Arquidiocese do Rio de Janeiro

35º 27º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 17/01/2018

17 de Janeiro de 2018

Paróquia na Taquara celebra jubileu de ouro

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

17 de Janeiro de 2018

Paróquia na Taquara celebra jubileu de ouro

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

05/01/2018 14:26 - Atualizado em 05/01/2018 14:26
Por: Nathalia Cardoso

Paróquia na Taquara celebra jubileu de ouro 0

A Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima e Santo Antônio de Lisboa, na Taquara, abriu as comemorações de seu jubileu de ouro na data de sua criação, dia 28 de dezembro. A celebração eucarística foi presidida pelo vigário paroquial, padre Washington Carlos Silva Amorim, ordenado sacerdote no dia 16 de dezembro. Ele era provisionado na paróquia antes de ser ordenado.  O pároco, padre Julio Cesar da Silva Santos, foi o concelebrante.

“Para nós é muito significativo celebrar esta data porque temos muitas pessoas ‘dentro’ desses 50 anos. São muitas vidas e muitas histórias. Celebrar 50 anos é celebrar a história de muita gente: todos os que foram batizados, os que receberam a Primeira Eucaristia. São 50 anos de anúncio da Palavra de Deus acontecendo no bairro da Taquara. Para nós, é uma alegria”, afirmou o pároco.

A missa deu início às atividades comemorativas dos 50 anos. Segundo o pároco, elas acontecerão ao longo de 2018, mas a paróquia ainda não fechou a agenda desses eventos.

História

Padre Julio contou que a história da paróquia é marcada fortemente pela devoção a Nossa Senhora de Fátima. Segundo ele, o bairro tem dois padroeiros portugueses, devido ao fato de morarem muitas pessoas de nacionalidade portuguesa no local.

“Lembrando que Santo Antônio de Pádua é o mesmo Santo Antônio de Lisboa, nosso padroeiro. Porém, Lisboa, em Portugal, foi o local de nascimento do padroeiro, enquanto Pádua foi seu local de morte e fica na Itália. Referimo-nos a ele como Santo Antônio de Lisboa porque é um bairro de portugueses”, explicou o pároco.

A capela que precedeu a matriz era dedicada a Nossa Senhora de Fátima e nela aconteciam celebrações e missas. O terreno para construção da igreja foi adquirido pela Associação Nossa Senhora do Rosário de Fátima e teve como mediador monsenhor Ivo Antônio Calliari, o primeiro pároco.

Início da devoção

A imagem de Nossa Senhora de Fátima que se encontra no local até hoje é originária de Portugal. Foi trazida em abril de 1967. Ela é feita de madeira, com olhos de vidro. Mede 1 metro e 25 centímetros e possui uma coroa de prata. Carrega também um terço prateado nas mãos.

Acredita-se que essa mesma imagem, que passou por uma restauração há mais de sete anos, guarde uma história que explica o início da forte devoção à padroeira no local. Padre Julio contou que ouviu essa história de paroquianos que assistiram o surgimento da paróquia.

Segundo os relatos que o padre ouviu, a história aconteceu em agosto de 1967. Uma senhora e suas duas filhas participaram da oração do terço na capela. Ao final, as duas crianças foram apagar as velas do altar. Nesse momento, elas viram lágrimas escorrerem do rosto de Nossa Senhora. Logo chamaram a mãe, que confirmou o fato e avisou à vizinhança.

O capelão do local na época, padre João Batista Bísio, pediu para recolherem uma amostra do líquido que escorria dos olhos da imagem. Para ele, parecia parafina ou cera derretida.

No mesmo dia, mais tarde, a virgem chorou novamente. O fenômeno lotou a capela.

“Eu acredito que tenha sido um milagre. O povo que viu diz que se formavam filas e filas na porta da capelinha e que Nossa Senhora chorou sim”, contou o pároco.

Acredita-se que por estar sempre muito cheia devido ao fenômeno, a capela já não comportava o número de pessoas e tornou-se necessária a construção de um templo maior. Foi feita então uma campanha de arrecadação para a construção da igreja.

Párocos

O primeiro pároco da Nossa Senhora do Rosário de Fátima e Santo Antônio de Lisboa foi monsenhor Ivo Antônio Calliari. Ele saiu da paróquia para cuidar da construção da Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro, da qual foi pároco. Depois dele veio o padre Fernando Pimentel. Ele passou a vida inteira na paróquia. Padre Renato Martins assumiu quando padre Fernando faleceu. Em 2013, padre Julio tornou-se o administrador paroquial, e, em 2015, foi provisionado pároco.

“Para mim, foi um grande desafio por ser uma paróquia enorme, muito populosa. Foi muito bom e um grande presente de Deus poder assumir essa paróquia”, pontuou o sacerdote.

Pastorais e movimentos

A paróquia possui 45 pastorais e movimentos ativos. “É um povo muito próximo, que gosta de estar na paróquia, de trabalhar, mesmo com as dificuldades”, sublinhou padre Julio.

Ele contou que a primeira coisa que fez ao chegar foi construir nos paroquianos a ideia de ‘casa’, lar. “Nós nunca a tratamos como nossa paróquia e, sim, como nossa casa. Essa é uma oportunidade de mostrar aos paroquianos que eles não são alheios ao que acontece aqui e que participam de tudo”, explicou.

Depois, ele tentou fazer com que as pessoas tivessem uma intimidade maior com Deus. “Não que essa intimidade já não existisse. A paróquia sempre foi muito boa e teve um acompanhamento pastoral muito bom. Meu trabalho foi continuar e conduzir”, disse.

Vocações

A comunidade possui duas capelas, uma dedicada a São José e outra a São Jorge. O diácono permanente Marcos Antonio de Freitas é provisionado no local desde que foi ordenado, em 2010. Até hoje, foram despertadas na comunidade dez vocações: são três padres ordenados, cinco seminaristas realizando os estudos atualmente, e duas religiosas.

Festividades

Os padroeiros são celebrados, respectivamente, nos dias 13 de maio e 13 de junho. Cada um deles tem uma festa para celebrar sua data, sendo a festa de Santo Antônio também a festa junina da paróquia.

Reformas

Padre Julio contou que o término da construção do prédio pastoral foi em 2015. Depois foi feita uma extensão do mezanino e, para celebrar os 100 anos de Nossa Senhora de Fátima, foi construído um oratório do lado de fora do templo. Ele foi inaugurado em 2017.

Primeiro pároco

O primeiro pároco, monsenhor Ivo, após o trabalho realizado na paróquia, idealizou, construiu e foi pároco da atual Catedral Metropolitana, na Av. Chile, no Centro. Foi também ecônomo da arquidiocese e diretor do Museu Arquidiocesano de Arte Sacra (MAAS).

Pároco atual

Padre Julio, o atual pároco, fez sua pastoral no local, em 2009, quando seminarista. Depois voltou como diácono. Foi provisionado em dezembro de 2011.

Em abril de 2013, foi ordenado padre. Em agosto de 2013, quando padre Renato saiu da paróquia, se tornou administrador paroquial. E em 2015 recebeu a provisão de pároco.

JMJ Rio2013

Na Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013), a paróquia recebeu catequeses de língua espanhola. “Acolhemos quase três mil peregrinos em nossa área paroquial. Nossa participação foi bem ativa, e foi um momento muito fecundo”, contou padre Julio, que tinha acabado de assumir a paróquia na época.

Contatos

Site: www.rosariodefatima.org.br

Facebook: /rosariodefatimataquara

Youtube: Rosário de Fátima


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.