Arquidiocese do Rio de Janeiro

24º 18º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 17/08/2017

17 de Agosto de 2017

Pastoral integra rede de assistência para moradores de rua

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

17 de Agosto de 2017

Pastoral integra rede de assistência para moradores de rua

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

20/04/2017 13:48 - Atualizado em 20/04/2017 13:48
Por: Cláudio Santos (Coordenador para a Caridade Social Vicariato Episcopal Norte)

Pastoral integra rede de assistência para moradores de rua 0

temp_titlePastoral_integra_rede_de_assistncia_para_moradores_de_rua_20042017134536

A Pastoral do Povo da Rua do Vicariato Episcopal Norte passou a integrar a rede sócio-assistencial voltada para pessoas em situação de rua dos bairros da Tijuca, Méier e adjacências. A iniciativa de constituir a rede partiu da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, que reuniu organizações não-governamentais parceiras que atendem pessoas em situação de rua na região.

O objetivo da rede é integrar e potencializar o atendimento assistencial prestado aos moradores de rua, além de incentivar a troca de saberes, experiências, vivências, conhecimentos e recursos. O trabalho em rede possibilita construir vínculos horizontais de interdependência e complementariedade para compartilhar responsabilidades e reivindicações por meio de objetivos e compromissos comuns voltados para a garantia dos direitos da pessoa adulta em situação de rua. 

Para o Monsenhor Gustavo Auler, assistente arquidiocesano da Pastoral do Povo da Rua, a iniciativa é um anseio antigo das entidades que atuam junto aos moradores na região:

"Há uma grande lacuna na integração entre poder público e sociedade civil para que as pessoas mais vulneráveis tenham acesso aos serviços. Atendo semanalmente uma média de cem pessoas que necessitam de uma atuação mais integrada do poder público para que demandas como documentação, capacitação profissional e encaminhamento para tratamentos de saúde sejam atendidas. O trabalho em rede contribui para que cada parceiro contribua na medida do possível e também exija políticas públicas específicas para a população de rua" - afirmou.

Segundo a Defensora Pública Estadual, Dr.ª Carla Beatriz Nunes, a experiência de trabalho em rede é inovadora e os resultados obtidos tem sido muito satisfatórios, pois mobiliza esforços de pessoas interessadas em prestar assistência e garantir que os direitos da população em situação de rua sejam respeitados:

“O trabalho em rede, além de aumentar a capilaridade das ações, tem muitas outras vantagens como a troca de experiência entre os vários atores institucionais que potencialmente podem transformar-se em acúmulo de experiência e de conhecimento, aumentando a difusão e disseminação em áreas de maior vulnerabilidade social” – afirmou.

Para Cláudio Santos, coordenador vicarial para a caridade social, desenvolver um efetivo trabalho de rede envolvendo o poder público e a sociedade civil organizada é fundamental para integrar os serviços, efetivar parcerias e oportunizar o acesso das pessoas aos serviços assistenciais oferecidos pelas paróquias nas mais diferentes áreas e também para exigir do poder público políticas públicas adequadas e eficientes:

"O trabalho da rede é fundamental para integrar as diversas políticas públicas voltadas para a afirmação e promoção de direitos, articular ações governamentais e não governamentais através de programas e serviços existentes, introduzir mecanismos de acompanhamento e avaliação, importantes para monitorar a política implementada como também a qualidade do serviço e o impacto na vida da população e mobilizar a sociedade para participar na política do atendimento, organizando-se para ter eficientes  instrumentos de controle social" - concluiu.

O próximo encontro da rede será no próximo dia de 26 de abril, às 14:30 horas, na Paróquia Nossa Senhora da Conceição e São José, situada na Avenida Amaro Cavalcanti, 1761, em frente à estação ferroviária de Engenho de Dentro, Zona Norte, Rio de Janeiro.

Conheça a Pastoral do Povo da Rua

A Pastoral do Povo da Rua tem como missão ser presença solidária junto ao povo da rua e dos lixões, reconhecer os sinais de Deus presentes na sua história e desenvolver ações que transformem a situação de exclusão em projetos de vida para todos. Para atingir esse objetivo, a pastoral trabalha de forma coletiva para que a população em situação de rua e os catadores de materiais recicláveis alcancem sua própria autonomia e dignidade.

Nessa perspectiva, a pastoral busca construir alternativas para a defesa da vida e de articulação e organização dessa população contra a violência e a discriminação, reconhecendo-os como protagonistas de sua própria vida, além de propor a construção de políticas públicas.

Informações sobre a Pastoral do Povo da Rua e de como participar das ações na Arquidiocese do Rio de Janeiro poderão ser obtidas através do e-mail padregustavo@veloxmail.com.br.

Foto: Cláudio Santos

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.