Arquidiocese do Rio de Janeiro

34º 25º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/12/2018

18 de Dezembro de 2018

Movimento de Schoenstatt celebra ano do fundador

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Dezembro de 2018

Movimento de Schoenstatt celebra ano do fundador

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

18/05/2018 11:19 - Atualizado em 18/05/2018 11:19
Por: Priscila Xavier / Symone Matias

Movimento de Schoenstatt celebra ano do fundador 0

Uma celebração na Catedral de São Sebastião, no dia 12 de maio, presidida pelo Cardeal Orani João Tempesta, marcou os 50 anos de falecimento do padre José Kentenich, fundador do Movimento Apostólico de Schoenstatt. Entre os concelebrantes estavam o bispo auxiliar Dom Luiz Henrique da Silva Brito, o vigário episcopal para a Vida Consagrada, Dom Roberto Lopes, e o diretor regional do movimento, padre Afonso Wosny Filho.

A celebração contou com a presença de famílias pertencentes ao movimento, que acompanharam a celebração com imagens peregrinas da Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável.

O movimento

De acordo com o diretor regional, padre Afonso Wosny Filho, o Movimento Apostólico de Schoensatatt foi fundado, no dia 18 de outubro de 1914, pelo padre José Kentenich, em Schoenstatt, na Alemanha. O movimento é formado por pessoas que selam uma aliança de amor com a Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, como forma de viver o Batismo e contribuir para a renovação da sociedade. “O objetivo do movimento é a educação do homem novo, que deve ser santo na vida diária, e assim influenciar a transformação da sociedade para que se faça um mundo novo. Desta Aliança de Amor vivida em profundidade nasce uma forte consciência de missão, e conduz a todos que a selaram a se converterem em eficazes instrumentos nas mãos de Maria, colaborando com Ela na renovação do mundo”.

Seus membros vivem a radicalidade dos conselhos evangélicos sem, contudo, fazerem votos. Já os membros das comunidades se comprometem ao empenho apostólico sem vincular-se obrigatoriamente a uma vida de comunidade. Conforme o desejo do fundador, padre José Kentenich, os membros dos institutos e das uniões têm a tarefa de servir, na medida do possível e em disponibilidade responsável, às organizações da Liga e do Movimento Popular e de Peregrinos.

“Tendo Maria como educadora do cristão, Ela conduz seus filhos ao Pai. Ensina-os a fé na Divina Providência, que vê as indicações do amor e da vontade de Deus nos mais diversos acontecimentos da vida pessoal e do mundo”, explicou o diretor regional.

Fundador

O fundador, padre José Kentenich, nasceu na Alemanha em 1885 e faleceu em 1968. Ele que quis anunciar o Deus da vida, sempre ligando as pessoas a Maria, por ela ser a grande educadora para que todos conhecessem o Deus da vida. Segundo o padre Afonso Wosny, o fundador iniciou diversas comunidades para homens consagrados e também famílias para que queiram consagrar sua vida. Assim com sua experiência surgiu toda obra, pois muitos queriam ter essa mesma experiência, na qual começou o movimento de apostolado com a capela peregrina. O padre José Kenttenich teve, em 1974, seu processo de canonização aberto na diocese de Treves.

“O movimento hoje está presente em todos os cinco e no Brasil, está presente em quase todas as dioceses, colaborando na evangelização de mais de 2,5 milhões de famílias. A obra de Schoenstatt é integrada por seis institutos seculares – sacerdotes, famílias, leigos consagrados, jovens, homens, mulheres e crianças, nos seus diferentes estados de vida”, explicou.

Aliança de Amor

A primeira Aliança de Amor em Schoenstatt foi selada pelo fundador, padre José Kentenich, e os seus educandos, na Capelinha de São Miguel, em Schoenstatt, na Alemanha, em 18 de outubro de 1914. Eles se entregaram como instrumentos nas mãos de Maria, para tornar a capelinha um santuário de graças e escola de homens novos: os aliados se empenham seriamente na vivência de seu Batismo, entregando os méritos obtidos como contribuição para que Maria faça da capelinha a sua morada, um lugar de graças e de educação de missionários para a renovação do mundo.

“Todo esse ano é o ano do padre José Kentenich. E no dia 7 de julho de 2018, a Família de Schoenstatt do Regional Sudeste celebra o Ano Padre Kentenich, no Santuário Nacional de Aparecida. Quem quiser participar da peregrinação à Aparecida do Norte para celebrar os 50 anos de falecimento do fundador pode procurar o santuário em Vargem Pequena ou entrar no site http://www.schoenstatt.org.br para se inscrever, pois teremos alguns ônibus saindo daqui”, convidou padre Afonso.

Atividades do santuário

No santuário, em Vargem Pequena, situado na Zona Oeste do Rio, todo dia 18 de cada mês é celebrada a renovação da Aliança de Amor, na qual se reza a oração de consagração.

Também todos os dias o santuário está aberto das 8h às 18h, com missas diárias, às 16h, e aos domingos às 11h30. No dia 26 de maio, haverá um encontro com as mães, no intuito de renovar a aliança.

Dentro dos festejos do jubileu está a comemoração dos 20 anos de fundação da capelinha, hoje santuário, em Vargem Pequena, prevista para o dia 18 de outubro, com missa presidida por Dom Orani.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.