Arquidiocese do Rio de Janeiro

29º 21º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 25/05/2017

25 de Maio de 2017

Paróquia São Domingos abre comemorações dos 50 anos de fundação

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

25 de Maio de 2017

Paróquia São Domingos abre comemorações dos 50 anos de fundação

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

19/05/2017 16:49 - Atualizado em 19/05/2017 16:51
Por: Jéssica Pinheiro / Larissa Corrêa / Symone Matias

Paróquia São Domingos abre comemorações dos 50 anos de fundação 0

temp_title4_19052017163208

A Paróquia São Domingos de Gusmão, na Tijuca, inicia, no dia 19 de maio, as atividades referentes ao seu jubileu de ouro. O bispo auxiliar do Rio Dom Roque Costa Souza celebrará a missa de abertura, às 19h. Atividades culturais, religiosas e sociais estão dentro da programação que irá compor o calendário paroquial de maio de 2017 a maio de 2018.

Para a celebração de abertura, a comunidade elaborou uma exposição de fotos em homenagem aos padres que passaram pela comunidade. O intuito da galeria é possibilitar que os fiéis mais jovens visualizem a história da paróquia.

Segundo o pároco, padre Paulo Hamurábi Ferreira Moura, que assumiu a paróquia há menos de um ano, a comunidade começou a planejar o jubileu no final do ano passado. Ele contou sobre a alegria de participar da comemoração junto a diversos fiéis que acompanham a paróquia desde a construção. “Considero uma graça de Deus ter chegado um pouco antes do jubileu. Fui recebido muito bem, a comunidade me acolheu de uma maneira extraordinária. Às vezes acho que já faz vários anos que estou lá pelo laço que foi criado e pela maneira com que a comunidade me trata. Foi uma adaptação quase automática”, declarou.

Com diversos trabalhos pastorais ativos, padre Paulo tem se dedicado a visitar as famílias da comunidade. Para ele, é importante que as pessoas se sintam chamadas a fazer parte da paróquia, sobretudo aquelas que se distanciaram da vida comunitária. “Diante das diversas pastorais que temos, destaco a pastoral do acolhimento como uma das mais importantes nos dias de hoje. É fundamental que as pessoas entrem e saiam da igreja se sentindo acolhidas. Elas precisam receber um sorriso, um abraço e não somente um folheto”, ressaltou.

Todo dia 19 de cada mês uma pastoral irá fazer a adoração ao Santíssimo Sacramento, dando prosseguimento à ação de graças pela data de criação da paróquia. Em junho, por ocasião do Ano Mariano, haverá um curso de teologia com o tema “Mariologia e Escatologia hoje na Igreja”, que será ministrado pela professora Lina Boff.

Outra iniciativa das comemorações será a ampliação da obra social, com a criação de um ambulatório gratuito para atender as pessoas mais carentes. “Diante das dificuldades de acesso aos hospitais, os médicos querem ampliar este serviço, tornando o acesso mais acessível aos irmãos carentes. Durante a reforma para o jubileu, eles serão encaminhados a outros locais onde serão atendidos gratuitamente, e após o término das obras a iniciativa irá funcionar na paróquia”, explicou.

O arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, foi convidado para celebrar a missa solene no dia 19 de maio de 2018, que será seguida de um almoço com a comunidade paroquial.

A IGREJA

A história da Igreja de São Domingos começa no centro da cidade, no século 18. Construída em 1791, a igreja, a qual permaneceria com o mesmo aspecto até seu fim, era pequena e tinha três altares dedicados a São Domingos, Nossa Senhora da Conceição e Nossa Senhora das Dores, além de uma imagem de Sant’Ana, na sacristia. No início do século XX, com a determinação do prefeito Pereira Passos em modernizar a cidade do Rio de Janeiro, o Largo e a Igreja de São Domingos, localizados no centro, ocupavam o trecho da Av. Passos entre Gal. Câmara e Rua São Pedro (hoje já não existem). As obras chegaram ao Largo de São Domingos, onde o urbanismo da velha cidade colonial estava sendo totalmente modificado, e, no início dos anos 1940, tudo foi destruído para a passagem da Avenida Presidente Vargas.

Com a demolição, em 1941, ocorreu a mudança para o atual endereço na Tijuca, funcionando numa casa adaptada às celebrações. A princípio era apenas uma capela ligada à paróquia dos Sagrados Corações, mas com uma ação conjunta da Irmandade do Glorioso São Domingos e da comunidade que frequentava, começou-se a construção do prédio da atual igreja. O padre Lucas Malaquias, vindo da Paróquia Nossa Senhora do Loreto, em Jacarepaguá, foi o responsável pela coordenação da obra. Com o crescimento da vida em comunidade, a capela foi elevada à paróquia a 19 de maio de 1968, com a presença do Cardeal Jaime de Barros Câmara, sendo o padre Lucas Malaquias o primeiro pároco. No dia 12 de abril de 1970, Dom Jaime retornou à paróquia para dar a bênção da Igreja, que havia terminado sua construção.

PÁROCOS

Entre os párocos que administraram a paróquia estão monsenhor Alfir Barreto Araújo, os padres Marciano Rodrigues, Jorge Luiz Sanz Afonso e o atual, Paulo Hámurabi Ferreira Moura.

temp_titleIgreja_Sao_Domingos_no_Largo_de_Sao_Domingos_19052017163212

temp_titlealtar_da_Capela_Sao_Domingos___Tijuca_19052017163209

temp_titlePe_Lucas_19052017163214
Padre Lucas Malaquias

temp_title_DSC0123_19052017163206
Monsenhor Alfir Barreto

temp_titlePe_Jorge_2_19052017163213
Padre Jorge Luiz Afonso

temp_titleDSC_4513_19052017163211
Padre Marciano Rodrigues

temp_titleDSC_0007_19052017163210
Padre Paulo Hámurabi

Fotos: Arquivo / Carlos Moioli

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.