Arquidiocese do Rio de Janeiro

35º 21º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 24/09/2018

24 de Setembro de 2018

Paróquia Sagrada Família: 40 anos de missão

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

24 de Setembro de 2018

Paróquia Sagrada Família: 40 anos de missão

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

06/07/2018 10:11 - Atualizado em 06/07/2018 10:11
Por: Priscila Xavier e Symone Matias

Paróquia Sagrada Família: 40 anos de missão 0

Em Realengo, a comunidade paroquial da Igreja Sagrada Família prepara uma grande festa para comemorar o jubileu de 40 anos de fundação, no dia 11 de julho. Para celebrar a data, o bispo auxiliar do Rio Dom Luiz Henrique da Silva Brito presidirá a missa solene no dia 15 de julho, às 18h.

De acordo com o pároco, padre Jairo Dias de Oliveira, a igreja surgiu a partir de uma inspiração do então arcebispo, Cardeal Eugenio de Araújo Sales. “Há 40 anos, Dom Eugenio fez com que uma pequena capela pudesse assumir um papel missionário. Ele percebeu que esse condomínio iria crescer muito e precisaria de uma presença da Igreja no meio dele. Nessa região da Companhia Estadual de Habitação, conhecida como Cohab, temos 120 blocos, cada um com 40 apartamentos em média, com cinco pessoas por apartamento, tornando-se uma grande terra de missão”, contou.

Há oito anos na comunidade, padre Jairo destacou a missionariedade como um dos desafios da paróquia. “Temos um desafio porque o território é pequeno, mas a população é muito grande. Então, sentimo-nos bastante desafiados naquilo que nos pede o Papa Francisco: ser uma Igreja em missão, que se acidenta, mas, mesmo assim, não se acomoda diante dos desafios. Por isso, adaptamo-nos aos círculos bíblicos e demais pastorais para alcançar as famílias que vivem nos condomínios”, ressaltou.

Padre Jairo recordou, ainda, a presença dos párocos dominicais, isto é, com delegação para os sacramentos, uma vez que as religiosas da Congregação de Nossa Senhora da Visitação foram as primeiras administradoras da comunidade. “Completar esse jubileu é um sinal de gratidão aos padres dominicais que passaram por aqui, às irmãs que deram uma formação sólida e consistente à comunidade, que tem uma visão pastoral, de unidade e de missão, que veio dos corações generosos das religiosas. Estamos apenas colhendo os frutos e adubando as sementes para que cresçam cada vez mais. O que estamos colhendo hoje é fruto delas”, completou.

História

Devido à enorme necessidade de atender pastoralmente a região conhecida como Conjunto Dom Pedro I, que crescia demograficamente, pensou-se na possibilidade da criação de um templo. Desde 1972, já havia um movimento ainda tímido, porém eficaz, de evangelização de porta em porta.

Em 21 de abril de 1973, as irmãs da Congregação de Nossa Senhora da Visitação chegaram à região e passaram a orientar os moradores quanto à evangelização. A partir disso, surgiu uma igrejinha – feita de madeira, para servir de casa de oração. Com o empenho dos fiéis, a cabana deu lugar à Capela Sagrada Família, pertencente à Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Realengo. Só em 11 de julho de 1978 ela foi elevada ao título de paróquia.

Como a administração cabia às religiosas de Nossa Senhora da Visitação, não havia padres fixos na comunidade, apenas dominicais. Cerca de 30 anos depois, a Arquidiocese do Rio passou a administrar a paróquia, que teve como primeiro vigário paroquial o padre Alex Sandro dos Santos Irineu e, atualmente, há oito anos, o primeiro pároco residente, padre Jairo Dias de Oliveira.


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.