Arquidiocese do Rio de Janeiro

39º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/12/2018

18 de Dezembro de 2018

Uma caminhada em defesa da vida

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Dezembro de 2018

Uma caminhada em defesa da vida

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

07/12/2018 11:27 - Atualizado em 07/12/2018 11:27
Por: Padre Jorge Luiz Neves Pereira da Silva (Vigário Paroquial na Paróquia Nossa Senhora da Paz, em Ipan

Uma caminhada em defesa da vida 0

Faleceu no dia 3 de dezembro, Maria Pia Rafaela Guilhermina Alice Torres Guimarães, por muitos anos membro do Conselho Pastoral da Arquidiocese do Rio de Janeiro, e fundadora do Conselho Nacional do Laicato, a pedido de monsenhor Abílio da Nova, do programa “Vox Dei”, da Rádio Catedral, então líder de audiência, por onde passaram expoentes da cultura brasileira, como o professor Carlos Chagas, presidente da Pontifícia Academia de Ciência, no Vaticano, e inúmeros membros da Academia Brasileira de Letras, de Filosofia e de Medicina e do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, entre outros. Maria Pia, que tinha acesso a personalidades que marcaram o século XX, nasceu a 5 de dezembro de 1927, e já aos 18 anos foi condecorada pelo então ministro da Guerra, Pedro Aurélio de Góes Monteiro, pelos serviços prestados como enfermeira junto aos pracinhas feridos nos campos de  batalha da Segunda Guerra Mundial.

Seu pai lutou na I Guerra Mundial de 1914-1918 pela França, para onde foi levado aos 8 anos de idade por seu avô, o Barão de Itambi, que se autoexilara com a família, em solidariedade ao imperador Dom Pedro II, quando da Proclamação da República, como fizeram muitos monarquistas, como Joaquim Nabuco. Após a guerra, conheceu sua futura esposa, cujos pais também haviam ido para a França quando ela contava cinco anos e lá se casaram. Muito amiga do príncipe Dom Luís, filho da princesa Isabel, Maria Pia recebeu este nome em homenagem à esposa dele, a princesa Pia de Orleaes e Bourbon.

Casada com Paulo Niemeyer, é mãe de quatro filhos: Alice, única mulher; o empresário de grandes eventos Luís Oscar Niemeyer; o arquiteto João Niemeyer, que seguiu os caminhos de seu tio, Oscar Niemeyer; e Paulo Niemeyer Filho, neurocirurgião conhecido internacionalmente. Tinha muitos netos e bisnetos, a quem muito amava.

Ao longo de sua vida, Maria Pia lutou pelos valores cristãos. Membro do Pró-Vida, uma multidão, hoje adulta, está vivendo e nem sabe que foi com sua ação que não foi morta pelo aborto. Foi uma apóstola na defesa da vida, junto com monsenhor Ney de Sá Earp, e mesmo depois da morte prematura dele.

Mulher de confiança de boa parte do episcopado brasileiro, durante os trabalhos da Constituinte de 1988 no Congresso Nacional, fixou-se em Brasília, enviada em missão pelo então arcebispo do Rio, Cardeal Eugenio de Araujo Sales. Mantendo reuniões frequentes junto aos parlamentares católicos, a fim de que estivessem contidos na Carta Magna os valores éticos em defesa da vida humana, aprovados pelos congressistas, e graças a esse trabalho, nossa Constituição retém valores humano-cristãos.

Maria Pia, muito discreta, sempre colaborou com a Arquidiocese do Rio. Um de seus últimos trabalhos foi na edição da tradução brasileira de Dom Romer, o Lexicon. Até o final de seus dias estava lúcida, com uma memória prodigiosa, sempre elegante e com um sorriso que marcava sua simpatia e amor à Igreja. Era atuante num grupo de Círculos Bíblicos paroquial. Sua Missa de Sétimo Dia será na próxima terça-feira, dia 11 de dezembro, às 19h30 na Paróquia de Nossa Senhora da Paz, em Ipanema. (Requiescat in Pace).

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.