Arquidiocese do Rio de Janeiro

33º 19º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 12/11/2018

12 de Novembro de 2018

Beatificação de Irmã Dulce completa dois anos

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

12 de Novembro de 2018

Beatificação de Irmã Dulce completa dois anos

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

22/05/2013 16:02 - Atualizado em 22/05/2013 17:02
Por: Da Redação, com Portal A12 e Canção Nova

Beatificação de Irmã Dulce completa dois anos 0

Beatificação de Irmã Dulce completa dois anos / Arqrio

A cidade de Salvador, na Bahia, comemora nesta quarta-feira, 22 de maio, o segundo aniversário de beatificação de Irmã Dulce, "o anjo bom da Bahia". No próximo domingo, dia 26, celebrações em homenagem aos 99 anos de nascimento de Irmã Dulce serão realizadas em Salvador.

A agenda festiva, que contará com a participação de paróquias da capital e do interior, terá procissão – com concentração na Colina Sagrada às 15h30min e saída às 16h – e missa solene, às 17h, no Santuário da freira baiana, localizado no Largo de Roma.

Irmã Dulce nasceu em 26 de maio de 1914 e recebeu o nome de Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes. Conforme registros familiares, já aos 13 anos manifestava um cuidado especial pelos mais necessitados. Na época, chegou a transformar a casa da família, na Rua da Independência, 61, num centro de atendimento a pessoas carentes.

Beata Dulce dos Pobres, como é agora chamada, morreu em 13 de março de 1992, pouco tempo antes de completar 78 anos, com uma saúde física bem debilitada – tinha 70% da capacidade respiratória comprometida.

Do início do processo de beatificação até a celebração que conduziu Irmã Dulce à condição de beata, pouco mais de 10 anos se passaram. Em 2000, a investigação de suas virtudes heróicas começou; em 2009, o Papa Bento XVI reconheceu a religiosa como venerável; em 2010 foi a vez do reconhecimento da autenticidade do primeiro milagre atribuído à irmã Dulce; e em 22 de maio de 2011, a cerimônia de Beatificação, que reuniu mais de 70 mil pessoas, foi presidida pelo Cardeal arcebispo emérito de Salvador, Dom Geraldo Majella Agnelo.

* Foto: Reprodução da Internet 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.