Arquidiocese do Rio de Janeiro

30º 20º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 21/09/2018

21 de Setembro de 2018

‘São Sebastião é um grande exemplo de cristão leigo’

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

21 de Setembro de 2018

‘São Sebastião é um grande exemplo de cristão leigo’

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

08/01/2018 19:01 - Atualizado em 08/01/2018 19:06
Por: Aline Soares e Nathalia Cardoso

‘São Sebastião é um grande exemplo de cristão leigo’ 0

‘São Sebastião é um grande exemplo de cristão leigo’ / Arqrio

O tema deste segundo dia da Trezena de São Sebastião, 8 de janeiro, foi “Identidade da vocação laical”. O arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, explicou o exemplo de laicato de São Sebastião durante todas as visitas da comitiva. Segundo ele, a imagem do padroeiro ajuda a lembrar para o cristão leigo que, mesmo em meio a tantas situações ruins e de violência, não se pode negar a própria fé.

“Os cristãos leigos são chamados a fazer a diferença no mundo, na maneira de ser, de se comportar e de viver o Evangelho. São Sebastião é um grande exemplo de cristão leigo que viveu bem a sua fé e a testemunhou até o fim de sua vida”, afirmou o cardeal em sua homilia na missa celebrada na Cidade da Polícia, no Jacarezinho, o segundo local visitado do dia. A celebração foi transmitida pela Rádio Catedral FM.

Além da Cidade da Polícia, o cardeal, com a imagem e a comitiva do padroeiro do Rio, passou pelo Hospital Central do Exército (HCE), em Benfica, pela Capela São Sebastião, em Del Castilho, que realiza trabalho de assistência social na cracolândia próxima, pela Paróquia São Benedito, em Pilares, pelo Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into), em São Cristóvão, pelo Cemitério dos Padres, no Caju, onde o cardeal fez uma oração pelos padres falecidos, pela Casa de Idosos Socorrinho e pela Casa São Luiz para a Velhice, ambas no Caju, e finalizou as atividades do dia no Museu de Belas Artes (MNBA), no Centro.

O reitor do Santuário Cristo Redentor, padre Omar Raposo, o vigário episcopal do Vicariato Urbano, padre Wagner Toledo, e o padre João Machado, da Comunidade Sementes do Verbo, acompanharam a comitiva durante o dia.

Pela segurança e pela paz

A Cidade da Polícia é um espaço da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro onde se encontram 13 delegacias especializadas, a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), cinco órgãos da chefia de Polícia Civil e cerca de três mil agentes policiais.

A imagem do padroeiro da cidade foi acolhida no local pelo corregedor da instituição, Paulo Passos, e pelo comissário de polícia André Nascimento.

Dom Orani, em sua homilia, fez um paralelo entre o padroeiro da cidade e os policiais que ali se encontravam. São Sebastião foi soldado romano e morreu por sua fé. Desta forma, segundo o cardeal, os policiais também são chamados a executar suas funções com amor e caridade e a testemunhar sua fé.

“É realmente gratificante poder estar junto desses irmãos que trabalham pela segurança do estado durante esse tempo da Trezena. Assim, podemos dizer a eles que sabemos de suas dificuldades, das grandes decisões que têm a tomar, e que pedimos que Deus os inspire e ilumine, em cada decisão e em cada dia”, disse o cardeal.

Paulo Passos, que também é católico, afirmou que se sente honrado por receber a imagem do padroeiro no local: “Por coincidência, ele foi um guerreiro igual à nossa Polícia Civil. Tinha suas convicções religiosas, e por isso foi flechado, mas não permitiu que suas convicções fossem suplantadas pelo imperador romano. E assim é a nossa polícia. Sempre está em defesa da sociedade, esse é o nosso ideal. É por isso que, para nós, católicos, a presença de São Sebastião aqui hoje é excelente. E por ser início de ano, nos convida a refletir sobre aquilo que realmente nós queremos para a nossa cidade e para o nosso estado”, afirmou.

A subchefe administrativa da polícia, Elizabeth Cayres, não é católica, mas participou da missa e afirmou que entender e preservar o ecumenismo é importante devido à função que exerce.

“Devemos respeitar todas as religiões. As mensagens que Dom Orani e o padre Omar trazem pra nós são sempre extremamente necessárias e muito boas, pois exercemos uma profissão que, pela própria natureza da atividade, é estressante, e a situação econômica do nosso estado nos gera ainda mais estresse porque não temos os meios necessários para exercê-la”, afirmou.

Segundo ela, é importante se fortalecer espiritualmente para continuar o trabalho com sabedoria, mesmo diante das dificuldades.

Ao encontro dos que sofrem

A comitiva de São Sebastião foi acolhida, no Into, pelo chefe da segurança, Sandro de Abreu Soares. No local, Dom Orani visitou duas alas do CTI, alguns leitos e a capela do hospital.

A psicóloga Maria Facó contou que é sempre uma alegria receber o cardeal e a comitiva na Trezena. Segundo ela, a reação dos pacientes após a visita é sempre muito positiva.

“Nessa época de crise pela qual o país passa, é bom crer em Deus. Independente da religião, a própria presença do cardeal transmite essa força da fé, da importância de acreditar em algo e ter em que se ancorar nesse momento porque a internação é realmente uma fase muito difícil”, frisou.

O Into conta com um Comitê de Reconforto Espiritual e Religioso (Crer), que presta assistência aos pacientes no dia a dia.

Testemunho de sabedoria

Papa Francisco, em sua visita ao Brasil por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, em 2013, falou, no Palácio São Joaquim, no dia 26 de julho, sobre a importância dos idosos na sociedade e dois dos locais visitados hoje são de acolhida de idosos: a Casa de Idosos Socorrinho e a Casa São Luiz.

“Como os avós são importantes na vida da família, para comunicar o patrimônio de humanidade e de fé que é essencial para qualquer sociedade! E como é importante o encontro e o diálogo entre as gerações, principalmente dentro da família”, disse o Sumo Pontífice.

A Casa Socorrinho abriga atualmente mais de 20 idosos. A imagem foi recebida pelo padre Marcelo Henrique Freitas, vigário da Paróquia Santo André, em São Cristóvão, que abriga o local em seu território.

Já na Casa São Luiz, a celebração missionária foi na Capela São Luiz, interna. Estiveram presentes a diretoria, os cuidadores e os idosos que vivem no local. A imagem peregrina foi acolhida pelo padre Marcelo Freitas.

No MNBA, a imagem foi recebida pela diretora, Mônica Xexéo. Dom Orani fez uma oração e abençoou o local.


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.