Arquidiocese do Rio de Janeiro

32º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 19/11/2018

19 de Novembro de 2018

Centro Social no Centro atende mulheres grávidas

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

19 de Novembro de 2018

Centro Social no Centro atende mulheres grávidas

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

11/05/2018 13:49 - Atualizado em 11/05/2018 13:50
Por: Louis Bárbaras / Symone Matias

Centro Social no Centro atende mulheres grávidas 0

temp_titleCentro_Social_Nossa_Senhora_do_Parto_25112016105659

O Centro Social Nossa Senhora do Parto, situado no centro comercial do Rio, oferece atendimento social, psicológico e jurídico a mulheres grávidas e às suas famílias de forma gratuita. A iniciativa foi motivada pelo padre Omar , na época que era reitor  da Igreja Nossa Senhora do Parto. O projeto  visa prestar assistência à mulher, promovendo o bem-estar bio-psico, social e espiritual.

Entre as ações propostas pelo centro social, destacam-se serviço social, atendimento psicológico, terapia de família, orientação jurídica, orientação e defesa da vida, curso e acompanhamento educativo à gestante. Os atendimentos acontecem de segunda a sexta, das 14h30 às 16h30, na Igreja Nossa Senhora do Parto, no Centro.

Missão

O projeto nasceu há 4 anos e hoje com apoio do atual reitor padre Gleuson Gomes. No momento conta com 430 mulheres cadastradas. O Centro Social trabalha principalmente com jovens de 14 a 20 anos, entre elas, moradoras de rua, meninas que sofreram abusos da família, e meninas de comunidades carentes que perderam a infância e a adolescência. O centro tem como missão oferecer um espaço inclusivo de acolhimento e valorização da vida dessas mulheres, com uma perspectiva multiprofissional.

“Dessas 430 mulheres, 10% já estão trabalhando. Já tiramos algumas da rua; já conseguimos benefícios para a grande maioria delas, que não tinham condições de trabalhar por deficiência psiquiátrica. O que podemos oferecer a essas meninas, além das políticas públicas que a gente encaminha, também é o nosso abraço, o nosso afeto, e elas se sentirem acolhidas”, contou a assistente social e coordenadora do Centro Social Nossa Senhora do Parto, Iranize Muniz.

Parcerias e ações

O Centro Social , é acompanhado e apoiado pela Assistente social Silvia Gonzaga, que representa o Santuário Cristo Redentor ,  através da Ação de Amor do Cristo Redentor. Outras instituições também apoiam: a Universidade Veiga de Almeida, o Hospital Universitário Pedro Ernesto, a Clínica da Família Nélio de Oliveira e o Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) Dodô de Portela. Além disso, o projeto conta com ajuda de diversos doadores e tem parceria com as Irmãs Missionárias da Caridade, na Lapa, que cedem alimentos, roupas e cortes de cabelo.

“Nossa trabalho, há quatro anos, não chegaria onde chegou se não tivesse uma colaboração dos benfeitores. São pessoas que se engajaram a nos ajudar; sempre que a gente precisou pudemos contar; não só as pessoas da igreja, mas também pessoas que passam, veem o cartaz, entram e se interessam”, destacou Iranize.

Um dos focos, dentro do trabalho feito pelo Centro Social, é o atendimento psicológico a mulheres gestantes. Durante a gravidez, elas participam de sessões de terapia, com psicólogas voluntárias do projeto. Esse atendimento psicológico é intensificado após o bebê nascer, já que muitas sofrem de depressão pós-parto.

Pró-vida

No contexto da parceria com o movimento Pró-vida, o centro social também auxilia mulheres que querem interromper a gravidez.  A intenção é fazer com que elas possam refletir sobre o valor da vida. Para isso, há todo um trabalho gradual de amorização.

“A primeira coisa que a gente faz é dar um enxovalzinho de presente. Começamos a envolver essa mãe, a ponto de ela se apaixonar pela criança e não querer mais o aborto. Durante o processo, a gente trabalha com psicólogas e com o grupo de oração. Temos testemunhos de muitas mulheres que foram abandonadas durante a gravidez pelos seus maridos, e como elas superaram essa situação. Isso também contribui para que elas desistam e comecem a amar seus filhos”, explicou a coordenadora do Centro Social.

O projeto também atua em um âmbito jurídico para oferecer direitos, tais como reconhecimento da paternidade e pensão alimentícia. Ele também promove cursos, com perspectiva profissionalizante. “Nós oferecemos um curso de artesanato uma vez por mês. Esse ano nós vamos entrar com um curso de maquiagem e um trabalho agora de desenvolvimento do corpo. Então, elas vão descobrir a autoestima através da dança”.

Estrutura

O Centro Social Nossa Senhora do Parto funciona de segunda a sexta, das 9h às 16h30. São 15 pessoas que estão à frente do projeto, entre elas, assistentes sociais, terapeutas e advogados. De segunda-feira a quarta-feira é feita a triagem: as jovens são recebidas, entrevistadas e depois encaminhadas para os trabalhos, para os cursos e para as políticas públicas. Quinta-feira e sexta-feira são dias destinados exclusivamente a atendimentos psicológicos.

Os atendimentos são feitos com hora marcada, e devem ser agendados por telefone através do número 2292-8892. O centro atende no máximo quatro pessoas por dia, e está localizado na parte superior da Igreja Nossa Senhora do Parto, na Rua Rodrigo Silva, 7, no Centro.

“Só em ser dentro da igreja, elas já se sentem amparadas. Temos cinco missas lá durante o dia. Então, enquanto elas estão me esperando, elas ficam embaixo na missa do grupo de oração. As pessoas podem ajudar fazendo doação de fraldas, que é nossa ferramenta de trabalho. Recebemos também leite de doação e cestas básicas, que alguns precisam muito”, complementou Iranize Muniz.

Atividades de 2018

Em 2018, o centro social irá promover diversas atividades periodicamente ao longo do ano. Toda segunda quarta-feira do mês haverá um encontro na Livraria Paulus. O curso de maquiagem acontecerá toda primeira quarta-feira do mês, e o curso de artesanato na última quinta-feira de cada mês. Ocorrerá também um curso para gestantes (orientação sobre desenvolvimento do bebê, cuidados pré-natais e puericultura) toda primeira terça-feira do mês. Haverá uma ação de saúde na terceira quinta-feira de cada mês, e uma oficina vicencial, com o objetivo de resgatar a autoestima através da dança, no auditório da Livraria Paulus. Finalmente, haverá palestras com psicólogas na última quinta-feira de cada mês.

Foto: Divulgação

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.