Arquidiocese do Rio de Janeiro

33º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/11/2018

18 de Novembro de 2018

Círio de Nazaré Rio: crescimento espiritual e devoção filial a Maria

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Novembro de 2018

Círio de Nazaré Rio: crescimento espiritual e devoção filial a Maria

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

01/09/2018 19:05 - Atualizado em 03/09/2018 20:02
Por: Reportagem: Nathalia Cardoso e Symone Matias / Texto: Raphael Freire

Círio de Nazaré Rio: crescimento espiritual e devoção filial a Maria 0

temp_titleLoreto_1_03092018195426

A Arquidiocese do Rio de Janeiro iniciou na manhã deste sábado, 1º de setembro, o segundo dia de peregrinação da décima edição do Círio de Nazaré com a imagem peregrina vinda diretamente de Belém do Pará e que neste ano traz como tema: “Uma jovem chamada Maria”. O primeiro local visitado foi a Catedral de Santo Antônio, na Diocese de Nova Iguaçu, onde o bispo coadjutor, Dom Gilson Andrade da Silva, foi apresentado solenemente à Diocese (leia mais: "Nós o acolhemos, em nossa casa e em nosso chão").

Logo após a celebração, o cortejo seguiu em direção ao Vicariato Jacarepaguá, onde foi recepcionado pelo padre Daniel Rodrigues Mourão, na Capela Nossa Senhora de Nazaré, no Camorim, pertencente à Igreja Nossa Senhora da Saúde, em Curicica. A catequista e ministra da Sagrada Comunhão, Silvana Chiappetta, acompanhou todo o processo de construção da capela, que neste ano completou 10 anos de existência. Ela contou que, em unidade, a comunidade decidiu homenagear a família que doou o terreno para a construção da igreja, que era muito devota de Nossa Senhora de Nazaré, e desta forma também honrar a Mãe de Jesus.

“Não teria escolha melhor sobre a dedicação da nossa capela porque Maria está conosco desde o início de tudo. Recebemos o Círio de Nazaré há cinco anos e é um momento muito importante para a nossa comunidade. Tudo começou com um desejo de Dom Orani que pediu, em 2013, para o nosso pároco tentar incluir nossa igreja no roteiro do Círio de 2014. E de lá pra cá Dom Orani, muito gentilmente, com toda a organização deste grande evento, vem nos presenteando com a vinda de Nossa Senhora de Nazaré a nossa comunidade. Eu costumo dizer que não são os membros da comitiva que trazem Maria, mas que é Ela quem os traz até aqui, no Camorim, para neste dia ficar conosco, nos dando essa grande alegria. Isso ajudou muito a trazer uma capela que fica lá no finalzinho da rua para um cenário muito maior e para nós é uma graça muito grande porque temos a certeza da presença de Nossa Senhora conosco todos os dias, também porque seu filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, está conosco no sacrário e é o nosso morador mais importante. A presença do Pai, da Mãe e do Círio ajuda muito na nossa caminhada de fé e alavancou nossa comunidade”, testemunhou Silvana.

“Através da sua intercessão eu fui curada”

Com o término da celebração missionária presidida por Dom Orani no Camorim, os fiéis tiveram ainda a oportunidade de rezar diante da imagem, antes que ela seguisse para a Paróquia Nossa Senhora de Loreto, na Freguesia, onde foi acolhida pelo pároco, padre Sebastião Noronha Cintra, pelo vigário episcopal do Vicariato Jacarepaguá, cônego Robert Józef Chrzaszcz, e por fiéis que rezaram o Terço diante da imagem peregrina vinda de Belém do Pará.

“É com alegria que recebemos a imagem de Nossa Senhora de Nazaré pelo fato de nosso Santuário de Loreto ser cuidado pelos padres barnabitas, assim como também em Belém do Pará a Basílica Santuário é confiada aos barnabitas. Esse vínculo fez com que Dom Orani trouxesse sempre para nós e para a Igreja São Paulo Apóstolo, em Copacabana, o Círio de Nazaré. É muito importante a gente poder, no Santuário de Loreto, também cultuar Nossa Senhora com os títulos que ela recebe em todo o canto do mundo. Para nós é uma lembrança muito importante, principalmente aqui no Brasil, onde o Círio de Nazaré é tão forte, tão grande, e movimenta tanta gente, além de expressar a devoção filial das pessoas a Maria com esse título. Muito obrigado Nossa Senhora de Nazaré pela sua presença no meio de nós”, agradeceu padre Sebastião Cintra.

No Rio há 42 anos, o paraense Adilson Lopes contou que participa do Círio promovido pela Arquidiocese todos os anos. Ele destacou o amor do carioca à Virgem de Nazaré e ao povo de Belém, capital do estado do Pará, situado na região Norte do país.

