Arquidiocese do Rio de Janeiro

25º 14º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 26/06/2017

26 de Junho de 2017

Madagascar: invadido convento de religiosas em Antsirabe

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

26 de Junho de 2017

Madagascar: invadido convento de religiosas em Antsirabe

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

11/04/2017 12:34 - Atualizado em 11/04/2017 12:37
Por: Rádio Vaticano

Madagascar: invadido convento de religiosas em Antsirabe 0

temp_titleAFP2_11042017123242Vinte e seis pessoas foram detidas pela polícia e gendarmaria em Antsirabe, região central da Ilha de Madagascar, suspeitas de terem participado direta ou indiretamente da invasão do Convento das Irmãs de Nossa Senhora da Salete de Antsahatanteraka Antsirabe (Sœurs de Notre Dame de la Salette), na noite de 1° de abril.

De fato, cerca de sete bandidos forçaram as portas do convento depois da uma da manhã, atacando as religiosas em suas celas. Uma voluntária alemã, uma religiosa malgaxe e três hóspedes sofreram violências sexuais. Um funcionário da comunidade que tentou defender as religiosas foi agredido.

Depois de terem recolhido o pouco dinheiro que existia no local, além de celulares e outros objetos de pouco valor, os indivíduos fugiram. Das 26 pessoas detidas, sete são acusadas de terem participado da invasão, enquanto as outras foram ouvidas como testemunhas.

A Conferência Episcopal de Madagascar condenou com veemência a agressão cometida contra as religiosas. "Condenamos com força o  ocorrido", afirmam os bispos em um comunicado. "Pedimos ao Estado para tomar providências rigorosas para enfrentar a assustadora repetição de atos de banditismo em toda a Ilha".

"A Conferência Episcopal encoraja os religiosos e as religiosas que ofereceram-se para servir no país, para que não se arrefeça a sua vocação" diante de tais acontecimentos, conclui a mensagem.

Foto: AFP

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.