Arquidiocese do Rio de Janeiro

39º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/12/2018

18 de Dezembro de 2018

O Cristo Redentor é para todos

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Dezembro de 2018

O Cristo Redentor é para todos

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

16/11/2018 11:39 - Atualizado em 16/11/2018 11:39
Por: Nathalia Cardoso / Nice Affonso

O Cristo Redentor é para todos 0

Os braços abertos do Redentor no alto do Corcovado estão dentro de um santuário. Este, por sua vez, foi feito para receber a todos, sejam quem forem, e acolher com amor. Uma das principais atitudes de Jesus Cristo, que inspirou a imagem, era a de devolver a dignidade àqueles que por algum motivo eram colocados de lado pela sociedade. E isso não mudou: o Redentor recebe a todos e devolve a dignidade e o sentimento de pertencimento.

Foi o que aconteceu com cerca de 20 pessoas em situação de rua, que foram ao Santuário Cristo Redentor na última semana, ao final de um retiro promovido pela Comunidade Sementes do Verbo. Eles são atendidos pelo Ambulatório da Providência, pelas Irmãs Missionárias da Caridade, na Lapa, pela Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus e pela Comunidade Sementes do Verbo. Nessa semana em que celebramos, com diversas atividades, o Dia Mundial do Pobre, ocorrido em 18 de novembro, o Redentor abraçou a essas pessoas, fazendo com que esse abraço gerasse frutos que serão levados adiante.

“A ideia de leva-los ao Cristo surgiu faz dois anos. E agora, devido ao retiro, conseguimos. Eles se sentiram restaurados em sua dignidade por terem tido a possibilidade de ir até lá como qualquer outra pessoa. Estando em situação de rua, isso não seria possível. E eu pude ver que se sentiram à vontade e até com certo orgulho por estarem lá, terem a opção de escolher fazer esse passeio. Acho que eles se sentiram dignos por estarem ali”, afirmou o médico Roman Martin Gonzalez, argentino, que os atende no Ambulatório da Providência.

É o fato de o Cristo estar e permanecer de braços abertos que proporciona momentos como esses a pessoas que, muitas vezes, encontram dificuldades em manter viva a esperança. Portanto, ajude a acender uma luz na vida de alguém que precisa! Seja Amigo do Cristo! Faça a sua doação!

 

“Me senti maravilhosamente bem. Foi um presentão do Papai Noel. Está nas ruas há 11 meses e 17 dias. Me senti muito orgulhoso por estar lá novamente”

Carlos Augusto de Albuquerque já foi ao Cristo cinco vezes e ainda se encanta quando tem a possibilidade de ir novamente.

 

“Estou nas ruas há oito meses e esse, para mim, foi um momento muito bom. Eu fiz uma promessa de não usar drogas mais. Não poderia ter sido um momento melhor”

Luiz Fernando de Oliveira, de 62 anos, já estava há 12 anos sem ir ao Cristo e agradeceu pela oportunidade.

 

“Me senti que nem criança. Eu sempre quis conhecer, dos pontos turísticos, o Maracanã, o Pão de Açúcar e o Cristo. E só faltava o Cristo. Agora que estou aqui, me sinto que nem criança, muito bem. Eu dormi acordado”

Edvaldo Ribeiro, de 46 anos, está nas ruas há seis anos e foi ao santuário pela primeira vez.

 

“Me senti uma criança realizando um sonho. Queria voltar novamente”

Octazilio Costa Filho foi pela segunda vez ao alto do Corcovado e está nas ruas há 10 anos.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.