Arquidiocese do Rio de Janeiro

38º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 15/12/2018

15 de Dezembro de 2018

São Sebastião na Zona Oeste

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

15 de Dezembro de 2018

São Sebastião na Zona Oeste

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

13/01/2018 20:32 - Atualizado em 13/01/2018 20:57
Por: Nathalia Cardoso e Priscila Xavier

São Sebastião na Zona Oeste 0

Este sétimo dia da Trezena de São Sebastião, 13 de janeiro, teve como tema "Igreja, comunidade missionária". O arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, conduziu a imagem peregrina do santo padroeiro da cidade por paróquias e capelas da Zona Oeste, começando com a missa “O Rio Celebra”, na Paróquia São Sebastião, na Vila Militar.

A comitiva visitou ainda a Capela São Sebastião, em Nova Sepetiba; a Paróquia São Pedro Apóstolo, em Pedra de Guaratiba; as capelas São Sebastião, em Jardim Maravilha e Cantagalo, ambas em Guaratiba; as capelas São Sebastião do Sagrado Coração de Jesus e São Sebastião, ambas em Campo Grande; e a Capela Sant'Ana e São Sebastião, em Guaratiba.

A Comunidade Sementes do Verbo acompanhou as visitas do dia.

São Pedro Apóstolo

Na Paróquia São Pedro Apóstolo, a imagem foi recepcionada pelo pároco, padre Marcos Vinicius Antunes da Trindade.

Dom Orani conduziu a celebração e falou sobre o evangelho do dia (Mc 2, 13-17), sobre quando Jesus sentou para comer com os cobradores de impostos e pecadores.

"Os senhores da lei censuram Jesus por estar comendo com pessoas assim e ele diz que veio para buscar aqueles que estão perdidos", destacou o cardeal.

Segundo ele, a Igreja é permanentemente missionária e é sobre isso o tema de reflexão deste sétimo dia de Trezena. Ele convidou a todos a saírem dos territórios de suas paróquias e exercerem a missionariedade, que é característica do laicato, uma vez que em 2018 a Igreja celebra o Ano do Laicato.

Na chegada da comitiva, três ultraleves sobrevoaram a paróquia, anunciando a chegada do padroeiro.

Legado de amor

Eunice Moreira da Presa, de 71 anos, é a responsável pela preparação do almoço para a comitiva de São Sebastião na Paróquia São Pedro Apóstolo há seis anos. A imagem peregrina visita a comunidade há nove anos, desde a primeira edição do evento. Eunice manteve vivo o legado de seu marido, que foi responsável por essa missão nas primeiras visitas.

Valdemiro Lopes da Presa Filho era cozinheiro e responsável pela alimentação em todas as festividades da paróquia. Agora, Eunice e seus quatro filhos honram o padroeiro e a memória do pai, falecido há seis anos, levando adiante essa tradição.

A matriarca contou que sempre pede a São Sebastião pela união de sua família e, uma vez que sempre foi atendida, ela agradece ao padroeiro durante essas visitas. Uma das formas de agradecer é auxiliando o padre na cozinha.

Jardim Maravilha

No Jardim Maravilha, a estrada de terra, bastante enlameada devido às chuvas, dificultou a passagem da comitiva, mas não diminuiu a animação e devoção dos fiéis, que receberam a imagem com a capela lotada e fogos de artifício.

São Sebastião foi acolhido pelos dois diáconos da Paróquia Santa Clara, à qual a capela pertence, Antonio de Carvalho Faria e Claudio Natal Muniz Barbosa. O pároco, padre Felipe Xavier de Moraes, esta de férias.

São Sebastião cura

Mônica Pires é responsável pela capela há dois anos, mas frequenta o local há 17 anos. A capela faz parte da comunidade há 36 anos.
Ela, que recebe a imagem peregrina desde a primeira visita, em 2009, contou que antes de ter um encontro com Jesus, era alcoólatra e chegou a se prostituir.

"Foi aqui onde tudo começou na minha vida e quando voltei a comungar. Eu andava perdida pelo mundo e quando vim morar aqui, foi nessa capela que eu tive um encontro com Jesus e agradeço muito a Deus por isso", contou.

O neto mais velho de Monica faz 11 anos no próximo dia 20 de janeiro, dia do santo padroeiro da capela e da cidade. "Deus me deu esse presente: o meu primeiro netinho ter nascido no dia 20. Eu sou muito feliz", exclamou ela, que tem dois netos.

Segundo Mônica, a maior dificuldade que a capela enfrenta é quando chove, porque as ruas do entorno alagam.

"Mas eu digo para as pessoas que temos que agradecer muito por não vivermos em uma área violenta, com risco de tiroteios. O barro que se forma aqui é o menor dos males, até porque a água vem de Deus", disse.

Ela contou que participará da festa do padroeiro na capela, na próxima semana, acompanhada de seus três filhos e dois netos.

Cantagalo

Na capela dedicada ao padroeiro no Cantagalo, em Campo Grande, a imagem foi recebida pelo padre André Luiz Teixeira de Lima, pároco da paróquia à qual a capela pertence, Nossa Senhora da Conceição, no Monteiro.

O diácono da paróquia, Marcos José Santos de Andrade, que atua no local há sete anos, desde que foi ordenado, contou que a capela tem uma característica missionária e trabalha em rede com outras comunidades na realização das atividades.

"Estamos recebendo nesse momento 70 missionários vicentinos de Santa Catarina e Belo Horizonte. Eles chegaram hoje. Também vão preparar missionários daqui para saírem em missão, ajudando-nos a ser uma Igreja em saída, como o Papa e nosso cardeal tanto pedem", contou.

Frutos

Na Capela São Sebastião, que pertence a Paróquia São João Batista, em Campo Grande, a imagem foi recepcionada pelo pároco, padre Roberto dos Santos Pereira e pelo diácono Jairo de Araújo Pavão.

A comunidade comemora seus 42 anos de existência semana que vem.

"É com muita alegria que recebemos hoje nosso cardeal e a comitiva aqui. Vamos pedir a misericórdia de Deus através da intercessão do nosso padroeiro, São Sebastião para que sigamos no caminho do amor", exortou o pároco.

Joana de Oliveira Batista atua na comunidade há 12 anos, desde que se mudou para o Rio de Janeiro - ela é de Minas Gerais. A paroquiana contou que o marido foi curado de câncer através da intercessão de São Sebastião. Uma das formas que ela encontra de agradecer é atuando ativamente na comunidade.

"Eu já falei para todo mundo que mesmo que um dia eu esteja numa cadeira de rodas, continuarei trabalhando aqui. Só me tiram daqui arrastada", brincou ela, que durante todo o tempo manteve um sorriso no rosto. "A comunidade é pobre, mas são pessoas incansáveis no serviço", finalizou.

Sant'Ana e São Sebastião

Na última capela visitada do dia, quem recebeu a imagem peregrina foi a coordenadora da capela, Eleda Marques. Dom Orani fez a celebração no local.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.