Arquidiocese do Rio de Janeiro

32º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 19/11/2018

19 de Novembro de 2018

Clarissas celebrarão 90 anos de fundação do mosteiro na Gávea

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

19 de Novembro de 2018

Clarissas celebrarão 90 anos de fundação do mosteiro na Gávea

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

07/09/2018 10:23 - Atualizado em 07/09/2018 14:17
Por: Priscila Xavier

Clarissas celebrarão 90 anos de fundação do mosteiro na Gávea 0

temp_titleClarissas_4_07092018141523

Uma das primeiras congregações religiosas a se estabelecerem no Brasil, as clarissas do Mosteiro de Nossa Senhora dos Anjos, na Gávea, completará 90 anos de fundação, no dia 15 de setembro. Para celebrar a data, o Cardeal Orani João Tempesta presidirá missa em ação de graças, na capela do mosteiro, às 9h.

A história

O apelo para que religiosas franciscanas viessem ao Brasil, devido à imensa quantidade de jovens vocacionadas ao carisma, fez com que as clarissas se tornassem as primeiras religiosas a chegarem ao país, em 9 de março de 1677.

Vindas de Évora, em Portugal, quatro monjas fundadoras deram início às atividades do Imperial Convento do Desterro, que, em pouco tempo, floresceram.

Porém, a perseguição contra os institutos religiosos, em 1855, impediu a presença de noviças e casas religiosas no território nacional, inclusive da Ordem de Santa Clara, cuja perseguição durou até o falecimento da última clarissa, em 1915. Por 13 anos, não houve nenhum mosteiro clariano no país.

Em 25 de setembro de 1928, através da Província Franciscana da Imaculada, oito clarissas vindas de Düsseldorf, na Alemanha, aplacaram em solo brasileiro. Elas seriam as responsáveis pela restauração da ordem e a criação do atual mosteiro, que completará 90 anos.

A chegada das monjas foi recepcionada com festividade por religiosos de inúmeras congregações, além das mais diversas pessoas da sociedade carioca. As irmãs foram levadas à Igreja Paroquial de Ipanema, onde foi entoado o “Te Deum” – cântico de ação de graças em solenidades.

Inicialmente, as irmãs foram acolhidas no Leblon, onde, atualmente, está a Igreja Santa Mônica, dos padres agostinianos. Depois, com muito esforço, conseguiram o atual terreno na Gávea, onde se dedicaram, desde 1931, a erguer o atual mosteiro.

Neste mesmo ano, o então arcebispo do Rio, Cardeal Sebastião Leme, lançou a primeira pedra fundamental, durante a festa de Santa Clara, no dia 11 de agosto. Já na Solenidade de São José, no dia 19 de março do ano seguinte, aconteceu a primeira missa. Em 25 de agosto de 1932, a clausura papal do mosteiro foi, definitivamente, fechada.

A partir da restauração da fundação no Rio de Janeiro, outras surgiram. A primeira delas foi em Belo Horizonte, em agosto de 1950.  Da capital mineira, em 1985, originou-se o Mosteiro Monte Alverne, em Uberlândia (MG), e o Mosteiro da Santíssima Trindade, de Colatina, no Espírito Santo, em 1991.

Em 1963, foi fundado o Mosteiro Nazaré, em Santa Catarina – transferido para Lages, em 1977. Já em 1984, atendendo ao pedido do bispo de Caicó, no Rio Grande do Norte, houve a fundação do Mosteiro de Nossa Senhora de Guadalupe, Mãe das Américas. O Estado de São Paulo recebeu a primeira fundação em 1999, na cidade de Marília.

Vocacional

Antes que o sol desponte, as clarissas estão cantando os louvores de Deus, através da Oração das Laudes, por meio da Liturgia das Horas. Na vocação contemplativa, um espaço maior é dado à meditação. Cada religiosa é formada para buscar o encontro com Deus. Às vezes, numa partilha com as outras, quando sozinha, mas sempre centrada na Palavra de Deus ou nos Escritos de Santa Clara e de São Francisco.

Por vocação, as clarissas são adoradoras de Deus na Eucaristia, dessa forma, elas iniciam e encerram o dia. Além disso, elas ainda fazem todos os trabalhos simples e humildes da casa, da horta e do jardim, além de outros: confecção de hóstias, paramentos, cartões, imagens. A clausura, para elas, é o jardim fechado onde escolheram viver a experiência do amor exclusivo e esponsal com Cristo, seguindo-O sem nada possuir ou reter.

As jovens que desejam conhecer ainda mais o carisma da Ordem de Santa Clara podem visitar o Mosteiro Nossa Senhora dos Anjos, que fica na Rua do Jequitibá, 41 – Gávea, ou pelo telefone: 2274-3147.

temp_titleClarissas_2_07092018141519

temp_titleClarissas_3_07092018141521

temp_titleClarissas_1_07092018141518

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.