Arquidiocese do Rio de Janeiro

32º 20º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 19/11/2018

19 de Novembro de 2018

Três anos de elevação do Santuário de São Sebastião à condição de basílica

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

19 de Novembro de 2018

Três anos de elevação do Santuário de São Sebastião à condição de basílica

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

09/11/2018 15:32 - Atualizado em 09/11/2018 15:33
Por: Da redação

Três anos de elevação do Santuário de São Sebastião à condição de basílica 0

No dia 4 de novembro, o arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, presidiu a missa em ação de graças pelo terceiro aniversário de elevação do Santuário São Sebastião, na Tijuca, à condição de basílica menor, que ocorreu no dia 1º de novembro de 2015.

O título de basílica, conquistado por ocasião dos 450 anos da fundação da cidade do Rio de Janeiro, passou então a ter um vínculo maior com o Papa Francisco. A carta anunciando a novidade, enviada ao arcebispo do Rio, Cardeal Tempesta, foi assinada no dia 17 de julho daquele ano pelo Cardeal Robert Sarah, presidente da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

A elevação à basílica acontece quando há o reconhecimento da importância da igreja para o povo, a veneração que lhe devotam os cristãos, a transcendência histórica e a beleza artística da arquitetura e da decoração. À época, em um trecho da carta, o presidente da congregação disse que “a concessão deste título a esta importante Igreja, intensificando o vínculo particular com a Igreja de Roma e com o Santo Padre, quer promover a sua exemplaridade como verdadeiro centro de ação litúrgica e pastoral na diocese”.

O Santuário Basílica de São Sebastião, administrado pelos frades capuchinhos, recebeu pelo título dois elementos que o identificam como basílica: o Tintinábulo, que é um emblema que a Santa Sé concede às igrejas com o título honorífico concedido pelo Papa, e que consiste num pequeno sino que figura na procissão do Corpus Christi e outras solenidades, e a Umbela Basilical, uma peça histórica dos Papas, que já foi usada diariamente para fornecer sombra ao Sumo Pontífice.

O Santuário Basílica de São Sebastião, no Rio de Janeiro, é administrado pelos frades capuchinhos, e foi declarado Santuário Arquidiocesano em 2015, durante as comemorações pelo dia do padroeiro, em 20 de janeiro. O templo possui especial valor afetivo para os cariocas (conforme  decreto municipal), pois possui a guarda de três símbolos importantes para a cidade: o marco de fundação, os restos mortais do fundador da cidade, Estácio de Sá, e a imagem histórica de São Sebastião, padroeiro da cidade do Rio de Janeiro, que foi trazida por ele.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.