guaratiba] e eu via o padre levantar a hóstia e pensava 'Nossa, que coisa bonita'. Eu gostei muito e perguntei à minha avó, se ela gostaria de ter um neto padre. Ela disse que gostaria muito. Desde então, quero ser. Sinto que a vinda de São Sebastião e do cardeal, nesse ano das vocações sacerdotais, foi uma confirmação dessa vontade. E eu agradeço muito a Deus e à minha avó por estar aqui hoje", disse Alailton, de 15 anos, com os olhos já vermelhos de tanto chorar de emoção. 

Jardim Maravilha

No Jardim Maravilha, São Sebastião foi acolhido pelo padre Marcelo Salvador, pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, à qual a capela pertence. Até o ano passado, ela integrava a Paróquia Santa Clara, que teve seu território desmembrado após a criação da paróquia Nossa Senhora de Fátima.

A capela faz parte da comunidade há 37 anos. 

"Aqui, nos tornamos próximos de São Sebastião, o soldado humano que Jesus chama, porque o vocacionado é um escolhido por Deus, porque Ele escolhe e chama. São Sebastião olha a situação da Igreja da época, perseguida, e sente um incômodo, a vontade de fazer algo. A vocação é esse incômodo. E o reino precisa ser anunciado. Portanto, Jesus chama jovens que se sentem incomodados e os prepara para o exercício do sacerdócio. E precisamos ouvir e fazer ouvir esse chamado de Deus para que eles possam dar uma resposta positiva. Que em nossas orações peçamos a São Sebastião para que interceda, e eles deem uma reposta positiva e levem o amor de Deus a alcançar todas as pessoas", disse padre Fábio Luiz.

A comunidade homenageou o Cardeal Orani com uma placa de agradecimento.

Cantagalo

Na capela dedicada ao padroeiro no Cantagalo, em Campo Grande, a imagem foi recebida pelo padre André Luiz Teixeira de Lima, pároco da paróquia à qual a capela pertence, Nossa Senhora da Conceição, no Monteiro.

O diácono da paróquia, Marcos José Santos de Andrade, que atua no local há sete anos, desde que foi ordenado, contou que a capela tem uma característica missionária e trabalha em rede com outras comunidades na realização das atividades. Ele recebeu a imagem junto com padre André. "Precisamos rezar pelas vocações porque eu sou fruto dessas orações, assim como muitos ainda serão", ressaltou o pároco. 

Dom Orani lembrou que o padre Fábio Luiz também já foi da comunidade.

Intercessor

Na Capela São Sebastião do Sagrado Coração de Jesus, a imagem foi recepcionada pelo pároco da Paróquia São João Evangelista, padre Antônio José dos Santos, à qual a capela pertence. O local recebeu a visita pela 5ª vez. 

Marcia Regina de Oliveira e Rogério Diniz participam das atividades na Paróquia Salvador do Mundo, em Guaratiba, mas dessa vez vieram colaborar com a capela, devido à visita do padroeiro. "É ótimo saber que podemos contar sempre com ele como intercessor", disse Marcia.

Na capela dedicada ao padroeiro em Mangueiral, a imagem peregrina foi entronizada pelo padre Fábio Luiz. O pároco, padre Roberto Pereira, da Paróquia São João Batista, em Campo Grande, acompanhou a celebração. 

Mariania Francisca da Silva Delphino chegou na capela há 12 anos, depressiva. Ela participa da organização da festa de São Sebastião no local há anos, junto ao esposo, que é zelador, Lorival da Silva Delphino. A capela tem 32 anos. 

"São Sebastião que me flechou. Um dia eu vim aqui, tinha acabado de chegar e vi a pregação de um padre. Eu culpava muito meu marido pela minha doença, mas eu não tinha a Primeira Eucaristia, não tinha Crisma. E então pensei: 'Vou caminhar e dar uma reviravolta nisso'. Entrei para a primeira comunhão e estou aqui até hoje", contou ela, que superou a depressão e, atualmente, é ministra extraordinária da sagrada comunhão (mesc), junto com o marido.

Em Nova Sepetiba, o padre Ludendorff (Licinho) Cohen Couto, pároco da Paróquia Santa Edwiges e São Pedro, de Sepetiba, recepcionou a imagem peregrina.

O verdadeiro sentido de ser cristão 

O tema deste 6° dia de Trezena é "Sebastião confessa: sou cristão". As visitas do dia mostraram todas as faces deste São Sebastião devotado a Deus no exemplo de cada pessoa que deu seu testemunho. Foram pessoas que, a exemplo de seu padroeiro, entenderam o que é ser vocacionado para o amor: é ser cristão.

“Neste sábado a Trezena com a imagem peregrina visitou paróquias e capelas dedicadas a São Sebastião. Esse momento é sempre uma oportunidade de se encontrar com as comunidades e hoje, de forma especial, refletir sobre o subtema desta peregrinação: ‘São Sebastião confessa: Sou Cristão!’. Também hoje as nossas comunidades testemunham essa coragem de viver uma vida cristã, mesmo diante de tantos perigos, testemunhando Jesus Cristo como fez São Sebastião. É com alegria que nós visitamos as comunidades, paróquias e capelas, confirmando a caminhada dos sacerdotes e do povo de Deus de todas as áreas da região oeste da nossa cidade”, afirmou Dom Orani.

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.