Arquidiocese do Rio de Janeiro

30º 18º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 23/05/2019

23 de Maio de 2019

III pregação de Advento com o Papa: A sóbria embriaguez do Espírito

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

23 de Maio de 2019

III pregação de Advento com o Papa: A sóbria embriaguez do Espírito

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

16/12/2016 17:43 - Atualizado em 16/12/2016 17:43
Por: Rádio Vaticano

III pregação de Advento com o Papa: A sóbria embriaguez do Espírito 0

temp_titleIII_pregao_com_o_advento_16122016174106

O Papa Francisco participou na manhã de sexta-feira, 16 de dezembro, da terceira pregação de Advento, na capela Redemptoris Mater, no Vaticano.

O Pontífice e seus colaboradores da Cúria Romana ouviram o Pregador Frei Raniero Cantalamessa desenvolver o tema “A sóbria embriaguez do Espírito”. Nesta terceira pregação, o frade capuchinho falou de modo especial da renovação carismática.

Para Frei Cantalamessa, como outras análogas realidades novas da Igreja de hoje, a renovação carismática apresenta por vezes lados problemáticos, excessos, divisões, pecados. “Isso foi, também para mim, no começo pedra de escândalo. Mas isso acontece com todos os dons de Deus assim que caem nas mãos dos homens. No entanto, ninguém sonha com eliminar esse carisma na vida da Igreja. Não foram isentos de desordens e defeitos nem mesmo as primeiras comunidades carismáticas cristãs, como aquela de Corinto. O Espírito não faz todos e de uma vez santos. Age em diferentes graus e de acordo com a correspondência que encontra.”

O frade capuchino acrescenta que não se trata de aderir a um ou outro movimento na Igreja. Para ele, não se trata nem mesmo de um movimento, mas de uma “corrente de graça” aberta a todos. “São João XXIII falou de um "novo Pentecostes", o Beato Paulo VI foi ainda mais longe falando de um “perene Pentecostes”.

E concluiu com um verso ambrosiano - uma estrofe do hino das Laudes da Quarta Semana do saltério: “Seja Cristo o nosso alimento, seja Cristo a água viva: nele provamos sóbrios a embriaguez do Espírito”.

Foto: ANSA


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.