Arquidiocese do Rio de Janeiro

35º 27º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 17/01/2018

17 de Janeiro de 2018

O Papa nos espera no Panamá

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

17 de Janeiro de 2018

O Papa nos espera no Panamá

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

29/12/2017 10:49 - Atualizado em 29/12/2017 11:34
Por: Fátima Lima / Raphael Freire

O Papa nos espera no Panamá 0

“A Providência divina sempre nos precede. Ela já decidiu onde será a próxima etapa desta grande peregrinação iniciada, em 1985, por São João Paulo II! Por isso, é com alegria que lhes anuncio que a próxima JMJ, depois das duas a nível diocesano, se realizará no Panamá, em 2019”. Com essas palavras, no dia 31 de julho de 2016, o Papa Francisco anunciava ao mundo o próximo país que acolheria a 34ª Jornada Mundial da Juventude, que ocorrerá pela primeira vez na América Central, e tem como lema: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1,38).

A Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, que organizou a Jornada na cidade carioca em 2013 e realizou a peregrinação à Cracóvia, na Polônia, foi ao Panamá, em visita precursora, para preparar a peregrinação dos jovens que farão parte do grupo oficial do Rio. A comitiva, composta por cinco membros: Dom Joel Portella Amado, Dom Paulo Alves Romão, Cônego Cláudio dos Santos, Padre Ramon Nascimento, Raphael Fritz e Fátima Lima, realizou visita a Arquidiocese do Panamá, ao Comitê Organizador Local (COL) e alguns pontos da cidade. 

“Nós poderíamos pensar um pouco no preparo do grupo oficial da Arquidiocese do Rio, somente através da internet, e de todos os meios de comunicação, no entanto, estar no local, conhecer as pessoas, ver rostos e estabelecer contatos é muito importante. E essa é a primeira grande conclusão. É um povo muito acolhedor, disponível a abrir suas portas, seu coração. Creio que seja um estilo de viver e fazer a jornada muito parecido com o jeito carioca de ser”, destacou o bispo auxiliar do Rio de Janeiro, Dom Joel Portella.

Durante cinco dias de visita à capital panamenha, a comitiva teve a oportunidade de dividir a experiência vivida no Rio em 2013.

Em primeiro lugar, o povo panamenho e o povo brasileiro são muito semelhantes. É um povo super acolhedor, atencioso, carinhoso, alegre, feliz, e com uma simplicidade imensa, com um desejo de aprender impressionante. Dos vários encontros que fizemos aqui, eu ficava olhando para o rosto das pessoas quando Dom Joel e os outros respondiam as perguntas e partilhavam suas experiências, as pessoas ficavam com os olhos arregalados, acolhendo de uma forma tão bela. Pessoas simples, belas, com desejo de aprender, de acolher, toda essa riqueza que, por graça de Deus, vivemos no Rio de Janeiro, e hoje podemos partilhar com os outros, eu vi isso, e foi uma experiência maravilhosa”, pontuou o bispo auxiliar e responsável pelo Setor Juventude da Arquidiocese do Rio, Dom Paulo Romão.

Fundada em 28 de novembro de 1821, o Panamá passou por alguns momentos de independência ao longo da sua história, tanto assim, que o mês de novembro é marcado por várias comemorações. O país divide as Américas do Sul e Central proporcionando a união entre os povos, bem como, também, dos oceanos Pacífico e Atlântico. Sua história é conhecida por qualquer cidadão panamenho, e, é contada com muito amor e carinho. Em cada carro, na janela das casas, nas mesas de trabalho, ali está à bandeira do Panamá. Eis aí um povo patriota!

E é neste país que o Papa Francisco estará aguardando os jovens do mundo inteiro para viver momentos de espiritualidade e cultura. A Jornada Mundial da Juventude tem a missão de favorecer o encontro pessoal com Cristo, que muda a vida, e promove a paz, a unidade e a fraternidade dos povos e das nações através dos jovens como embaixadores. Dom Paulo Romão destacou a abertura do coração dos jovens a Deus.

“A primeira coisa que eu pude perceber é que o coração humano é sempre o mesmo! É um desejo imenso de amar a cristo, de servir a Igreja, de se colocar disponível, isso tudo para um grande acontecimento como esse, a Jornada Mundial da Juventude. Eu vi jovens com os olhos escancarados, com os corações escancarados, e com o desejo imenso de aprender. A gente vê como a nossa Igreja é bela, e como os jovens católicos de todo o mundo, no Brasil, no Panamá e em qualquer lugar querem viver a nossa fé, são generosos em aderir, em dizer sim, a qualquer proposta que a Igreja faz, esse é um sinal de grande esperança para nós, para a nossa Igreja, e para o testemunho de Cristo no mundo, através da juventude”, concluiu.

Você quer viver está aventura cristã? Quer participar do grupo oficial da Arquidiocese do Rio nesta grande peregrinação até o Panamá em 2019? Você já pode entrar em contato pelo telefone: (21) 2460-1581 ou pelo e-mail: atendimento@milessisturismo.com.br. O Papa Francisco te espera no Panamá!

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.