Arquidiocese do Rio de Janeiro

27º 22º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 27/04/2017

27 de Abril de 2017

Pedidos de paz aos pés do Cristo Redentor

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

27 de Abril de 2017

Pedidos de paz aos pés do Cristo Redentor

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

16/03/2017 10:42 - Atualizado em 16/03/2017 16:31
Por: Aline Soares com Nice Affonso (Comunicação do Cristo Redentor)

Pedidos de paz aos pés do Cristo Redentor 0

temp_titleSiria_Rio_007_16032017162354

Envoltas pela névoa, no alto do Corcovado, com trajes brancos, pessoas preocupadas com a situação da Síria — em guerra há seis anos — se colocaram diante do Cristo Redentor para, juntas, fazerem um pedido simples e sincero: “queremos paz”. Assim começou a manhã desta quarta-feira, 15 de março, no Maior Santuário a Céu Aberto do mundo, com o evento “Ato pela Paz”, promovido pela ONG IKMR e pelo Movimento Amor Sem Fronteiras. A cerimônia contou com a presença do Arcebispo Metropolitano, Cardeal Orani João Tempesta, do reitor do Santuário Cristo Redentor, Padre Omar Raposo, da representante do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados no Brasil, Isabel Marquez, do Secretário Nacional do Ministério da Justiça e Cidadania e Presidente do Comitê Nacional para Refugiados, Gustavo Marrone e reuniu artistas e crianças refugiadas, que lembraram as dores e dificuldades causadas pela guerra.

"Muitas vezes, ao redor do mundo, pode parecer que não estamos vendo com clareza esta solidariedade, mas, no momento em que a névoa passa e o sol brilha podemos ver de novo, com toda a clareza, a solidariedade de uns para com os outros", disse Dom Orani.

"Hoje, o Cristo Redentor se integra a esta bela perspectiva: somos solidários, amigos, e queremos sempre dar visibilidade a belas iniciativas como esta! Que o Redentor nos proteja, nos abençoe, abençoe todas as famílias que se encontram desamparadas e todas as vítimas da guerra, da dispersão e do egoísmo humano", desejou Padre Omar. 

O Secretário Nacional do Ministério da Justiça e Cidadania e Presidente do Comitê Nacional para Refugiados, Gustavo Marrone, ressaltou a importância da continuidade do processo de acolhimento das crianças refugiadas:

"É importante que a gente procure não só receber essas crianças, mas, também, integrá-las a nossa sociedade, para que elas possam viver, de alguma forma, igual a todos nós, lembrou".

A coordenadora do projeto e fundadora da ONG IKMR, Viviane Reis, convidou os jornalistas presentes a fazerem uma reflexão sobre o momento histórico que estas crianças vivenciam. 

"Eu fico aqui pensando sobre estas crianças: ‘que bom que você conseguiu chegar aqui, você conseguiu escapar’. As estatísticas horríveis que vocês veem nos jornais, que tantos de vocês publicam, aconteceram com várias das crianças que estão aqui. Hoje é dia de voltarmos nosso olhar para esse povo, para nós mesmos, e pensarmos de que forma podemos atuar de verdade e criar condições para que estas pessoas sejam tratadas com dignidade", questionou.

Muitos artistas, como Flávia Alessandra, Bruna Marquezine, Cássia Kiss e Malu Mader, com seus depoimentos, reforçaram a mensagem de união e solidariedade do Ato pela Paz. A emoção bateu à porta de muitos corações.  

"Eu me envolvi com a causa há mais de um ano, numa apresentação do coral. Eu fiquei muito impactada, foi muito emocionante. E, como hoje, mexeu muito comigo. Não tive como não me envolver! É bom lembrar que não é uma data muito feliz, é uma data triste, mas acho muito importante", contou Bruna Marquezine.

"Como a gente entende a importância que é uma criança com uma cabecinha bem formada, fazendo parte da sociedade, integrada à ela, a gente pode imaginar todo tipo de preconceito que elas (as crianças refugiadas) venham a sofrer... Então, que a gente possa conseguir trazer para essas crianças a vida de uma forma menos anormal possível; elas já deixaram seus lares, seus familiares... Que a gente possa acolher e trazer um pouco mais de carinho para elas", sugeriu Flavia Alessandra, integrante do Movimento Amor Sem Fronteiras.

Os cantores Elba Ramalho, Maria Gadú e Tiago Iorc encheram os corações dos presentes de compaixão e misericórdia ao unirem suas vozes às do Coro Infantil Coração Jolie, representado por 35 crianças refugiadas de 12 países ao redor do mundo – entre eles, Síria, Iêmen, Irã, República Democrática do Congo e Sudão do Sul. Todos os presentes não puderam deixar de reparar o tanto que os olhinhos daqueles meninos e meninas brilhavam ao compartilharem aquele momento cantando “O sol”, “Aquarela”, “Vamos construir” e “Paz pela paz”.

temp_titleSiria_Rio_005_16032017162348

temp_titleSiria_Rio_002_16032017162342

temp_titleSiria_Rio_001_16032017162336

temp_titleSiria_Rio_009_16032017162401

Fotos: Tânia Rêgo / Agência Brasil

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.