Arquidiocese do Rio de Janeiro

27º 19º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 17/10/2017

17 de Outubro de 2017

Corpus Christi reúne milhares de fiéis no Rio

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

17 de Outubro de 2017

Corpus Christi reúne milhares de fiéis no Rio

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

15/06/2017 19:54 - Atualizado em 15/06/2017 19:55
Por: Priscila Xavier

Corpus Christi reúne milhares de fiéis no Rio 0

Corpus Christi reúne milhares de fiéis no Rio / Arqrio

A tradicional procissão de Corpus Christi reuniu por toda a Arquidiocese do Rio, no dia 15 de junho, milhares de fiéis que, junto ao clero, manifestaram a fé em Jesus Sacramentado, presente na Eucaristia. A celebração, que ocorre sempre numa quinta-feira para lembrar o dia em que Cristo instituiu a Eucaristia, teve como tema: “Sois família de Deus” (Ef 2,19), justamente por conta do Ano da Família, vivenciado na Arquidiocese do Rio. Houve procissões no Centro, na Zona Oeste e em várias paróquias da Arquidiocese do Rio.

De acordo com o pároco da Catedral, cônego Cláudio dos Santos, o tema da solenidade convida cada fiel a ser sinal de um grande desejo de Deus. “Nós, como membros dessa família, devemos nos envolver para fazer acontecer a presença de Deus que começa em nossa casa, junto aos nossos familiares, mas também em nossa comunidade. Porém, acima de tudo, devemos ser um sinal desse desejo do Senhor de sermos família também com aqueles que se encontram fora da Igreja, para que todos se sintam filhos e filhas de Deus”, completou.

Procissão

De manhã, o arcebispo do Rio presidiu no Santuário Nacional de Adoração Perpétua, na Igreja de Sant’Ana, no Centro, a missa solene de Corpus Christi, que encerrou a 91ª Semana Eucarística.

À tarde, os fiéis se concentraram na Igreja de Nossa Senhora da Candelária, no Centro, onde Dom Orani presidiu a Oração das Vésperas, pela Liturgia das Horas, que, quando celebrada no fim do dia, tal como na solenidade, torna-se uma maneira de agradecer a Deus por tudo o que Ele oferece.

Após a liturgia, acompanhada da Oração pela Paz, teve início a procissão que percorreu as ruas do centro da cidade em direção à Catedral de São Sebastião, com o carro andor que levou Jesus Sacramentado no ostensório. 

No início da entrada da Catedral, Dom Orani caminhou com o Santíssimo pelos tapetes confeccionados pelas paróquias, seminários, novas comunidades, pastorais, e movimentos. O alinhamento dos tapetes se estendeu até o presbitério da Catedral.

Segundo cônego Cláudio dos Santos, o objetivo da confecção é demonstrar a alegria do povo pelo Senhor vivo: “Manifestamos toda a nossa alegria pelo Cristo que passa no meio de nós neste dia. Então, foram confeccionados tapetes para lembrar esse momento. Queremos ofertar o que há de mais bonito em cada nova comunidade, paróquias e movimentos, a alegria de todos os que estão envolvidos”, afirmou.temp_titleDSC_0106_15062017194836

Recordando a entrada de Jesus em Jerusalém, Dom Orani passou pelos tapetes com Cristo Sacramentado, enquanto o povo agradecia e saudava ao Senhor por todos os seus prodígios. Assim que chegou ao presbitério, o arcebispo fez pela terceira vez a Oração pela Paz no Brasil, transmitiu uma mensagem a todos, deu a bênção com o Santíssimo e presidiu a missa.

Para cônego Cláudio, que participa da celebração pela primeira vez como pároco da Catedral, o sentimento era de alegria, acolhida, colocando-se a serviço do povo. “É um grande momento de alegria em meu coração de poder, pela primeira vez como pároco, estar envolvido com os preparativos. Esse é o mesmo sentimento que percebo em tantas outras pessoas. A Catedral, como Igreja Mãe, deve acolher a todos. É com esse sentimento, de serviço e acolhida, que também nos colocamos”, destacou.

Gesto concreto

O Ano da Misericórdia foi um período muito forte e de reflexão para a Arquidiocese do Rio. Por isso, neste ano, como gesto concreto, foi pedido para que cada participante levasse um quilo de alimento não perecível.

Como surgiu a solenidade?

A Festa de Corpus Christi surgiu na diocese de Liège, na Bélgica, no século XIII, através de Santa Juliana de Mont Cornillon, a qual foi escolhida por Deus para entronizar a solenidade. Desde pequena, a jovem freira sempre nutriu uma profunda veneração ao Corpo e Sangue de Cristo, e era para ela que Jesus aparecia em visões, pedindo uma festa litúrgica anual em honra da Sagrada Eucaristia.

Tal pedido fora cumprido em 1264, seis anos depois da morte de Santa Juliana, em 1258, aos 66 anos. O Papa Urbano IV aprovou a Bula “Transiturus” de mundo, na qual prescreveu que na quinta-feira após a oitava de Pentecostes fosse oficialmente celebrada a festa em honra do Corpo do Senhor.

Certa vez, padre Pedro de Praga, em Boêmia, celebrava a santa missa em Bolsena, na Itália, quando aconteceu um milagre eucarístico: gotas de sangue começaram a cair da hóstia consagrada sobre o corporal, logo após a transubstanciação. Acredita-se que o sacerdote tenha duvidado da real presença de Jesus na Eucaristia.

Sabendo do ocorrido, o Papa Urbano IV, que vivia próximo à região, ordenou que as relíquias fossem trazidas para o local em que estava. Isso foi feito em procissão. E ao deparar-se com a peregrinação ainda na entrada da cidade, pronunciou diante da relíquia eucarística: Corpus Christi.

Fotos: Gustavo de Oliveira

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.