Arquidiocese do Rio de Janeiro

32º 22º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 14/12/2017

14 de Dezembro de 2017

Presépio da Glória aborda questões éticas e corrupção

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

14 de Dezembro de 2017

Presépio da Glória aborda questões éticas e corrupção

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

06/12/2017 17:35 - Atualizado em 07/12/2017 09:59
Por: Giselle Martello / Priscila Xavier

Presépio da Glória aborda questões éticas e corrupção 0

Tradição nas famílias cristãs, a montagem do presépio prepara os fiéis para o nascimento do Salvador. Um dos principais da cidade é o presépio em tamanho real, montado no Largo da Glória.

A obra, criada pelo artista plástico padre Wanderson José Guedes, pároco da Igreja Sagrado Coração de Jesus, na Glória, receberá a bênção do Cardeal Orani João Tempesta, nesta quinta-feira, dia 7 de dezembro, logo após a missa em ação de graças pelos 70 anos de sacerdócio do monsenhor Vital Cavalcanti (Saiba Mais).

Essa é a quarta vez que a estrutura é montada e, além de preparar as famílias, neste ano, a obra leva os fiéis e visitantes a uma reflexão. “O tema deste ano é uma forma de protesto, convidando a população, independentemente de credo, a analisar o contexto e o histórico do nosso país, onde todos os poderes estão à mercê da ética e da corrupção. Então, queremos fazer essa crítica e levantar essa problemática. A Igreja deve caminhar junto com seu povo e ser a voz e a vez daqueles que não têm”, exclamou padre Wanderson.

O presépio é composto por quatro panteões, os quais representam os poderes Judiciário e Legislativo, a corrupção e, no último e mais alto, está a manjedoura junto ao escrito ‘Amor e Justiça’. “A obra nos recorda que estamos sujeitos a nos deixarmos levar pela corrupção. O anjo, ao invés de anunciar o nascimento do Menino, conclama o povo a olhar para a questão da corrupção e para os direitos privados dos menos favorecidos. Não podemos compactuar com isso”, explicou o sacerdote.

Segundo o padre Wanderson, o presépio, formado por 72 peças, foi confeccionado ao longo de nove anos. Todas as peças são produzidas com isopor, espuma de poliuretano, resina de poliéster e fibra de vidro. Pelo menos 90 voluntários contribuíram na confecção das peças. 

O presépio ficará exposto até o dia 6 de janeiro, quando será celebrada a tradicional missa de encerramento, na Solenidade da Epifania do Senhor. Até lá, durante todos os dias, será rezada a novena de Natal.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.