Arquidiocese do Rio de Janeiro

26º 22º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 24/05/2019

24 de Maio de 2019

Francisco: "Vítimas de violência, sejam construtoras de paz!"

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

24 de Maio de 2019

Francisco: "Vítimas de violência, sejam construtoras de paz!"

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

03/02/2017 10:10 - Atualizado em 03/02/2017 10:11
Por: Rádio Vaticano

Francisco: "Vítimas de violência, sejam construtoras de paz!" 0

temp_titleAFP6238610_Articolo_03022017101012

A capital colombiana está recebendo desde quinta-feira, dia 2 de janeiro, até domingo, dia 5 de janeiro, a 16ª Cúpula Mundial de vencedores do Prêmio Nobel da Paz. Mais de 30 personalidades e organizações premiadas estão presentes, compactos ao apoiar os acordos de paz entre o governo do país e a ex-guerrilha das FARC. 

“Quando as vítimas resistem à vingança, promovem o diálogo e a verdadeira reconciliação”, é o que afirma o Papa Francisco em mensagem enviada ao encontro intitulado “Paz e Reconciliação”.

O Papa” – como escreve o Cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado que assina a mensagem – “exorta a promover o acordo e o diálogo entre os povos; e de modo especial, está confiante nos esforços da Colômbia neste sentido, que podem inspirar todas as comunidades a superar as divisões a fim de que as vítimas da violência sejam capazes de resistir a tentações como represálias e se tornem construtoras de paz”.

Ouça a reportagem na íntegra.

É a primeira vez que esta cúpula se realiza na América Latina.   

Na abertura, o Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, último ganhador do Nobel, afirmou que é preciso mudar o discurso de terrorismo e rejeição aos imigrantes.

Em 52 anos, a guerra na Colômbia causou 260.000 mortos, mais de 60.000 desaparecidos e 6,9 milhões de deslocados. O conflito envolveu cerca de três dezenas de grupos de guerrilha de esquerda, entre os quais as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), que assinaram um acordo de paz com o governo no final de novembro, e o Exército de Libertação Nacional (ELN), último grupo rebelde ainda ativo, que deve iniciar negociações com as autoridades no próximo dia 8 de fevereiro. 

Foto: AFP

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.