Arquidiocese do Rio de Janeiro

28º 20º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 20/08/2018

20 de Agosto de 2018

Pastoral do Povo da Rua promove seminário de políticas públicas

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

20 de Agosto de 2018

Pastoral do Povo da Rua promove seminário de políticas públicas

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

21/09/2016 11:15 - Atualizado em 21/09/2016 11:15
Por: Cláudio Santos (Coordenação para a Caridade Social Vicariato Episcopal Norte)

Pastoral do Povo da Rua promove seminário de políticas públicas 0

temp_titleSeminrio_sobre_populao_de_rua_7_21092016110313

A Pastoral do Povo da Rua da Conferência Episcopal Regional Leste 1, da CNBB, promoveu no último dia 17 de setembro, sábado, na Diocese de Duque de Caxias (RJ), um seminário de políticas públicas voltado especificamente para população em situação de rua. Com o tema “Sair da invisibilidade: políticas públicas e população em situação de rua”.  O seminário contou com o apoio do Vicariato para a Caridade Social da Arquidiocese do Rio de Janeiro e da Ação Social Papa Paulo VI, da Diocese de Duque de Caxias.

Dividido em duas mesas, a primeira foi formada por técnicos que trabalham com a temática e representada por Ilana Gonçalves da Silva, assistente social do Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua, de São João de Meriti e Diana Delgado, Superintendente de Gestão do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) do Governo do Estado do Rio de Janeiro; e a última formada por Maralice Santos, Elder Paulo de Paula e Alcione Cristina Souza Bastos, do Movimento Nacional da População em Situação de Rua e por Reimival Feliciano Reis, da Pastoral do Povo da Rua da Diocese de Barra do Piraí e Volta Redonda.

A primeira mesa apresentou um panorama das políticas públicas para a população em situação de rua a partir do SUAS e o diagnóstico da assistência para essa população no Estado do Rio de Janeiro, bem como os desafios para a o exercício do controle social e a garantia dos direitos das pessoa adulta em situação de rua a partir da implementação da Política Nacional da População em Situação de Rua.

Na parte da tarde, o foco do seminário esteve voltado para a implementação da Política Nacional da População em Situação de Rua, instituída pelo Decreto n.º 7.053, de 23 de dezembro de 2009, que instituiu a Política Nacional para assegurar o acesso da população em situação de rua aos serviços públicos nas áreas da saúde, assistência social, trabalho, segurança pública. Ela define os princípios, diretrizes e objetivos no atendimento a essa população, sempre com o objetivo de fortalecer a proteção aos direitos humanos.

De livre adesão por estados e municípios, a política visa assegurar o acesso amplo, simplificado e seguro aos serviços e programas que integram as políticas públicas de saúde, educação, previdência, assistência social, moradia, segurança, cultura, esporte, lazer, trabalho e renda. A adesão à Política Nacional se dá por meio de instrumento próprio, fomentando a reestruturação e a ampliação da rede de acolhimento, a partir da transferência de recursos aos municípios.

Segundo o decreto presidencial, a Política Nacional para a "população em situação de rua" deverá ser implementada de forma descentralizada e articulada entre a União e os demais entes federativos, com a instituição de comitês gestores intersetoriais, integrados por representantes das áreas relacionadas ao atendimento da população em situação de rua, com a participação de fóruns, movimentos e entidades representativas desse segmento da população. Esse processo é  imprescindível para que o Estado execute de forma consistente, despojados do preconceito característico que existe no atendimento a este público.

O seminário também debateu o cotidiano de violência e perseguições vivenciado por essa população – especialmente no âmbito dos megaeventos esportivos sediados pelo Brasil, nos quais têm sido recorrentes as denúncias da chamada “higienização social” nas cidades que sediam os grandes eventos. O Movimento Nacional da População em Situação de Rua apontou para a necessidade de maior unidade dos movimentos sociais para dar um basta na violência e impedir o retrocesso nas políticas públicas específicas para a população em situação de rua. 

A atual coordenação da pastoral tem priorizado a formação de seus agentes e este ano realizou dois seminários que além de propiciar uma sólida formação busca integrar numa rede os grupos e serviços voltados para a população em situação de rua. O seminário reuniu mais de cinquenta agentes da pastoral das Arquidioceses do Rio de Janeiro e de Niterói, e das dioceses de Duque de Caxias, Nova Iguaçu e de Barra do Piraí e Volta Redonda.

Pastoral do Povo da Rua

A missão da Pastoral do Povo da Rua é ser presença junto aos moradores em situação de rua e catadores de materiais recicláveis, reconhecendo os sinais de Deus presentes na sua história e desenvolver ações que transformem a situação de exclusão em projetos de vida para todos. Em sua missão, a pastoral busca promover os direitos humanos e sociais no convívio fraterno e solidário com a população de rua, criando laços de amizade, para ajudá-los no resgate de sua dignidade, autoestima e cidadania.

temp_titleSeminrio_sobre_populao_de_rua_8_21092016110317

temp_titleSeminrio_sobre_populao_de_rua_4_21092016110301

temp_titleSeminrio_sobre_populao_de_rua_3_21092016110256

temp_titleSeminrio_sobre_populao_de_rua_10_21092016110325

temp_titleSeminrio_sobre_populao_de_rua_5_21092016110305

temp_titleSeminrio_sobre_populao_de_rua_3_21092016110256

Fotos: Cláudio Santos


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.