Arquidiocese do Rio de Janeiro

25º 13º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 19/07/2019

19 de Julho de 2019

Papa recorda cristãos perseguidos

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

19 de Julho de 2019

Papa recorda cristãos perseguidos

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

26/12/2016 10:08 - Atualizado em 26/12/2016 10:09
Por: Canção Nova e ACI Digital

Papa recorda cristãos perseguidos 0

temp_titlePapa_Francisco_2_13032013163912_24112016141710Nesta segunda-feira, 26, Festa de Santo Estêvão, primeiro mártir da Igreja, o Papa Francisco rezou a oração mariana do Angelus com os fiéis reunidos na Praça São Pedro. O Santo Padre enfatizou o testemunho dado por Estêvão, um martírio que continua presente na história da Igreja.

Esse testemunho está presente no Evangelho de hoje, observou o Papa, quando Jesus adverte os discípulos sobre a perseguição que iriam encontrar. “O mundo odeia os cristãos pela mesma razão pela qual odiou Jesus, porque Ele levou a luz de Deus e o mundo prefere as trevas para esconder as suas obras maldosas. Por isso há oposição entre a mentalidade do Evangelho e aquela mundana”.

Santo Estêvão escolheu Cristo e, ao escolher a verdade, ele se tornou vítima do mistério da iniquidade presente no mundo, mas em Cristo venceu, destacou o Santo Padre. Ele lembrou que, ainda hoje, a Igreja experimenta duras perseguições em vários lugares para dar testemunho da luz e da verdade.

São muitos cristãos que sofrem violência e são odiados por causa de Jesus, lembrou o Papa, voltando a repetir que, hoje, há ainda mais perseguição aos cristãos que nos primórdios da Igreja. Ele citou como exemplo os cristãos perseguidos no Iraque, que celebraram o Natal em sua catedral destruída. “Isso é um exemplo de fidelidade ao Evangelho”. 

“Hoje queremos pensar neles que sofrem perseguições e ser próximos a eles com o nosso afeto, a nossa oração e também o nosso pranto. Apesar das provações e dos perigos, eles testemunham com coragem sua pertença a Cristo e vivem o Evangelho se empenhando para favorecer os últimos, os mais esquecidos, fazendo o bem a todos sem distinção; testemunham a caridade na verdade”.

O Papa concluiu sua intervenção antes do Angelus pedindo que Maria apoie esse caminho de seguimento a Jesus, contemplado no presépio e testemunha fiel de Deus Pai.

Um pouco mais sobre o mártir

O protomártir morreu apedrejado logo depois de ser arrastado para fora da cidade, após ser levado ante o Sinédrio por falsas acusações. Ele acusou os judeus por ter chegado ao ponto de não reconhecer o Salvador e também de tê-lo crucificado.

Santo Estêvão, enquanto recebia o golpe das pedras, pronunciou as seguintes palavras: “Senhor Jesus, recebe meu espírito”. Estando de joelhos antes de morrer, exclamou com força: “Senhor, não lhes tenha em conta pecado”.

Foto: Arquivo

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.