Arquidiocese do Rio de Janeiro

33º 18º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 23/05/2019

23 de Maio de 2019

Papa: identidade, trabalho e amor são os dons de Deus ao homem

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

23 de Maio de 2019

Papa: identidade, trabalho e amor são os dons de Deus ao homem

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

07/02/2017 09:49 - Atualizado em 07/02/2017 09:50
Por: Rádio Vaticano

Papa: identidade, trabalho e amor são os dons de Deus ao homem 0

temp_title1900915_Articolo_07022017094537

O homem feito à imagem de Deus, senhor da terra, tendo ao lado uma mulher para amar: a homilia do Papa na missa celebrada esta manhã na Casa Santa Marta, dia 7 de fevereiro, foi dedicada aos três grandes dons de Deus ao homem no ato da Criação.

Ouça a reportagem na íntegra.

“Senhor, que é o homem, para dele assim vos lembrardes”. “Pouco abaixo de Deus o fizestes, coroando-o de glória e esplendor”. A reflexão do Papa foi inspirada no Salmo 8 e pela narração do Gênesis, para exaltar a admiração pela ”ternura” e pelo ”amor” de Deus que, na Criação, “deu tudo ao homem”.

O Papa destaca três grandes dons, começando pela identidade:

“Antes de tudo, nos deu o DNA, isto é, nos fez filhos, nos criou à Sua imagem, à Sua imagem e semelhança, como Ele. E quando alguém faz um filho, não pode dar para trás: o filho está feito, está ali. E que o assemelhe muito ou pouco, è seu filho; recebeu a identidade. E se o filho se torna bom, o pai fica orgulhoso, não?, “mas olhe, que bom filho!”. E se é um pouquinho feio, o pai diz: É bonito!”, porque é assim. Sempre. E se é mau, o pai o justifica, o aguarda.. Jesus nos ensinou como um pai sabe esperar os filhos. Ele nos deu esta identidade de filho: homem e mulher; devemos acrescentar: filhos. Somos como deuses, porque somos filhos de Deus”.

O Segundo dom de Deus na Criação é, para Francisco, uma “tarefa”: “nos deu toda a terra”, para dominar e subjugar, como diz o Gênesis. É uma “realeza”, acrescentou o Papa, porque Deus não quer o homem “escravo”, mas “senhor”, mas com uma tarefa:

“Assim como Ele trabalhou na Criação, deu a nós o trabalho, deu o trabalho de levar adiante a Criação. Não de destruí-la; mas fazê-la crescer, cuidar, proteger e fazê-la produzir fruto. Deu tudo. É curioso, penso eu: mas não nos deu dinheiro. Temos tudo. Quem deu o dinheiro? Eu não sei. Dizem as avós, que o diabo entra pelo bolso: pode ser … podemos pensar em quem deu dinheiro … Deu toda a Criação para preservá-la e levá-la adiante: este é o dom”.

Por fim, o Papa exaltou o terceiro e último dom contido no Gênesis: o amor.

“Homem e mulher Ele os criou. Não é bom que o homem viva sozinho. E fez a companheira”: um “diálogo de amor”, disse Francisco. Portanto “preservar a Criação e não destruí-la, levá-la adiante com o trabalho cuja ausência priva o homem de dignidade e, por fim, faz crescer o amor que tem início entre homem e mulher: esta é a imagem da Criação para o Papa, que fez sua exortação final:

“Agradeçamos ao Senhor por esses três presentes que nos deu: a identidade, o dom-tarefa e o amor. E peçamos a graça de proteger esta identidade de filhos, de trabalhar o dom que nos deu e levar avante com o nosso trabalho este dom, e a graça de aprender todos os dias a amar mais”.

Foto: Arquivo

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.