Arquidiocese do Rio de Janeiro

25º 21º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 21/08/2018

21 de Agosto de 2018

Caritas Internacional pede "solução humana" para refugiados

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

21 de Agosto de 2018

Caritas Internacional pede "solução humana" para refugiados

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

23/09/2016 10:24 - Atualizado em 23/09/2016 10:24
Por: Rádio Vaticano

Caritas Internacional pede "solução humana" para refugiados 0

temp_titleRV4327_Articolo_23092016102045

O presidente da Caritas internacional, o cardeal filipino D. Luis Antonio Tagle  disse à Agência ECCLESIA que a crise de refugiados exige “uma solução humana” por parte dos líderes internacionais, com respostas “políticas, diplomáticas, humanitárias”. “Não se resolve o problema dos refugiados nem os conflitos aos quais estão ligados, com a guerra. Todos perdem, na guerra”, advertiu o Cardeal filipino D. Luis Antonio Tagle, em Fátima, onde marcou presença para falar aos participantes na assembleia-geral da Ordem dos Carmelitas.

O responsável sublinha que o Papa Francisco e a Igreja Católica “não levantam a sua voz como líderes políticos” na questão dos refugiados. “O Santo Padre é muito claro, ele está a dar voz ao Evangelho, sobretudo ao Evangelho sobre a dignidade de cada ser humano”, precisa.

Para o Cardeal Luis Antonio Tagle, está em causa a “dignidade” de seres humanos que perderam tudo, que “não são apenas estrangeiros, são irmãos e irmãs”.

O responsável admite que este é um assunto “muito complexo” com vários pontos de vista, na Europa, mas reforça a ideia de que a Igreja Católica manifesta “preocupações humanitárias” e não político-partidárias.

O presidente da ‘Caritas Internationalis’ já esteve na Grécia para aferir a forma como está sendo dado apoio a pessoas e famílias vindas de países como a Síria, Afeganistão ou Iraque. O cardeal filipino entende que é preciso refletir sobre o nexo entre pobreza e falta de paz, lamentando que a riqueza esteja confinada às mãos de alguns.

“Como é que os pobres não desfrutam dos benefícios do desenvolvimento?”, questiona.

D. Luis Antonio Tagle observa que a Igreja entra nestes debates “como consciência” e deixa um apelo: “Vamos rever os nossos sistemas econônicos, sociais, políticos, educativos”.

O entrevistado deixou ainda uma reflexão sobre o Jubileu da Misericórdia, convocado pelo Papa Francisco para recordar a “relação de Deus” com cada pessoa, o seu amor, “num mundo onde há tanto terror, medo, impaciência” e “barreiras”.

Na sua quarta visita a Portugal, o cardeal Tagle elogiou a “simplicidade” do povo português e lembrou que em 2021 as Filipinas vão celebrar o 500.º aniversário da chegada de Fernão de Magalhães.

A ligação às Filipinas ao país faz-se também através de Fátima, que recebe muitos peregrinos do país asiático. “A imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima já visitou as Filipinas várias vezes, porque o povo filipino está muito ligado à Virgem Maria”, explica o responsável.

D. Luis Antonio Tagle falou na terça-feira à Assembleia geral da Ordem dos Carmelitas, que se realiza em Fátima até 1º de outubro, abordando o tema ‘Missionários da ternura e do amor de Deus’.

Foto: RV

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.