Arquidiocese do Rio de Janeiro

25º 20º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 22/10/2018

22 de Outubro de 2018

Papa: "Colocar-se no lugar do outro e sentir o seu coração"

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

22 de Outubro de 2018

Papa: "Colocar-se no lugar do outro e sentir o seu coração"

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

19/08/2016 11:59 - Atualizado em 19/08/2016 11:59
Por: Rádio Vaticano

Papa: "Colocar-se no lugar do outro e sentir o seu coração" 0

Papa:

Está em andamento em Rimini, nordeste da Itália, o XXXVII Encontro da Amizade entre os Povos, evento promovido pelo Movimento ‘Comunhão e Libertação’ foi presenteado nesta sexta-feira com uma mensagem do Papa Francisco.

O encontro deste ano tem o título “Tu és um bem para mim”, que o Pontífice define ‘corajoso’. “Diante das ameaças à paz e da insegurança dos povos e nações, afirma, teríamos que tomar consciência de que a insegurança existencial nos faz ter medo do outro, como se ele fosse um antagonista que nos roubasse espaço e invadisse os confins que construímos. Mas nestes tempos que mudam, quem pode pensar em se salvar sozinho, com suas únicas forças?”, questiona Francisco.

Diálogo, a palavra-chave

“Entretanto, ressalva ainda o Papa, existe uma palavra que não devemos nunca cansar de repetir e principalmente, de testemunhar: diálogo. Abrir-se aos outros não empobrece nosso olhar, mas nos enriquece, porque nos faz identificar a verdade do outro e a importância de sua experiência, mesmo que escondam escolhas e comportamentos com os quais não concordamos”.

Para o Pontífice, “o verdadeiro encontro implica a clareza da própria identidade, mas ao mesmo tempo, a disponibilidade em se colocar no lugar do outro para sentir aquilo que agita seu coração. Este é o desafio diante do qual se encontram todos os homens de boa vontade”.

Como responder a este desafio?

O Papa, concluindo, avança a sua proposta: “Nosso dever, como discípulos de Jesus, coincide com a missão a que fomos chamados: o anúncio do Evangelho, que se traduz hoje em ir ao encontro das feridas do homem, levando a presença forte e simples de Jesus, sua misericórdia consoladora e encorajadora”.

Estes são os votos de Francisco aos membros do Movimento: “Continuem em seu compromisso de solidariedade com os outros, servindo-os com alegria, segundo o ensinamento de seu inspirador, Pe. Luigi Giussani

>> Ouça a reportagem

Foto: AP

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.