Arquidiocese do Rio de Janeiro

29º 21º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 25/05/2017

25 de Maio de 2017

Ação conjunta em Brasília reforça luta em defesa da vida

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

25 de Maio de 2017

Ação conjunta em Brasília reforça luta em defesa da vida

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

12/05/2017 18:02 - Atualizado em 12/05/2017 18:03
Por: Larissa Corrêa

Ação conjunta em Brasília reforça luta em defesa da vida 0

temp_title2017_05_11_PHOTO_00001713_12052017175856

Uma comissão formada pela União dos Juristas Católicos do Rio de Janeiro e da Associação Jurídico Espírita do Estado do Rio de Janeiro foi recebida, no dia 11 de maio, pela ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, para tratar questões sobre a importância da mulher, do direito à vida, das crianças e do aborto.

O arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, participou da audiência juntamente com os juristas católicos Paulo Leão e Patrícia Cardoso; dos membros da Associação dos Juristas Espíritas Hélio Ribeiro e Marcelo Anátocles; e do médico Adriano Almeida, membro do Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro. Em unidade, a comissão apresentou um documento a ministra Cármen Lúcia pedindo a não inclusão de nenhuma pauta com projetos que visem legalizar o aborto na atual gestão.

Segundo Dom Orani, a presidente do Supremo Tribunal Federal aceitou lançar no Rio de Janeiro uma campanha pela paz, de forma que possa incluir as questões gerais da vida. Sobre a audiência, o arcebispo afirmou ter sido bastante proveitosa.

“Foi um momento muito bonito de partilha e encontro. Entregamos para a ministra uma imagem de São Francisco de Assis abençoada pelo Papa Francisco. Ela agradeceu e ficou muito feliz com nossa visita”, contou.

De acordo com Hélio Ribeiro, da Associação dos Juristas Espíritas, Cármen Lúcia também manifestou simpatia pela causa, dizendo que matar não é nenhuma solução para resolver os problemas da sociedade.

“Foi um ganho em favor da vida e um encontro histórico”, disse Hélio.

Para o secretário da Comissão de Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso da Arquidiocese do Rio, diácono Nelson Águia, fazer diálogo inter-religioso é ir de encontro com o outro.

“Hoje em dia, na hora de realmente fazer, a prática do encontro deixa a desejar. Com isto, nós conseguimos sair deste posto e fizemos uma ação completa juntos. Juntamos os nossos credos pela causa da dignidade da vida, e derrubamos barreiras por uma causa comum, exatamente como pede o Papa Francisco. Internamente, para nós isso tem um grande valor”, afirmou.

Foto: Divulgação

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.