“Desde 2010 participo do Círio de Nazaré lá em Belém do Pará porque ela é nossa padroeira e o nosso povo é maravilhoso. A população do Rio de Janeiro também tem um carinho muito grande por nós e, principalmente, por Nossa Senhora de Nazaré. Sempre que a imagem peregrina vem ao Rio eu e minha família estamos presentes porque paraense que não acolhe Nossa Senhora fica meio torto (risos). Desejo que Deus, através da intercessão de Maria, dê muita saúde a Dom Orani e a todos os bispos que vierem depois dele assumindo a Arquidiocese para que não deixem essa peregrinação faltar. Que todos os anos a gente possa recebê-la porque este Círio já está no coração dos cristãos católicos cariocas e é algo que não dá pra mensurar a emoção”, afirmou.

Esposa de Adilson, a carioca Maria Bernadete dos Santos assegura que tem sangue paraense. Muito devota, ela atribui a cura de um câncer grave na perna a intercessão de Nossa Senhora de Nazaré.

“Testemunho minha devoção e ela é tão grande que transmito para todos os moradores aqui do meu bairro e do Rio de Janeiro. Tive um câncer na perna e depois de curada voltei a Belém do Pará para agradecer a Nossa Senhora e participar da procissão. O importante não é ir ao Círio para assistir a procissão, mas acompanhar o cortejo com o povo e sentir a presença da nossa Mãe. Eu senti que ela me abençoou e através da sua intercessão eu fui curada. Por isso, agradeço eternamente”, destacou Maria Bernadete.

“Temos a certeza que Nossa Senhora intercede por todos nós”

Ainda no Vicariato Jacarepaguá, o cortejo seguiu para a casa da Congregação de Nossa Senhora de Belém. A imagem peregrina foi recepcionada pela Irmã Margarida e a celebração missionária, presidida por Dom Orani, foi concelebrada por cônego Robert Józef Chrzaszcz, pelo padre Sebastião Noronha Cintra, e pelo pároco da Igreja Nossa Senhora de Fátima, no Pechincha, monsenhor Jan Kaleta.

“Para nossa congregação a imagem de Nossa Senhora de Nazaré recorda o mistério da encarnação, Jesus nasce em Belém, mas Maria morava em Nazaré. Também para nós é conhecida porque nossa madre nasceu em Belém do Pará, então a devoção de Nazaré já é conhecida das Irmãs por essa origem da nossa madre. Este é um momento forte de evangelização, tanto que é também no dia dos nossos encontros catequéticos e os nossos catequizandos participam desta visita, eles estão preparados para isso. Toda a vida de Jesus começa em Nazaré”, disse Irmã Lúcia Imaculada.

Na sequência, Cardeal Tempesta também realizou a celebração missionária no Colégio Franciscano Santo Antônio, onde pais, alunos, professores acompanhavam a chegada da imagem, segurando a corda, como em Belém do Pará. O lugar estava repleto de fiéis, que vieram desde a casa das Irmãs de Nossa Senhora de Belém até o Colégio Santo Antônio. A madre geral da Congregação das Irmãs Franciscanas do Sagrado Coração de Jesus, Irmã Elaine das Chagas Coelho, ressaltou a alegria das religiosas mais idosas em acolher a Virgem de Nazaré. Ela contou que o local também é destinado como casa de acolhida, onde residem as irmãs mais idosas da congregação e falou ainda sobre a importância da intercessão de Maria pela cidade do Rio de Janeiro.

“Para nós é muito significativo receber a imagem de Nossa Senhora de Nazaré porque no último dia 19 de julho iniciamos um novo governo, logo, receber as bênçãos da Mãe nesse final do mês vocacional é muito especial. As irmãs mais idosas ficam muito felizes em receber Nossa Senhora, pois para elas é um momento de renovar a fé e ter a certeza de que Maria está sempre junto de nós. Agradecemos muito por ter essa honra de acolher a imagem e pedimos a Deus que abençoe cada vez mais Dom Orani nessa sua inciativa, além de trazer as bênçãos que nossa cidade, que passa por tantos momentos difíceis, precisa. Temos a certeza que Nossa Senhora intercede por todos nós”, pontuou Irmã Elaine.

Com a conclusão da celebração missionária, Dom Orani agradeceu a todos os presentes e encerrou com a bênção final. A imagem deixou, então, o Vicariato Jacarepaguá, e seguiu para a Paróquia Jesus de Nazaré, no Complexo da Maré, pertencente ao Vicariato Leopoldina.

temp_titleNova_Iqua_2_03092018195442

temp_titleNova_Iqua_1_03092018195439

temp_titleCamorim_2_03092018195412

temp_titleCamorim_1_03092018195409

temp_titleLoreto_2_03092018195429

temp_titleIrms_de_Belm_3_03092018195423

temp_titleIrms_de_Belm_2_03092018195419

temp_titleIrms_de_Belm_1_03092018195416

Fotos: Gustavo de Oliveira


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.