Arquidiocese do Rio de Janeiro

28º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 16/11/2018

16 de Novembro de 2018

Somos Educadores da Nova Geração!!!!

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

16 de Novembro de 2018

Somos Educadores da Nova Geração!!!!

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

14/10/2018 11:21 - Atualizado em 14/10/2018 11:21
Por: Vandeia Ramos

Somos Educadores da Nova Geração!!!! 0

“Os que tiverem introduzido muitos (nos caminhos) da justiça, luzirão como as estrelas com um perpétuo esplendor!” (Dn 12, 13)

Dia 15 de outubro é nosso dia, dos professores! E quero pedir licença a vocês para nos apresentarmos, a nós, católicos, que assumimos uma vida dedicada a participar da educação da nova geração, os filhos de vocês! Somos os que responderam a um chamado especial, de ser Igreja em saída na Educação, de levar a presença de Cristo ao mundo, na dor e na alegria de evangelizar com a nossa própria vida.
Não é fácil, pois a dor das nossas crianças, jovens e adultos passa a ser um pouco a nossa dor. Escutamos em muitos o grito pela busca de sentido para a vida, a luz para sua tristeza e abandono. Sim, é muito desgastante. Quantas vezes o cansaço nos derruba? A impotência nos conflitos, limites e condições faz com que tenhamos vontade de abandonar tudo? Como diz os santos padres, vivemos nossa carne como pão amassado para alimento de tantos... E é preciso que este único pão, que é cada um de nós, se multiplique, para saciar a fome de esperança, nossa e dos que estão sob nosso cuidado.
É neste momento que precisamos calar e silenciar. De colocar-nos à escuta do Senhor. De apresentar em seu altar o pouco que somos e a grandeza do que é necessário. Entre a Palavra e a Eucaristia, Jesus nos apresenta o seu segredo: dar a vida por amor aos seus. Dar-se e retomar à missão. A cruz é sempre presente em nosso caminho. Precisamos aprender a morrer a cada dia para que os nossos possam ressuscitar conosco. É aqui que o novo nasce, relações solidárias se constroem, nós nos tornamos famílias entre outras famílias, comunidade de vida na escola, ajudando aos demais a assumirem seu protagonismo na educação.
É preciso nos reencantar, vislumbrar o ponto de chegada e torná-lo real no em todos os seus aspectos, sentir-se participante de tão grande obra, “fruto do nosso trabalho e da fé que anima a vossa Igreja”.
Na sensibilidade do servir, de fazer “o que Ele vos disser” (Jo 2, 5), nossas ações, olhares, palavras, incentivo... vão sendo transpassados pela Presença que realiza em nós a sua obra. Nos detalhes, continuamos acreditando, mesmo com o descrédito da sociedade e abandono da educação. A desesperança cresce, a indiferença toma conta de tantos... Nossos alunos confiam em nós, sentem-se acolhidos, amados. Às vezes chegamos a nos sentir como em um hospital de campanha, resgatando feridos das batalhas diárias... Nas urgências, quando paramos por um momento para olhar a situação, é como se sentíssemos uma mão no nosso ombro e escutássemos: “não temas! Eu estou contigo! Até o fim!”
Não somos sozinhos. Somos fermento na massa, entre tantos outros. Culturas, religiões, posições de vida, ideologias... todos estamos juntos para que a escola realize plenamente seu fim. Em seus dramas, nos unimos de diferentes formas para que os que atendemos cresçam em “tamanho, sabedoria e graça” (Lc 2, 52). Juntos, somos uma riqueza inigualável.
E não estamos somente nas escolas. No compromisso educativo, atuamos em diferentes espaços sociais, de organizações sindicais, associações, desenvolvimento do pensamento educativo, grupos de estudos para elaborar uma legislação que melhor atenda... É preciso fomentar o reino de paz e justiça!
É no Brasil que temos, no lugar que vivemos, sempre tendo o futuro como perspectiva, em que somos chamados. Somos profetas da esperança. Também por nós, Cristo se encarna no mundo, nas fronteiras mais distantes. No nosso “sim” diário, nas nossas escolhas responsáveis e concretas, educamos a humanidade do futuro, em direção à uma comunidade verdadeiramente humana.
Mas é dia 15 de outubro. É dia de celebrar. É dia de olhar para quem somos além do que pode ser visto ou entendido no dia a dia. Somos servos do Senhor. Hoje não somos pão amassado. Hoje somos o doce da festa!

Vandeia Ramos
Coordenadora da Pastoral da Educação - ArqRio

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.